::Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato ::PEGOU DESCENDO: Ministro do STF afasta Cunha do mandato na Câmara ::Camalaú investe mais de R$ 2 milhões em pavimentação, ampliação e escolas ::TRE-PB encerra cadastro eleitoral; saiba o que ainda pode ser feito ::Monteiro tem primeira morte pela gripe H1N1; população fica em alerta ::Campanha da vacinação contra a Gripe continua na cidade de Monteiro ::Globo Nordeste vai a Casa Progresso, em Monteiro, e grava com artistas da terra ::Parabéns para Marcos Gouveia, nesta data querida… ::Cássio apela ao Governo do Estado para que não abandone a AACD ::Adriano Galdino entrega obras no Cariri paraibano ao lado do governador Malves Supermercados

Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato

Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), perdeu o cargo na noite da última quarta-feira (4) por meio de uma liminar aceita pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), o que significa que ele ainda pode recorrer ao plenário da Casa. Quem assume o cargo temporariamente é o vice, o deputado Waldir Maranhão, do PP-MA, também citado na Lava Jato pelo doleiro Alberto Yousseff.

Maranhão teria sido um dos receptores de propina em nome de seu partido, o mais beneficiado pelo esquema, segundo as investigações da Polícia Federal. Maranhão nega.

Aliado de Cunha, o deputado decidiu em fevereiro anular a decisão do Conselho de Ética de investigar Cunha ao acolher um recurso apresentado pelo deputado Carlos Marun (PMDB-MS). Desta forma, o processo voltou praticamente ao início. Trata-se do processo mais longo da história do conselho.

Se Cunha acabar afastado definitivamente do cargo – seja pelo Supremo, seja pelo Conselho de Ética (que avalia se ele mentiu à CPI da Petrobras) – , o artigo 8º, parágrafo 2º do Regimento Interno da Casa determina que Maranhão precisa convocar novas eleições para a escolha de um novo presidente da Câmara: “Se até 30 de novembro do segundo ano de mandato verificar-se qualquer vaga na Mesa [Diretora], será ela preenchida mediante eleição, dentro de cinco sessões”, diz o texto. “Ocorrida a vacância depois dessa data, a Mesa designará um dos membros titulares para responder pelo cargo.”

Como Cunha – principal membro da Mesa Diretora – foi eleito no dia 1º de fevereiro de 2015, e está distante do dia 30 de novembro de seu segundo ano de mandato, Maranhão não poderia assumir o cargo definitivamente.

Afastamento de Cunha

O afastamento de Cunha foi feito pelo ministro do STF, Teori Zavascki, que concedeu uma liminar a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que classificou o peemedebista de “delinquente”. Segundo Janot, Cunha usaria o cargo de deputado e presidente da Câmara para intimidar agentes públicos, advogados, embaraçar e retardar as investigações contra ele.

O plenário do Supremo iria se reunir ainda hoje para analisar o mérito de um pedido feito pelo partido Rede Sustentabilidade para que ele fosse afastado do cargo. Com a decisão de Zavascki, no entanto, a audiência foi cancelada. Como a decisão do ministro é monocrática, Cunha pode recorrer ao plenário da Corte para que o seu caso seja analisado por todos os 11 ministros.

Banner Coringa Banner Coringa

PEGOU DESCENDO: Ministro do STF afasta Cunha do mandato na Câmara

Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato, determinou o afastamento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), do mandato de deputado federal e, consequentemente, da presidência da Casa. A decisão de Teori é liminar (provisória).

Um oficial de Justiça foi à residência oficial do presidente da Câmara logo no início da manhã para entregar a notificação para Cunha.

O ministro Teori concedeu a liminar em ação pedida pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em dezembro, que argumentou que Cunha estava atrapalhando as investigações da Lava Jato, na qual o deputado é réu em uma ação e investigado em vários procedimentos. Para a tarde desta quinta, está marcada uma sessão no plenário do STF para discutir outra ação sobre Cunha, apresentada pela Rede. O partido pede que Cunha seja afastado da presidência da Câmara.

Segundo o ministro, a medida visa neutralizar os riscos apontados por Janot no pedido de afastamento de Cunha. Quem assume a presidência da Câmara agora é o deputado Waldir Maranhão (PP-MA), vice-presidente da Casa e aliado de Cunha.

Apesar da suspensão do mandato, Cunha mantém os direitos de parlamentar, como o foro privilegiado. Teori destacou que a Constituição assegura ao Congresso Nacional a decisão sobre a perda definitiva do cargo de um parlamentar, mesmo que ele tenha sido condenado pela Justiça sem mais direito a recursos.

Procurado pelo G1, Eduardo Cunha ainda não havia se manifestado até a última atualização desta reportagem. .A assessoria de imprensa da Presidência da Câmara informou que ele recebeu a notificação.

Ao pedir o afastamento de Cunha, em dezembro, o procurador-geral apontou motivos para afirmar que o deputado usou o cargo para “destruir provas, pressionar testemunhas, intimidar vítimas ou obstruir as investigações de qualquer modo”.

Em seu despacho, Teori explica que a decisão foi tomada quase cinco meses após o pedido porque foi preciso colher a defesa de Cunha. Ponderou, no entanto, que a medida não significa um “juízo de culpa” nem como “veredicto de condenação”.

Ao final da decisão, diz que, embora o afastamento não esteja previsto especificamente na Constituição, se faz necessário neste caso específico.

“Decide-se aqui uma situação extraordinária, excepcional e, por isso, pontual e individualizada”, escreveu o ministro. Ele destacou ainda que o “imponderável legitima avanços civilizatórios” endossados pela Justiça.

“Mesmo que não haja previsão específica, com assento constitucional, a respeito do afastamento, pela jurisdição criminal, de parlamentares do exercício de seu mandato, ou a imposição de afastamento do Presidente da Câmara dos Deputados quando o seu ocupante venha a ser processado criminalmente, está demonstrado que, no caso, ambas se fazem claramente devidas. A medida postulada é, portanto, necessária, adequada e suficiente para neutralizar os riscos descritos pelo Procurador-Geral da República”, escreveu o ministro.

OAB
Em nota, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cláudio Lamachia, disse que a entidade “comemora a decisão liminar concedida pelo ministro Teori Zavaski”.

“O Pleno da OAB (instância máxima de decisão da entidade, formada por 81 conselheiros, recomenda o afastamento de Eduardo Cunha da presidência da Câmara desde fevereiro por entender que o deputado usa o cargo para atrapalhar o trabalho dos órgãos e instituições incumbidos de investigá-lo. O afastamento determinado pelo ministro Teori Zavascki contribui para o bom e correto funcionamento dessas instituições”, afirmou Lamachia na nota.

Veja quais foram os pontos listados por Janot para afastamento de Cunha:

1- Eduardo Cunha fez uso de requerimentos para pressionar pagamento de propina do empresário Júlio Camargo e o grupo Mitsui. Já havia casos de requerimento para pressionar dirigentes de empresas de petróleo

2 – Eduardo Cunha estava por trás de requerimentos e convocações feitas a fim de pressionar donos do grupo Schahin com apoio do doleiro Lúcio Funaro. Depoimentos de Salim Schahin confirmam isso. Lúcio Funaro pagou parte de carros em nome da empresa C3 Produções Artísticas, que pertence à família de Cunha

3 – Eduardo Cunha atuou para convocar a advogada Beatriz Catta Preta na CPI da Petrobras para “intimidar quem ousou contrariar seus interesses”

4 – Eduardo Cunha atuou para contratação da empresa de espionagem Kroll pela CPI da Petrobras, “empresa de investigação financeira com atuação controvertida no Brasil”

5 – Eduardo Cunha usou a CPI para convocação de parentes de Alberto Youssef, como forma de pressão

6 – Eduardo Cunha abusou do poder com a finalidade de mudar a lei impedir que um delator corrija o depoimento

7 – Eduardo Cunha mostrou que retalia quem o contraria com a demissão do diretor de informática da Câmara, Luiz Eira

8 – Eduardo Cunha usou cargo de deputado para receber vantagens indevidas para aprovar parte de medida provisória de interesse do banco BTG

9 – Eduardo Cunha fez “manobras espúrias” para evitar investigação na Câmara com obstrução da pauta com intuito de se beneficiar

10 – Eduardo Cunha fez ameaças ao deputado Fausto Pinato (PRB-SP), ex-relator do processo de cassação no Conselho de Ética da Câmara

11 – Eduardo Cunha teria voltado a reiterar ameaças a Fausto Pinato

Camalaú investe mais de R$ 2 milhões em pavimentação, ampliação e escolas

Banner Prefeitura Educação

TRE-PB encerra cadastro eleitoral; saiba o que ainda pode ser feito

biometriamonteiroO Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba encerra nesta quarta-feira (4) o cadastro eleitoral para as eleições municipais de 2016 em todo o Estado. Esta é a data-limite para tirar o primeiro título de eleitor, solicitar transferência de domicílio eleitoral e pedir a alteração de endereço no título no caso de mudança de residência dentro do mesmo município. Também é prazo para que o eleitor com deficiência ou mobilidade reduzida solicite transferência para uma seção eleitoral especial.

O eleitor que não procurou a Justiça Eleitoral dentro do prazo só poderá se regularizar ou fazer qualquer alteração quando o cadastro for reaberto, após o segundo turno das eleições deste ano. O único serviço disponível será a emissão de segunda via de título eleitoral, que poderá ser feita até dez dias antes da eleição, no cartório eleitoral.

Segundo o presidente do TRE-PB, desembargador José Aurélio da Cruz, o fechamento do cadastro eleitoral está previsto na Lei nº 9.504/97 e ocorre porque o Tribunal Superior Eleitoral precisar fazer o processamento dos dados de eleitores aptos a votar em 2016. “Como foi amplamente divulgado durante este ano, o cadastro se encerra e não haverá prorrogação. A liberação para realização desses procedimentos eleitorais aconteceu em novembro de 2014, dando tempo suficiente para o eleitor regularizar sua situação perante a Justiça Eleitoral”, disse o presidente.

De janeiro de 2016 até essa terça-feira (3), 356.606 atendimentos foram realizados na Paraíba. Deste número, 79.510 eleitores fizeram alistamento eleitoral (primeira via de título) e 62.562 realizaram transferência de títulos.

De acordo com informações do TSE, em meados de julho, a Corregedoria-Geral Eleitoral deverá divulgar os dados oficiais sobre o eleitorado habilitado para votar no pleito do dia 2 de outubro.

Monteiro tem primeira morte pela gripe H1N1; população fica em alerta

Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato

A cidade de Monteiro registrou o primeiro caso de morte pela gripe H1N1, tendo como vítima uma jovem de 19 anos. Em toda a Paraíba já são sete mortes confirmadas pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) em um boletim divulgado nesta quarta-feira (4). Os dados correspondem ao período de 1º de janeiro a 30 de abril deste ano (17ª Semana Epidemiológica). O boletim releva ainda que 14 mortes seguem em investigação.

As mortes pelo vírus H1N1 na Paraíba foram registradas nos municípios de Alagoinha (1), Baía da Traição (1), Cacimba de Dentro (1), Campina Grande (1) João Pessoa (1), Maturéia (1) e Monteiro (1).

No país já foram registradas 290 mortes por H1N1 este ano até o dia 23 de abril, segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde na terça-feira (3).

Até o mesmo período, na Paraíba, segundo o boletim, foram notificados 118 casos.  Destes, onze foram confirmados e 14 descartados. Os demais seguem em investigação.

De acordo com gerente de Vigilância Epidemiológica da SES, Izabel Sarmento, nota-se um aumento considerável do número de casos se comparado ao ano de 2015, quando tinham sido notificados 12 casos, entre eles, apenas um caso identificado com o vírus influenza A (H1N1).

Entretanto, Izabel ressalta que com o aumento das chuvas, é natural que a síndrome gripal apareça e o número de casos está dentro do esperado para esta época do ano.

A SES recomenda à população e a todos os serviços de saúde que sejam intensificadas as ações de prevenção e controle da influenza. “Para prevenir, é fundamental a lavagem frequente das mãos, evitar locais com aglomeração de pessoas, evitar ir ao trabalho com quadro gripal nas primeiras 48 horas, evitar levar crianças com gripe para a escola”, orientou Izabel Sarmento.

Vacinação
A campanha de vacinação contra a influenza começou oficialmente no dia 30 de abril e vai até 20 de maio. A vacina tem duração de um ano e não previne a doença – a imunização previne complicações que a gripe pode causar, como síndromes e hospitalizações.

No Estado, a população do grupo prioritário é de 946.103 pessoas e a meta é vacinar pelo menos 80% (759.280 pessoas). Até o momento, foram imunizadas 268.860 pessoas contra a influenza na Paraíba, número que representa 31,51% da meta.

Campanha da vacinação contra a Gripe continua na cidade de Monteiro

Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato

Foi dado início no último sábado, dia 30 de abril, a campanha de vacinação contra a gripe em todo país. Na cidade de Monteiro todos os PSFs foram abertos às 8 horas da manhã para que toda população que faz parte dos grupos prioritários pudessem ter acesso, inclusive com um ponto no centro da cidade onde fica localizado a sede da Vigilância Sanitária, próximo a Igreja Matriz.

A vacina contra gripe é segura e tem como seu principal objetivo reduzir as complicações que podem produzir casos graves da doença, internações ou, até mesmo, óbitos. A meta é vacinar, em todo o Brasil, quase 50 milhões de pessoas até o dia 20 de maio. Na Paraíba foram recebidas 630 mil doses da vacina trivalente contra a gripe.

Em Monteiro a meta de vacinação é de 7.631 pessoas. Até agora foram vacinadas cerca de 4 mil pessoas, e, segundo a Secretária de Saúde Viviane Ferreira o município ainda espera receber mais doses da vacina. “Sábado foi o Dia D, mas a campanha vai continuar até o dia 20 de maio. Aguardamos do Ministério da Saúde o envio de mais doses nas próximas semanas para atendermos 100% os grupos prioritários”.

Com a preocupação de não contrair o vírus da gripe a aposentada Maria Amélia, 80 anos, vacinada no PSF 08 disse: “Desde que comecei a tomar a vacina todos os anos nunca mais fiquei gripada. É muito bom saber que a Secretaria de Saúde de Monteiro se preocupa com a gente. Já chamei os conhecidos para vir tomar a vacina e ficar livre da doença”.

Esta dose da vacina protege contra três subtipos do vírus da gripe, o AH1N1, o AH3N2 e o Influenza B. Pessoas com mais de 60 anos; crianças de seis meses até cinco anos; grávidas; mulheres que tiveram bebê recentemente, há até 45 dias; profissionais de saúde e doentes crônicos, como cardíacos e diabéticos têm o direito a vacina. Quem é doente crônico deve levar o receituário médico aos postos de saúde. Para os demais, documento de identidade e carteira de vacinação das crianças.

A vacinação continua

A meta de vacinação para a cidade de Monteiro é de 80% da população, que compreendem 4.464 idosos, 2.113 crianças, 622 trabalhadores, 371 gestantes e 61 puérperas (mulheres que tiveram bebês até 45 dias atrás).

A campanha segue até o dia 20 deste mês de maio e o grupo que mais procurou a vacinação foram pessoas que fazem uso contínuo de medicamentos como diabéticos e hipertensos. A Secretaria de Saúde ainda receberá mais doses da vacina nos próximos dias para que todos possam ser imunizados.

A secretária de Saúde, Viviane Ferreira, revelou que mais de 50% da população da cidade de Monteiro já está imune aos vírus AH1N1, o AH3N2 e o Influenza B. “Se você faz parte dos grupos prioritários busque um dos 11 PSFs que seja mais próximo de você”, alerta a secretária.

Globo Nordeste vai a Casa Progresso, em Monteiro, e grava com artistas da terra

Cássio apela ao Governo do Estado para que não abandone a AACD

cassiocriseO senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) está profundamente preocupado com a possibilidade de a Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD) encerrar as suas atividades em Campina Grande, após já ser, em poucos anos de funcionamento, uma referência no apoio para milhares de pessoas portadoras de deficiência física em toda a região. Ele cobrou veementemente aos responsáveis do governo estadual que a destinação de recursos à AACD não sejam suspensas e que sejam todas regularizadas.

“A AACD pertence ao povo da Paraíba e foi conquistada a partir da união de todos mas não pode ficar à mercê da boa vontade de quem está no governo. Os beneficiários não podem, sob hipótese alguma, sofrer qualquer tipo de solução de continuidade nos seus tratamentos que são fundamentais para a sua qualidade de vida”, lamentou.

Cássio lembrou que tem destinado à AACD emendas parlamentares anualmente para o apoio à Instituição. “Todos os anos faço questão de destinar emendas individuais para entidades filantrópicas de reconhecido valor social, tais como a Vila Vicentina, Casa do Menino, Instituto São Vicente de Paulo, Casa da Criança Dr. João Moura, Associação de Pais e Amigos (APAE) das cidades de Patos, João Pessoa e Campina Grande, além da própria AACD, que tem sido contemplada com emendas anuais de minha iniciativa da ordem de 300 mil reais”.

Para o senador, é imprescindível uma luta de toda a sociedade paraibana, e em especial do povo de Campina Grande, para que mais essa perseguição contra a cidade não seja efetivada. “É preciso o engajamento das entidades que lutam historicamente pela cidade como Associação Comercial CDL, Fiep, Clubes de Mães e Sociedades dos Amigos dos Bairros, além de ampla divulgação da imprensa.

Adriano Galdino entrega obras no Cariri paraibano ao lado do governador

Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Adriano Galdino, participou, nesta quarta-feira (4), acompanhando o governador Ricardo Coutinho e da vice-governadora Lígia Feliciano, de inaugurações de obras que aconteceram no Cariri paraibano. Estiveram presentes os secretários de governo João Azevedo, secretário de Infraestrutura, Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Ciência e Tecnologia (SEIRHMACT); Carlos Pereira, superintendente do Departamento de Estradas e Rodagens (DER); e o deputado estadual João Gonçalves.

O deputado Adriano Galdino destacou a sensibilidade do governador em se mostrar sempre preocupado com necessidades das regiões mais carentes. “É uma alegria viver momentos como esse em todo o estado da Paraíba. A partir do governo Ricardo Coutinho, a lógica de investimento mudou. Os recursos agora chegam nas pequenas cidades, levando desenvolvimento e qualidade de vida para a população, mostrando o compromisso desse governo para com o nosso povo”, destacou.

Agradecido por cada demonstração de carinho, Ricardo Coutinho atribuiu o mérito das obras concluídas às parcerias firmadas com o Governo do Estado. “Esse programa de dessalinização é resultado de uma parceria com o Governo Federal, através da nossa presidenta Dilma. Nessa região do Cariri, a água precisa de tratamento por ser um pouco salgada. Só posso me sentir feliz por dar autonomia e potencializar as comunidade. Na Paraíba nós estamos instalando 93 projetos de Dessalinização e outras 100 fazem parte do nosso planejamento”, disse o governador, que finalizou o discurso destacando a importância de um olhar igualitários para as cidades e regiões do estado.

As inaugurações foram iniciadas em Serra Branca, no Sítio Ligeiro, situada nas margens da PB-200, no quilômetro 7. A solenidade foi marcada pela entrega da implantação de Sistemas de Dessalinização da Paraíba – Projeto Água Doce, um investimento de aproximadamente R$108 mil, que passou a oferecer água tratada para a população do Cariri paraibano, beneficiando 63 famílias.

Os representantes do governo e do poder legislativo foram recepcionadas pela comunidade, que agradeceu o investimento. “A última coisa que morre é a esperança, e nós, moradores do Cariri, sabemos bem o que é isso. Já chegou época de precisarmos buscar água em Serra Branca, um pouco distante do sítio Ligeiro, mas agora tudo muda para melhor”, disse Helano Antonino, sócio-fundador da Associação Comunitária de Desenvolvimento de Ligeiro, onde mora há mais de 50 anos.

O segundo momento da agenda se deu no município de Coxixola, no Ginásio de Esportes Antônio Marcos de Souza, no centro da cidade. O governador anunciou a conclusão das obras na PB-200, que liga Coxixola à Serra Branca, e na ocasião, Ricardo Coutinho recebeu o título de cidadão coxixolense.

Já em Parari, o governo inaugurou as obras de pavimentação asfaltica da PB-200, no entroncamento da PB-148, onde o governo investiu cerca de R$ 12 milhões. Esta é a 40 cidade a sair do isolamento por meio de rodovias pavimentadas construídas pelo governo do estado dentro do programa caminhos da Paraíba, através do Departamento de Estradas e Rodagens (DER). “Em 2011, quando o governador foi eleito, uma das reuniões que tive com ele foi sobre o isolamento da cidade de Parari. O Governo não precisou prometer, e hoje Parari recebe o número 40 das cidades que foram interligadas por meio de rodovias”, frisou Carlos Pereira, superintendente do DER.

Ainda em Parari, o governo entregou mais uma implantação do Sistemas de Dessalinização da Paraíba – Projeto Água Doce. O secretário de Infraestrutura, Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Ciência e Tecnologia (SEIRHMACT), João Azevedo, explicou que esse projeto é importante por que “permite o acesso à agua, através da instalação de poços. O excesso de sal na água é retirado, e a água que sai do equipamento é de excelente qualidade comparada às melhores águas que temos na nossa Paraíba”, comentou.

Governo do Estado inaugura Casa da Cidadania em Sumé e escola em Prata

Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato

O governador Ricardo Coutinho realizou uma extensa agenda de visitas e inaugurações durante todo o dia desta terça-feira (3). Após entrega de equipamentos e inauguração de estrada, o governador inaugurou a Escola Municipal Irene de Souza Ramos no município de Prata, através do Pacto Social, e a Casa da Cidadania de Sumé.

As solenidade de inauguração da Escola Municipal Irene de Souza Ramos e do Centro de Educação e Atividades Integradas Joel Gonçalves Bezerra, ambos realizados por meio do Pacto pelo Desenvolvimento Social da Paraíba (Pacto Social), foram realizadas à tarde. A Escola teve investimento de R$ 560 mil e o Centro de Educação R$ 270 mil, beneficiando mais de 3.800 pessoas da cidade e entorno.

O Pacto Social é uma parceria entre o Governo do Estado e as prefeituras para aumentar a qualidade de vida dos cidadãos paraibanos, seu cotidiano nas escolas, hospitais e outros segmentos. Ricardo esteve acompanhado da vice-governadora Lígia Feliciano e pelo prefeito de Prata, Antônio Costa Nóbrega Júnior.

“Esta foi uma parceria com bom resultado com a prefeitura. Aqui, vi uma ótima escola, com boa infraestrutura, espaços preservados, bom quadro, salas de aula amplas. É bom estar aqui e ver que mesmo em meio à crise, inauguramos obras, autorizamos outras e tocamos nossa vida. A situação está difícil, mas a Paraíba é um dos poucos estados que continuam pagando seus funcionários em dia e tentamos continuar nossas ações”, relatou Ricardo Coutinho.

Casa da Cidadania – A agenda de inaugurações terminou na cidade de Sumé, onde o governador inaugurou a Casa de Cidadania José Farias Braga, acompanhado do prefeito do município, Francisco Duarte Silva Neto. A Casa da Cidadania é realizada por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (SEDH) e é um programa estadual que começou em 2001, regulamentado pela Lei nº 8.186/2001, que desde a sua criação oferece a prestação de serviços de vários órgãos do Governo Federal, Estadual, Municipal e da iniciativa privada em um único ambiente, contribuindo assim para a promoção de cidadania.

O programa hoje é formado por uma Gerência Executiva e 19 Gerências Operacionais, distribuídas da seguinte forma: Casa da Cidadania de Alhandra, Bayeux, Cuité Cabedelo, Campina Grande, Cajazeiras, Guarabira, Itaporanga, Jaguaribe, Mangabeira, Manaíra, Patos, Piancó, Pombal, Santa Rita, Sapé, São Bento, Sousa e Tambiá. Com a inauguração da Casa da Cidadania de Sumé serão 20 Casas.

No período de 2012 a 2016 foram inauguradas 13 Casas da Cidadania: Alhandra, Bayeux, Cajazeiras, Itaporanga, Mangabeira, Piancó, Pombal, Sapé, Sousa, Santa Rita, Cuité, São Bento e agora, Sumé, que está localizada na Avenida Primeiro de Abril, Centro.

A Casa da Cidadania de Sumé disponibilizará os serviços de oito órgãos parceiros: SRTE/PB (Carteira de Trabalho), Receita Federal (CPF), IPC (1ª e 2ª Vias de RG), Procon, Cagepa, Junta de Serviço Militar, Sala do Empreendedor (prefeitura) e Pagfácil, que irão atender não somente a população de Sumé, mais de outros municípios vizinhos como Amparo, Camalaú, Prata, Caiçara, Congo, Ouro Velho, Livramento, Monteiro e Salgadinho.

O dia de atividades terminou com a plenária do Orçamento Democrático (OD) na cidade de Sumé, na escola Professor José G. de Queiroz, encerrando assim o terceiro bloco do OD 2016.

Banner Efigenio

Tristeza e comoção no sepultamento de mãe e filho em Monteiro

Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato

A tristeza e comoção tomaram conta da população de Monteiro na manhã desta quarta-feira (4) quando do sepultamento da senhora Maria Edileusa Vasconcelos e Eliomarcos da Silva Vasconcelos, mortos durante um acidente de carro ocorrido na última segunda-feira.

Os corpos foram velados na comunidade rural de Cacimba de Cima, município de Monteiro, na residência do viúvo e pai das vítimas, o ex-vereador Genival Vasconcelos (Geninho), e na manhã desta quarta-feira seguiram em cortejo até o cemitério municipal de Monteiro, onde foram sepultados.

Durante o trajeto os corpos seguiram em um carro funerário acompanhado por centenas de veículos e motos e percorreram a avenida principal da cidade. Durante o percurso os estabelecimentos comerciais fecharam as portas e muitos moradores saíram às portas de suas residências para assistirem a passagem do cortejo.

O ACIDENTE

Eliomarcos retornava de uma viagem à cidade de Campina Grande conduzindo quatro passageiros, entre eles sua mãe Edileuza Vasconcelos e a secretária de Infraestrutura do município, Beatrice Moreira, quando na BR-412 entre a Praça do Meio do Mundo e a cidade de Boa Vista um veículo tipo Corsa invadiu a contramão e bateu de frente com o Meriva pertencente à Prefeitura de Monteiro.

Eliomarcos Vasconcelos ficou preso às ferragens e faleceu antes de ser socorrido por uma unidade do SAMU. Sua mãe Edileuza chegou a ser socorrida para o Hospital de Trauma de Campina Grande, mas, não resistiu aos ferimentos e faleceu após se submeter a processo cirúrgico.

A secretária de Infraestrutura Beatrice Moreira também chegou a ser socorrida pra o Hospital de Trauma, mas, no período da noite recebeu alta e passa bem.

A quarta vítima do acidente, uma agente de saúde do município de Monteiro identificada por Assunção, sofreu ferimentos graves e foi cirurgiada no Hospital de Trauma de Campina Grande, e encontrava-se internada na UTI até o início da noite desta terça-feira. (Vitrine do Cariri)

Vereador de Soledade cobra repasses do Governo do Estado à AACD

aacdO vereador soledadense, Hélio José Gouveia Barros, preocupado com o anúncio do encerramento das atividades da AACD em Campina Grande, utilizou a tribuna da Câmara para defender requerimento em que ele pede ao Governador do estado, Ricardo Coutinho a manutenção dos repasses à associação.

Hélio justificou o pedido mostrando preocupação com o apoio às crianças com necessidades especiais na região. “infelizmente as nossas crianças especiais na Paraíba e na região vão perder o seu maior ponto de apoio que existe no estado”, se expressou. O vereador ainda relembrou o apoio anunciado pelo Governo do Estado e da Prefeitura de Campina Grande na ocasião da inauguração da AACD, o que não está sendo cumprido. Hélio cobrou também atitudes do governador Ricardo Coutinho no sentido de que volte a fazer os repasses à AACD. “E quero chamar também a atenção do Senhor Governador Ricardo Coutinho. Me sinto no direito, até por ter votado nele. Também não está fazendo os repasses necessários e garantidos naquele dia e acho que o pessoal só foi à TV e aproveitar que em 2011, um ano antes da política, pra se promover porque as garantias nenhuma está sendo feita nem os repasses”, opinou.

Justificando ainda o seu requerimento o Vereador Hélio de Marcílio, como é conhecido, disse estar revoltado com a situação por conhecer de perto o trabalho da AACD e a necessidade das crianças que dependem dos seus serviços por ser pai de uma criança especial. “Hoje graças a Deus eu tenho condições de procurar outros meios mas sinto pelas pessoas carentes, principalmente daqui de Soledade que tem o desafio de criar uma criança especial. Onde vão conseguir apoio? Porque a AACD, eu sou testemunha, que além de tudo, tem um carinho grande em cuidar das crianças lá”, desabafou.

O requerimento foi aprovado por unanimidade e além de apresentar o requerimento e discursar na Tribuna, Hélio participou de protesto realizado na última terça-feira pela manutenção da AACD em Campina Grande.

Caminhão carregado com bois tomba na estrada entre Prata e Ouro Velho

A última semana de Dilma: "agenda cheia e clima de derrota"

Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato

A uma semana da votação em plenário no Senado que deve confirmar seu afastamento da Presidência da República, Dilma Rousseff turbinou a agenda de compromissos oficiais – mas o clima de derrota é indisfarçável nos corredores do Planalto. Aliados da petista já admitem “resignação” diante de outro iminente fracasso no Congresso. Oficialmente, contudo, o discurso segue firme na já combalida versão de ‘golpe’ contra o governo Dilma.

Interlocutores da presidente também reconhecem, nos bastidores, que a proposta de antecipar as eleições presidenciais por meio de uma Proposta de Emenda Constitucional – uma afronta à Constituição – serve apenas como “recurso retórico” para tentar desgastar a imagem do vice-presidente Michel Temer (PMDB).

Um aliado de Dilma com trânsito no Congresso disse a proposta não tem cabimento jurídico: “É uma maluquice”. A tese sequer une os parlamentares do PT e encontra resistência em movimentos sociais de apoio ao governo. Dilma parece tê-la abandonado de vez: ela rejeitou nesta terça-feira renunciar e disse que a “vítima não desaparecerá”.

Enquanto em alguns gabinetes funcionários comissionados já começaram a preparar as caixas, conforme relata reportagem de VEJA desta semana, os ministros de Dilma preparam discursos no estilo fim de mandato e tentam entregar tudo o que for possível enquanto permanecem no cargo.

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias (PT), serve como exemplo: anunciou numa só cerimônia uma série de ações ligadas ao Plano Safra da Agricultura Familiar e falou por quase 50 minutos nesta terça, inclusive sobre políticas implantadas desde o primeiro governo do ex-presidente Lula.

Também é sintomático o breve diálogo testemunhado pelo site de VEJA entre o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), e a ex-ministra Eleonora Menicucci, rebaixada para a Secretaria Especial da Políticas para Mulheres com a última reforma ministerial. Eles se cumprimentaram e ela logo sugeriu agendarem uma data para inaugurar um edifício ligado à pasta no Estado – estava em construção em São Luís (MA) uma Casa da Mulher Brasileira. “Vamos dar um jeito de inaugurar logo aquele prédio e colocar o nome na placa. Não vamos deixar nada para o Temer”.

O ministro da Justiça, Eugênio Aragão, disse que os senadores desconsideram a argumentação jurídica de mérito e as ponderações da defesa. E capricha no discurso de vitimização. “Para quem está de fora, parece um jogo de cartas marcadas. O resultado para eles está na mesa, o vice-presidente está montando um gabinete definitivo, falando de políticas e de rever medidas provisórias”, disse. “Tanto faz passar o rolo compressor do voto vil e ilegítimo no Congresso, quanto passar o coturno em cima do governo. É violência do mesmo jeito. O coturno é tão violento quanto a Constituição rasgada pelas instituições”. O argumento ignora que o impeachment é um instrumento previsto na Carta Magna do país.

Para Aragão, Temer lida com “avidez excessiva” com a chegada do momento de assumir o governo interinamente e deveria ter mais “humildade”. “Ele não está ungido pelo voto popular e quem está não foi ainda destituído. Ele deveria pelo menos manter os eixos do governo. Ele está lá de visitante, esquentando uma cadeira, não mais do que isso”, disse, em referência ao julgamento da presidente, previsto para setembro. Ao contrário da votação da próxima quarta-feira, ainda não há votos suficientes para o impedimento da presidente no Senado.

Dilma participou de três cerimônias públicas nesta terça-feira e terminou o dia cansada e visivelmente abatida. Duas delas eram relacionadas aos Jogos Olímpicos Rio-2016, e Dilma abordou de maneira superficial temas políticos no discurso, sempre com semblante sisudo. Ela voltou a dizer que se sente “injustiçada” e uma “vítima”.

No meio do dia, porém, o salão principal do Palácio do Planalto foi tomado por dezenas de aliados da presidente, servidores e trabalhadores. Houve gritos de apoio e a repetição do mantra “contra o golpe” – mas eles foram menos contundentes do que nas semanas antes da aprovação do impeachment na Câmara, quando Dilma fez da Presidência um bunker para comícios políticos.

Até a próxima semana, Dilma ainda estuda fazer algumas viagens pelo país. Na quinta-feira, a pauta é a Usina de Belo Monte, no Pará. Ela pode ir ao Nordeste na sexta, para uma agenda relacionada à transposição do Rio São Francisco, e a Goiânia, na próxima segunda-feira, para inaugurar obras no aeroporto local.

Veja

NESTA MADRUGADA: Agência dos Correios é explodida em Santo André

Instituto desenvolve larvicida contra o Aedes aegypti em Campina Grande

Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato Novo presidente da Câmara é aliado de Cunha e investigado pela Lava Jato

Pesquisadores do Instituto Nacional do Semiárido (Insa) em Campina Grande desenvolveram um óleo feito a base da umburana – uma árvore típica de regiões secas – que ajuda no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue, zika e chikungunya.

A pesquisa foi feita pelo Insa em parceria com a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Os estudos começaram em 2011, quando foram colhidas amostras de 20 plantas. Os óleos essenciais produzidos a partir dessas plantas foram testados como larvicidas. Três delas apresentaram resultado positivo: a umburana, a cutia e o coco catolé.

“A gente já comprovou a eficácia dos compostos bioquímicos contra as larvas do mosquito e os próximos passos são isolar os compostos que estão presentes no óleo, nos extratos, e, a partir daí, testar esses compostos isoladamente e ainda garantir que esses compostos não causem danos biológicos em outros organismos, como mamíferos e outros vertebrados”, comentou o pesquisador Alexandre Gomes.

As folhas da umburana colhidas na região são moídas e passam por um processo químico que permite a extração dos óleos onde estão concentrados todos os compostos da planta. O produto é aplicado em amostras contendo larvas do Aedes aegypti e parte delas fica paralisada com o efeito larvicida.

“A gente comprova a ação, mas a gente não tem o produto em si. O próximo passo é elaborar uma formulação contendo esses compostos bioquímicos para que isso possa ser disponibilizado no mercado”, explicou Gomes.

Homem morre após ser ferido por tiro na zona rural de Soledade

soledadeentradaUm homem de 66 anos morreu no Hospital Regional de Juazeirinho, no Cariri paraibano, depois de ser ferido por um tiro na zona rural do município. O caso aconteceu na tarde de terça-feira (3) e a vítima foi socorrida por moradores, mas morreu momentos depois de começar a receber atendimento médico.

Segundo o Centro Integrado de Operações da Polícia Militar (Ciop), o idoso foi encontrado por moradores ferido às margens de uma estrada vicinal no sítio Palestina, por volta das 14h.

No local, os moradores não souberam informar aos policiais o que aconteceu. Entretanto, segundo a Polícia Militar, algumas pessoas informaram que havia três homens que estavam transitando pelo sítio em atitude suspeita.

O homem foi ferido na virilha direita e não resistiu. O caso será investigado pela Polícia Civil. Ainda na tarde de terça-feira foram inciadas buscas, mas até 7h desta quarta-feira (4) nenhum suspeito foi preso.

Três mortes em dois dias
Duas pessoas tinham sido assassinadas na cidade de Soledade, também no Cariri, na segunda-feira (2). Os crimes aconteceram na zona rural do município e, segundo o Ciop, não está descartada a possibilidade de relação entre estes dois casos. De acordo com o relato de testemunhas, as vítimas eram amigas.

Conforme o Ciop, o primeiro homicídio foi registrado por volta das 6h, quando um homem de 22 anos foi encontrado morto com ferimentos de tiros. Já por volta das 14h, outro homem de 28 anos foi encontrado morto no município, com vários ferimentos de arma de fogo pelo corpo.

PÂNICO EM JUAZEIRINHO: Bandidos invadem escola e assaltam alunos

[+]   POSTAGENS