::Aesa prevê sábado com nebulosidade variável e possibilidade de chuvas ::Vereadores e funcionários parabenizam Bero de Bertino pelo seu aniversário ::Cagepa realiza limpeza de esgotos na cidade de Sumé ::Cajó Menezes acredita em vitória do grupo de João Henrique nas próximas eleições ::José Dirceu deve ser preso novamente nesta sexta, diz seu advogado ::MPF abre inquéritos para investigar denúncias contra prefeitos do Cariri ::Ricardo Coutinho inaugura restaurações de mais três rodovias ::Sindicalistas reivindicam construção de cisternas e convivência com o semiárido ::Padre Carlinhos – desenhista e escultor ::Programação do São João de Campina Grande sai dia 28 sem Aviões do Forró Malves Supermercados

Aesa prevê sábado com nebulosidade variável e possibilidade de chuvas

Aesa prevê sábado com nebulosidade variável e possibilidade de chuvas Aesa prevê sábado com nebulosidade variável e possibilidade de chuvas

A previsão do tempo para este sábado (17) é de céu com nebulosidade variável e possibilidade de chuva no Litoral. De acordo com a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), as temperaturas irão variar entre a mínima de 23º C e a máxima de 31º C.

As chuvas na faixa litorânea devem ocorrer principalmente no final da tarde e início da noite. Também pode chover em pontos isolados do Alto Sertão, onde os termômetros vão oscilar entre 21º C e 34º C. Nas demais regiões o tempo deve ser de sol com variação de nuvens. Já o vento deve ser moderado em todo o Estado. A previsão do tempo detalhada para cada região está disponível no site www.aesa.pb.gov.br

As variações climáticas são monitoradas diariamente pelos técnicos da Aesa. Na Sala de Situação, instalada em Campina Grande, os meteorologistas realizam um trabalho preventivo para auxiliar em casos de eventos extremos como secas e enchentes. Na iminência de um desastre natural, a Aesa aciona Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e demais órgãos da administração estadual.

Plataformas de coleta de dados espalhadas pelo Estado enviam (via satélite) informações como quantidade de chuva, pressão barométrica e nível da água. Para construir o espaço de observação climatológica, o Governo do Estado e a Agência Nacional das Águas (Ana) investiram mais de R$ 2 milhões. A Sala de Situação funciona no campus da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) no bairro Bodocongó.

Banner Coringa Banner Coringa

Vereadores e funcionários parabenizam Bero de Bertino pelo seu aniversário

Cagepa realiza limpeza de esgotos na cidade de Sumé

Banner Segundo Wilson Ricardo

Cajó Menezes acredita em vitória do grupo de João Henrique nas próximas eleições

José Dirceu deve ser preso novamente nesta sexta, diz seu advogado

MPF abre inquéritos para investigar denúncias contra prefeitos do Cariri

Ricardo Coutinho inaugura restaurações de mais três rodovias

Terceiro postagens – Câmara Monteiro

Sindicalistas reivindicam construção de cisternas e convivência com o semiárido

Aesa prevê sábado com nebulosidade variável e possibilidade de chuvas Aesa prevê sábado com nebulosidade variável e possibilidade de chuvas

Os sindicatos dos trabalhadores rurais paraibanos têm importante papel a exercer no processo de construção de cisternas, no conjunto das implementações hídricas e nas diversas ações estruturadoras para o fortalecimento da agricultura familiar na dinâmica de mobilização para a convivência com o semiárido.

Essa afirmativa foi manifesta pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Veirópoles, Sertão paraibano, Joaquim Nunes Gadelha, em uso da palavra durante o encontro dos sindicatos dos trabalhadores rurais cutistas, acontecido em Campina Grande, na última sexta-feira(10), e em entrevista concedida ao Stúdio Rural e transmitida no Programa Domingo Rural e Esperança no Campo da Rádio Queimadas FM e Rádio Serrana de Araruna do último sábado e domingo, dias 11 e 12 de abril, respectivamente. “Isso é uma realidade porque centralizam os recursos das cisternas e não é de agora, fica apenas junto a ASA e outras instituições em que eles centralizam o poder de organização e distribuição deles fora de nossa distância, um exemplo é Veirópoles que é uma cidadezinha do auto sertão no pé de uma serra, ou nós dependemos de Aparecida ou de Cajazeiras para que as cisternas e as ações possam chegar e na verdade pedidos foram feitos, mas nós não sabemos nem a quantidade de recursos que chegam para a construção dessas cisternas e de que forma essa distribuição é feita, daí a gente faz os pedidos dela, manda para a ASA como a gente mandou, já mandei para o MDA também e até agora nós não temos uma solução e nem sabemos pra onde devemos e ou a quem devemos cobrar. Então é preciso descentralizar isso, porque se o sindicato de Aparecida pode administrar os recursos para a construção de cisternas junto com a ASA e por que não o de Veirópoles? Qual a diferença? Nós vamos fazer os mesmos procedimentos e prestar contas do mesmo jeito. Agora nós não podemos é ficar dependendo apenas de duas instituições para coordenar no estado inteiro a distribuição dessas cisternas quando na verdade está longe de atender a realidade da nossa região, é isso que nós não aceitamos e vamos lutar para que realmente o governo possa ver isso, os representantes do governo vejam que essa centralização está prejudicando, em muito, a questão dos nossos agricultores que precisam da construção dessas cisternas”, argumenta Joaquim ao dialogar com nossa equipe via emissoras e advertir o conjunto das representações presentes no encontro.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Cuité, Everaldo Andrade Costa, disse entender como possiblidade de tornar o trabalho eficiente e informou que na região de Cuité o trabalho está sendo feito pela ONG CEOP, de Picuí, conveniando um grande conjunto de municípios de toda aquela região do Curimataú. “Aqui nós fazemos nosso trabalho através da CEOP, são muitos municípios através de seus sindicatos, uma exceção é Baraúnas em que a gestora faz diálogo com agentes de saúde, associações dentre outras buscando fazer com que o trabalho não pare”, explica aquela liderança ao dialogar com Stúdio Rural e dizendo acreditar que, com a intervenção do sindicato no trabalho em cada município, muito mais famílias serão atendidas num menor espaço de tempo.

Paulo Medeiros Barreto é presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Barra de Santana, Cariri Oriental, participou do encontro e, ao dialogar com nossa equipe, disse acreditar que os sindicatos dos trabalhadores rurais já contam com excelente quando de componentes capacitados para trabalhar da questão previdenciária a todas as outras ações que digam respeito a melhor qualidade de vida dos agricultores e agricultoras na dinâmica da convivência com o semiárido e garante que naquela região nenhum sindicato está trabalhando a gestão de recursos dentro do processo de construção dessas implementações o que tem atrasado o processo de universalização dos recursos hídricos. “Aqui nessa região nós não temos sindicatos desenvolvendo a gestão desse trabalho e temos toda possiblidade de prestar um excelente trabalho”, justifica Barreto.

Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Programação do São João de Campina Grande sai dia 28 sem Aviões do Forró

Aesa prevê sábado com nebulosidade variável e possibilidade de chuvas Aesa prevê sábado com nebulosidade variável e possibilidade de chuvas

A programação principal do Maior São João do Mundo, que começará no dia 5 de junho, será divulgada no próximo dia 28. Cerca de 60% das atrações já estão definidas, e a prioridade será um equilíbrio entre os artistas nacionais e regionais. Entre as mudanças anunciadas pelo coordenador do evento, Temístocles Cabral, está mudanças no Layout e na acomodação da imprensa.

Temístocles Cabral, revela que dentre as novidades estará uma estrutura para o trabalho da imprensa e um novo espaço para a apresentação das quadrilhas. A antecipação do anúncio da grade de programação do Maior São João do Mundo, em relação a anos anteriores, tem o objetivo de permitir um maior período de divulgação regional e nacional do evento e facilitar que turistas possam programar sua participação no evento.

O coordenador não adiantou nenhuma atração da festa, mas o prefeito Romero Rodrigues (PSDB) já anunciou que bandas com cachês acima de R$ 150 mil como o caso da banda Aviões do Forró estará fora da programação. Temístocles Cabral informou que entre as mudanças já definidas está uma maior estrutura para facilitar a cobertura da imprensa, que além da estrutura montada na Rua da Imprensa, também poderá utilizar cabines que serão instaladas na parte superior do Centro Cultural Lourdes Ramalho.

Outra mudança anunciada acontecerá no layout do evento. Para destacar as apresentações das quadrilhas e de grupos folclóricos, será instalado um tablado em frente à réplica da Catedral, com uma estrutura cenográfica e camarins de apoio.

DEU NO BOIGA DO TIÃO: É o fraco!

Banner boca escancarada

Festival de Cultura Popular do Cariri começa nesta sexta-feira, em Monteiro

Aesa prevê sábado com nebulosidade variável e possibilidade de chuvas Aesa prevê sábado com nebulosidade variável e possibilidade de chuvas Aesa prevê sábado com nebulosidade variável e possibilidade de chuvas Aesa prevê sábado com nebulosidade variável e possibilidade de chuvas

O Festival de Cultural do Cariri Paraibano – Zabé da Loca, promovido pela Prefeitura Municipal de Monteiro tem início na noite desta sexta-feira (17) com show de Alexandre Pé de Serra, que estará lançando o CD “Duetos”

A apresentação de Alexandre Pé de Serra acontece às 21 horas, na Praça de Alimentação do Parque das Águas e terá ainda as participações de Nanado Alves, César Amaral, Osmando Silva, Thainá Campos, Maike José e Fernando Marques (Vozes do Forró).

No sábado, 18, dia da feira livre do município de Monteiro acontece o evento CULTURA NA FEIRA, ao lado do Centro Cultural Alexandre da Silva Brito, com apresentações dos Meninos de Zabé, Pai Vicente, João Badalo, João de Amélia, Zé Preto (Mazurca), Grupo de Ciranda, Banda de Pífano Mané de Joana, Banda de Pífano Zeca do Pio X e Ríver Douglas e os Bacamarteiros de Camalaú.

No sábado à noite, a partir das 20 horas, será realizada a III Noite da Poesia Sertaneja no Teatro Jansen Filho, quando será homenageado o poeta Espedito Pedro da Silva, mais conhecido por Espedito de Mocinha.

Durante a homenagem ao poeta Espedito de Mocinha haverá a apresentação da dupla de Violeiros Carlinhos da Prata e Zé de Jabitacá e as participações de poetas e declamadores, a exemplo de Agda Moura (Santa Cruz do Capibaribe), Lara Moura (Santa Cruz do Capibaribe), Júnior Cordel, Felipe Morais, Ismênia Thereza, Gaudêncio Pereira, Clóvis Ferreira e Elânia Lima.

A III Noite da Poesia Sertaneja será apresentada pelo poeta e declamador Felisardo Moura.

CAVALGADA DA INTEGRAÇÃO

No domingo, último dia do evento, acontece a IX Cavalgada da Integração com concentração no Parque da Embrapa a partir das 9 horas.

Os cavaleiros sairão do parque da Embrapa e seguirão pela avenida principal de Monteiro até a frente da Igreja Matriz, onde receberão as bênçãos do Padre José Marcos, seguindo para a comunidade rural do Tamanduá, Ipueira Funda, Santana e Barragem de São José, retornando ao parque da Embrapa, em Monteiro.

Após a cavalgada haverá as apresentações artísticas com Dejinha de Monteiro e da banda Forró Kent.

Matadouro da cidade de Prata é reformado após 30 anos sem investimentos

Caririzeiros direto de Brasília...

Prefeito de Prata visita aterros sanitários e analisa modelos para seu município

OLHO VIVO

DILMA: PRESIDENTA OU COMPANHEIRA?

Por Simorion Matos
simorionA grandeza de um estadista se conhece pelas suas posições em relação aos anseios e demandas da sociedade que ele governa.

No Brasil, o povo clama pela apuração do maior escândalo da história, envolvendo a PETROBRAS, antes símbolo de organização e orgulho verde-amarelo. Mas a economista Dilma Rousseff, primeira mulher a ser eleita e reeleita para a presidência da República em toda a história do Brasil, está a cada dia quebrando o seu discurso, contrariando a confiança que nela foi depositada pela maioria do povo brasileiro.

Com a sua prática política, nem parece a militante que integrou a luta armada de esquerda contra o regime militar, que ficou quase três anos presa e passou por sessões de tortura.

No encaminhamento da apuração das denúncias de corrupção envolvendo o PT, partido que ela integra desde 2001, Dilma não tem adotado a postura de magistrada que o povo espera da chefa de uma nação. A presidenta tem se conduzido mais como “companheira” defendendo ardorosamente seus colegas petistas e afirmando que os movimentos de populares contra a corrupção têm cunho político partidário. Como se todo o acontecimento fosse algo absolutamente normal.

CADA QUAL NO SEU CADA QUAL

O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador José Renato Nalini, criticou a ação de promotores, defensores e juízes que, segundo ele, têm impossibilitado as administrações municipais de cumprirem suas promessas e atenderem às metas estabelecidas, como no caso da paralisação das obras de ciclofaixas em São Paulo.

Segundo ele, quem tem competência para administrar uma cidade é o prefeito eleito democraticamente. Promotores, defensores públicos e até mesmo os juízes não são substitutos do prefeito. Se quiserem administrar a cidade, devem se filiar a um partido, disputar as eleições e ganhá-las.

Palavras da justiça!

EDUCAÇÃO POLÍTICA

O governador Ricardo Coutinho e o senador Cássio Cunha Lima, hoje adversários ferrenhos, deram uma aula de educação política.

Na manhã de quarta-feira, durante um evento. os algozes se cumprimentaram, para surpresa geral.

UMAS & OUTRAS

A resposta de Silva Brito aos burocratas do governo

Alexandre da Silva Brito, filho de São João do Cariri, foi um dos maiores líderes da política monteirense, prefeito por várias vezes.

Era um homem sem meias palavras, muito decidido e que não pensava duas vezes para dar uma resposta, mesmo que a sua positividade pudesse desagradar alguém.

Ano de 1980. O governador da Paraíba era Tarcísio Burity, com quem Silva Brito estava chateado, porque o seu governo não vinha atendendo as reivindicações do município. Quem conhecia o temperamento do prefeito sabia que na primeira oportunidade que tivesse, ele iria expressar aquela insatisfação.

Certa manhã do mês de março, estava este escrevinhador (na época, chefe de gabinete) com o prefeito, começando o expediente. A sala já estava cheia de gente.

De repente chega à prefeitura uma equipe formada por 3 pessoas do governo estadual. Fui recebê-las e informaram que eram da Secretaria da Educação. Disseram também que tinham vindo por determinação do governador, falar com o prefeito.

Apressei-me em conduzi-los ao gabinete. Ao recebê-los, o prefeito foi logo alfinetando:

- Espero que tenham trazido alguma coisa importante para o município.

Uma senhora que fazia parte da equipe, pensando em agradar, falou:

- Prefeito, o governador nos mandou aqui para fazermos um diagnóstico das carências educacionais do município, para que o governo possa planejar as ações de apoio.

Silva Brito fez que não entendeu direito e interrogou:

- E como vocês fazem esse diagnóstico?

- Nós iremos passar 2 dias visitando as escolas para identificar as demandas e faremos um relatório substanciado que será encaminhado ao Secretário da Educação, que por sua vez encaminhará ao governador.

Imediatamente, Silva Brito levantou-se e perguntou a eles se já tinham tomado café.

- Já, prefeito, não se preocupe.

De pé, estendendo a mão para os cumprimentos de despedida, o líder monteirense foi direto, dizendo:

- Vocês podem voltar agora pra João Pessoa que aqui a gente já sabe do que as escolas precisam. Digam ao governador que mande livros, cadernos, lápis, farda e merenda. E boa viagem.

Microempreendedores de Sumé participam de evento

Aesa prevê sábado com nebulosidade variável e possibilidade de chuvas Aesa prevê sábado com nebulosidade variável e possibilidade de chuvas

Empreendedores do Município de Sumé estão participando da Semana do Microempreendedor Individual que está acontecendo durante este mês de abril em várias cidades do Cariri, promovida pelo Sebrae-Monteiro.

A Semana do Empreendedor oferece cursos, palestras, orientação empresarial, oficinas e todo o menu de capacitação do Sebrae. Na quarta-feira (15), os microempreendedores de Sumé participaram, em Monteiro, da palestra do humorista Marcelo Piancó, cujo tema foi “Controlando tudo, menos o riso”.

Eles foram através de caravana organizada pela Sala do Empreedendor de Sumé, que leva os sumeenses ao evento pelo terceiro ano consecutivo.

No próximo dia 22, a Sala do Empreendedor de Sumé, junto com o Sebrae, também promovem a oficina “Sei vender e sei planejar”. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas na própria Sala, na sede da Prefeitura de Sumé.

O Município de Sumé foi o primeiro do Cariri a implantar a Lei Geral do Microempreendedor, em agosto de 2012, no início da implantação da Lei, haviam 25 pessoas formalizadas, hoje são cerca de 300.

Desde a sua implantação, várias ações vem sendo promovidas pela Sala para os microempreendedores sumeenses com cursos, palestras e orientação empresarial.

A Agente de Desenvolvimento do Cariri, Kiara Reuba, responsável pelos microempreendedores de Sumé, devido à boa atuação na cidade e incentivo ao empreendedorismo, foi convidada pelo Sebrae Nacional para participar do 3⁰ Encontro dos Municípios com Desenvolvimento Sustentável, que aconteceu em Brasília de 07 a 09 de abril. Participaram do evento 15 municípios paraibanos, do Cariri foram Sumé e São João do Tigre.

Criação de aves financiada pelo governo garante renda para famílias no Cariri

Aesa prevê sábado com nebulosidade variável e possibilidade de chuvas Aesa prevê sábado com nebulosidade variável e possibilidade de chuvas

Com recursos de apenas R$ 2.400,00 obtidos do Plano Brasil Sem Miséria, o agricultor Gilvan Amorim de Freitas, do Sítio Areal, em Sumé, no Cariri paraibano, três meses depois passou a ter uma melhor condição de vida com uma renda proveniente da criação de galinhas caipiras. Assessorada pela Emater-PB, empresa integrante da Gestão Unificada Emater/Emepa/Interpa, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, a família implantou um aviário onde mantém sua criação e, na semana passada, fez a primeira vendagem.

Mesmo ainda enfrentando algumas dificuldades porque as terras onde trabalha, uma área de 32 hectares pertencentes a sua irmã, Gilvan não desanima e tem como projeto para o futuro a compra da propriedade. Antes de decidir pela criação de galinhas, ele tinha sua renda proveniente de aluguel de pasto para os criadores da região, nem sempre dando bons resultados devido às estiagens prolongadas.

Foi quando, orientado por alguns amigos agricultores, procurou o escritório da Emater-PB em Sumé para saber como obter financiamento de um projeto produtivo nas terras de sua irmã. Feita uma avaliação da situação da propriedade, os extensionistas recomendaram a criação de galinhas caipira. Com os recursos de R$ 2.400,00 do Plano Brasil Sem Miséria construiu um aviário, adquiriu um lote de 200 pintainhos e três meses depois estava vendendo a produção. Na semana passada, fez a comercialização ao Programa de Aquisição de Alimentos.

Com a renda da produção de galinhas, mesmo tendo deixado algumas no criatório, teve um lucro líquido de R$ 2.388,00 com a venda de 150 galinhas, retirando as despesas de custos de produção de R$ 622,00.

Para o extensionista Geneilson Evangelista da Silva, do escritório da Emater em Sumé, com a escassez de chuvas do Cariri o agricultor buscou alternativa para melhorar a qualidade de vida da família, apesar de morar numa região com acesso difícil a água, encontrando na criação de galinhas uma saída, tendo em vista que se trata de um animal que consume pouca água. “Gradativamente, as políticas públicas estão chegando”, disse Geneilson.

Animado com o sucesso do empreendimento, Gilvan Freitas pretende fazer uma ampliação do projeto para a criação de galinhas de capoeira, utilizando a área em torno do aviário. “Isso vai ser possível com o auxílio dos técnicos da Emater porque desde o primeiro momento estão juntos de todos nós e quando precisamos, orientam e acompanham nosso trabalho”.

O que deixou os técnicos animados foi a baixa mortalidade de galinhas. De um plantel de 200 galinhas, apenas dez morreram. “Isso mostra que o agricultor seguiu corretamente o manejo”, destacou o extensionista.

Prefeitura de Sumé reajusta salário dos servidores municipais

[+]   POSTAGENS