::Com vocês, o ‘disco voador’ que apareceu na cidade de Zabelê… ::Câmara decide manter coligação partidária nas eleições de deputado e vereador ::OLHO VIVO ::São Pedro de São José dos Cordeiros terá Solteirões, Amazan, Karkará e muito mais ::Prefeitos do Cariri participam de reunião com a bancada federal e ministro no DF ::Parada Gay de Monteiro é cancelada após duras críticas da Igreja Católica ::Incêndio em aterro sanitário provoca nuvem de fumaça em Monteiro; fotos ::Polícia prende albergado, suspeito de furto em Monteiro ::Prefeitura de Monteiro antecipa pagamento dos servidores para esta sexta ::Pároco de Monteiro diz que igreja não apoia parada gay em Monteiro Malves Supermercados

Com vocês, o 'disco voador' que apareceu na cidade de Zabelê...

Banner Coringa Banner Coringa

Câmara decide manter coligação partidária nas eleições de deputado e vereador

camaraaprovadeputadosA Câmara dos Deputados decidiu nesta quinta-feira (28) manter a coligação entre partidos nas eleições proporcionais, quando são escolhidos deputados federais, deputados estaduais e vereadores. Os deputados rejeitaram a proposta de permitir a aliança entre partidos somente nas eleições majoritárias- para presidente da República, governador e prefeito.

A votação foi parte da série de sessões iniciada nesta semana, destinada a analisar a proposta de emenda à Constituição da reforma política. Por decisão dos líderes partidários, cada ponto da PEC, como o fim da reeleição, será votado individualmente, com necessidade de 308 votos para a aprovação de cada item. Ao final, todo o teor da proposta de reforma política será votado em segundo turno. Se aprovada, a PEC seguirá para análise do Senado.

Em discurso no plenário, o deputado Marcus Pestana (PSDB-MG), defendeu o fim das coligações nas eleições proporcionais, com o argumento de que essa medida vai evitar alianças entre partidos com finalidade exclusivamente eleitoreira, ou seja, sem que as siglas tenham qualquer identidade ideológica.

“Você vota em A e elege Z. Um partido A faz uma aliança com o PSDB no RN e com o PT em São Paulo. É um desalinhamento ideológico e político completo, que induz a sociedade ao erro”, disse o tucano.

O deputado Giovani Cherini (PDT-RS) sustentou que o fim das coligações ajudaria a reduzir o excesso de partidos políticos no país. Atualmente existem 29 legendas registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “Toda pessoa que fica descontente funda um partido próprio e já tem, na largada, o dinheiro do Fundo Partidário e, na hora da eleição, vai vender o seu tempo de televisão”, alertou.

O fim das coligações proporcionais afetaria especialmente a distribuição de cadeiras na Câmara, já que o sistema eleitoral atual, mantido pelos deputados, permite que o grande número de votos obtidos por um candidato garanta a entrada de parlamentares da mesma coligação, ainda que de partidos diferentes.

OLHO VIVO

DEFUNTO VOTA?

Por Simorion Matos
simorionEm comentário sobre a coluna passada, o leitor Alexandre Campos comentou que em eleições passadas eleitores já falecidos votavam e o esquema fraudulento era montado por governistas que ditavam as regras das eleições. Com todo respeito à opinião do leitor, posso atestar que em inúmeras campanhas que participei ativamente nunca tive conhecimento de que defuntos tivessem votado. Tivemos em Monteiro campanhas com resultados apertados ou bastante folgados, a exemplo da vitória de Arnaldo Lafayette para Antenor Campos por apenas 25 votos em 1968 e da diferença de 3.500 votos em 1982, na vitória de Antônio de Sousa Nunes diante de Josa Leite. Mas tudo isso com voto de vivos.

SE DEFUNTO NÃO VOTA, MAS ESTUDA

Se desde 1968 não se registrou votação além túmulo em Monteiro, recentemente surgiram denúncias de defuntos estudando, pelo Brasil afora. Uma auditoria da CGU – Controladoria-Geral da União constatou que através do Prouni (Programa Universidade para Todos) o governo federal concedeu e pagou bolsas a alunos já mortos. Além disso, outros beneficiados estavam foram da faixa de renda indicada e alguns continuavam inseridos como recebedores de bolsas, mesmo com o curso concluído.

O mais grave é que um deles morreu antes de se tornar bolsista do Prouni. Isto, na era do voto eletrônico e das altas tecnologias de comunicação e de fiscalização.

NÃO VAI DAR 

Ao ser entrevistado na Rádio 104 FM, o Coordenador da Parada Gay em Monteiro, Mercinho, informou que a realização do evento dependeria de uma autorização do Ministério Público e da Igreja Católica, a quem seriam enviados ofícios sobre o assunto.

Na mesma tarde da entrevista o padre José Marcos, vigário da Paróquia de Monteiro, emitiu sua posição afirmando que a Igreja não aprovaria o encontro, o que desanimou bastante os simpatizantes da causa.

Se depender da Igreja, portanto, a parada em Monteiro não vai dar.

Já existem sugestões para que os festejos sejam transferidos para Sumé ou Serra Branca.

CINQUENTONA

Quando se fala bastante na regularização das cinquentinhas, as motos, desejo aproveitar para transmitir os votos de parabéns à cinquentona Rosemere Matos, minha esposa e amiga, que neste 28 de maio soprou mais uma velinha.

Que o Poder Superior lhe conceda mais 50, sempre com o carinho da família e construindo amizades.

UMAS & OUTRAS

Abelardo Pereira dos Santos, funcionário do Banco do Brasil, era um poeta altamente sentimental e sonetista de primeira. Teve publicado o livro O VALE DAS CRENÇAS MORTAS.

Boêmio extremamente vaidoso, andava bem vestido, impecavelmente, de paletó e gravata. O cabelo, tratado com brilhantina Glostora. O perfume preferido, Madeira do Oriente.

Nas mesas de bar, sempre rodeado de amigos e colegas de farra, gostava de recitar seus poemas.

Certo dia, o poeta da saudade convidou este escrevinhador e o compositor José Marcolino para tomar umas cervejas na sua chácara, localizada na Rua da Várzea. Chegamos ao Feliz Retiro, como orgulhosamente Abelardo denominava o seu habitat, e logo na primeira cerveja o poeta nos apresentou o seu soneto mais recente: A fogueirinha.

Depois de ouvir o soneto, Zé Marcolino vibrou:

- Bonito, poeta.

Já íamos tomando meia dúzia de cervejas, quando Abelardo pediu à sua esposa:

- Seba, ajeite aí um tira gosto para os poetas.

Dona Seba, que estava com raiva porque tinha tomado conhecimento de uns “namoros” do marido, fez que não ouviu.

Abelardo ainda renovou o pedido do tira gosto, mas não foi atendido.

Com raiva, mas sem querer discutir com a esposa, o poeta, com os olhos cheios de lágrimas, foi à porta da cozinha e, dirigindo-se ao seu amigo e fiel escudeiro Braz Pescador, que estava no roçado da chácara catando uns umbus, deu a ordem, em tom de vingança:

- Ou Braz, se tu encontrar por aí uma marrã de cascavel, não mate não, que eu estou criando e cevando pra ela morder Seba.

Banner Segundo Wilson Ricardo

São Pedro de São José dos Cordeiros terá Solteirões, Amazan, Karkará e muito mais

Prefeitos do Cariri participam de reunião com a bancada federal e ministro no DF

Parada Gay de Monteiro é cancelada após duras críticas da Igreja Católica

Com vocês, o ‘disco voador’ que apareceu na cidade de Zabelê… Com vocês, o ‘disco voador’ que apareceu na cidade de Zabelê…

EXCLUSIVO: Está cancelada a Parada Gay que seria realizada na cidade de Monteiro no próximo dia 17 de outubro. A decisão foi da organização do evento, diante das recentes críticas feitas pelo pároco da Igreja Católica de Monteiro, padre José Marcos, que revelou não apoiar a realização de tal parada gay. O jovem Emerson John, que estava organizando o evento, lamentou o posicionamento do padre, mas disse respeitar sua atitude.

Nesta quinta-feira foi divulgada uma entrevista do padre, que não mediu críticas e disse: “Deus fez homem e mulher, então, Deus deu a Adão a sua companheira, portanto a união é heterossexual”, disse o padre Zé Marcos. Já Emerson John, que faz questão de frisar que é heterossexual, revelou ainda que em nenhum momento quis bater de frente com a população, e sim combater o preconceito, a discriminação e a violência contra os homossexuais.

A organização da Parada Gay chegou a divulgar que a justificativa para sua realização é que o Brasil é o país que mais tem realizado passeatas, marchas ou paradas LGBTT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) e é em São Paulo, que se realiza a parada do orgulho gay com o maior número de participantes. Disse ainda que nos últimos anos tem superado os três milhões de pessoas que participam do evento e que positividade deste fenômeno está no fato de trazer ou levar às ruas a problemática de um segmento social extremamente violentado, e que sua cidadania é desconsiderada, desrespeitada ou discriminada.

Incêndio em aterro sanitário provoca nuvem de fumaça em Monteiro; fotos

Terceiro postagens – Câmara Monteiro

Polícia prende albergado, suspeito de furto em Monteiro

Prefeitura de Monteiro antecipa pagamento dos servidores para esta sexta

Pároco de Monteiro diz que igreja não apoia parada gay em Monteiro

Deputado diz que abrirá sigilos bancário, fiscal e telefônico

Com vocês, o ‘disco voador’ que apareceu na cidade de Zabelê… Com vocês, o ‘disco voador’ que apareceu na cidade de Zabelê…

O deputado estadual João Henrique (DEM), vice-presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, revelou que abrirá os sigilos bancário, fiscal e telefônico para, segundo ele, colaborar com todas as investigações da Polícia Federal no caso da operação ‘Sete Chaves’, que investiga ações ilegal de comercialização de pedras preciosas do estado.

O deputado, que já havia divulgado nota à imprensa para se defender, disse que há 15 anos vem denunciando grupos ilegais que exploram lavras na Paraíba. Ele disse que fez 15 denúncias à Polícia Federal e que está em dia com todas as obrigações.

Ele contra-atacou acusações do procurador da República em Patos, João Rafael Lima, que disse que teria um deputado envolvido em formação de quadrilha. “Não acredito em tamanha aberração dita por um procurador”, afirmou João Henrique ao jornalista Hermes de Luna. Ele ainda classificou as declarações como “infelizes e imaturas”.

João disse também em entrevista que apóia e contribuirá incondicionalmente com as investigações, porque também é vítima de criminosos que vêm praticando o crime de Lavra Clandestina na região, através de empresas com ramificações em Parelhas, no Rio Grande do Norte, Governador Valadares, em Minas Gerais, Bangkok, Tailândia, Hong Kong, China, Houston e Las Vegas. O deputado acrescenta que vem denunciando esses crimes ao DNPM desde 1998.

O deputado informou que fará um pronunciamento sobre o caso na sessão desta quinta-feira (28) da Assembleia Legislativa da Paraíba.

Envolvimento do deputado ainda será investigado pela PF
Nem a Polícia Federal e nem o Ministério Público adiantaram informações sobre a possível participação de um deputado paraibano no esquema. Segundo o delegado Fabiano Lucena, o nome do parlamentar não foi divulgado por uma questão processual. “Existem investigações distintas e ele tem um foro privilegiado em relação ao qual nós só temos que obedecer às ordens judiciais”, explicou.

O delegado complementou: “Isso dependerá do prosseguimento das investigações e quando acharmos necessário, vamos intimá-lo para ele comparecer. Não há provas de envolvimento do deputado. É necessário que nos analisemos o material apreendido pra que nós cheguemos efetivamente a um juízo de culpa”.

Banner boca escancarada

Edna consegue liberação de recursos para construção de escolas em Monteiro

Com vocês, o ‘disco voador’ que apareceu na cidade de Zabelê… Com vocês, o ‘disco voador’ que apareceu na cidade de Zabelê…

A prefeita Edna Henrique, que desde o início da semana participa da XVIII Marcha dos Prefeitos, que acontece em Brasília, está aproveitando os espaços de intervalo do evento para cumprir agenda em ministérios e demais órgãos da administração federal.

Na segunda-feira, 25, a prefeita de Monteiro esteve em audiência com o presidente do FNDE, Antônio Idilvan de Lima Alencar, de quem recebeu o compromisso de liberar a primeira parcela para a construção das escolas nas comunidades rurais de Cacimba de Cima, Queimadas e Santa Catarina, cujo orçamento total é de R$ 3.065.604,48 (três milhões, sessenta e cinco mil, seiscentos e quatros reais e quarenta e oito centavos), com contrapartida do município.

Em Cacimba de Cima a nova escola irá abrigar os alunos que atualmente estudam na Escola Municipal Tobias Remígio Gomes, em Queimadas abrigará os alunos da Escola Laura Lopes Frazão e em Santa Catarina os alunos do Ensino Fundamental II do Bento Tenório de Souza, uma escola estadual.

Segundo informou a prefeita Edna Henrique, as três escolas, orçadas cada uma em R$ 1.021.868,16 (Hum milhão, vinte e hum mil, oitocentos e sessenta oito reais e dezesseis), possuem o mesmo projeto arquitetônico e terão capacidade de abrigar 450 alunos, beneficiando estudantes de três importantes regiões rurais.

Além da audiência com o presidente do FNDE, a prefeita Edna Henrique terá audiência no Ministério da Saúde, onde buscará a liberação de recursos para as reformas dos PSF’s e dos âncoras, bem como para aquisição de novos equipamentos para as unidades de saúde do município.

A prefeita Edna Henrique permanece em Brasília até esta quinta-feira, 28, quando acontece a solenidade de encerramento da Marcha dos Prefeitos.

Escritor Monteirense é o novo membro da Academia de Letras de Campina

efigeniolivroO escritor monteirense Efigênio Moura é o mais novo membro efetivo da Academia de Letras da cidade de Campina Grande. Ele assumirá a cadeira de número 18 da Academia, que tem como patrono Severino Pimentel, e anteriormente era ocupada pelo professor Rômulo de Araújo Lima.

Autor de obras que destacam o interior paraibano em especial, Efigênio Moura começou sua carreira de escritor com o livro Eita Gota (uma viagem paraibana), que conta a saga de Das Neves e Netinho que saem de Joao Pessoa e voltam para sua casa na Rua dos Pereiros, em uma veraneio 74. O livro tem 3 edições e uma reimpressão.

O segundo livro, Ciço de Luzia, rendeu ao autor a participação no vestibular 2013 da UEPB, fato que fez o livro ser o mais lido, vendido e discutido em todo estado naquele ano. Mesmo depois de passado o vestibular, o livro continua sendo estudado por alunos das redes públicas e privadas. Esse ano o livro foi adotado por escolas como o Geo Patos, Motiva (Campina Grande e Joao Pessoa), Menino Jesus e Damas (Campina Grande). O Livro fala de um amor entre um vaqueiro e a fila do patrão e se ambienta em Monteiro, Camalaú, Zabelê e a Fazenda Macaxeira (Zabelê).

Seu terceiro trabalho, Santana do Congo, conta a busca de Kessy Jones por seu pai e é ambientado em Ouro Velho, Prata e Congo, foi adotado como paradidático pelo Educandário Antônio Burgos em Santa Cruz do Capibaribe.

Seu quarto livro, ainda inédito, mas com publicação para este ano, chamar-Se-á Caderneta de Fiado e conta a estória de uma conta que a vida não pagou, tem como cenário a cidade de Taperoá, onde o autor viveu boa parte de sua infância.

Efigênio Moura se escora no Cariri paraibano para extrair desse chão suas estórias.

A posse do novo membro da Academia de Letras de Campina Grande acontecerá em um prazo de 6 meses. Efigênio Moura é o primeiro monteirense a ocupar tal posição nessa academia.

Câmara aprova fim da reeleição para presidente, governador e prefeito

Com vocês, o ‘disco voador’ que apareceu na cidade de Zabelê… Com vocês, o ‘disco voador’ que apareceu na cidade de Zabelê…

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira (27), por 452 a favor, 19 contra e uma abstenção, o fim da reeleição para presidente da República, governador e prefeito. A votação foi parte da série de sessões iniciada nesta semana, destinada à apreciação das propostas de reforma política.

O texto do fim da reeleição, de autoria do relator, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), não altera o tempo atual de mandato (quatro anos), mas, nesta quinta-feira (28), o plenário analisará a ampliação da duração do mandato para cinco anos. Antes de votar o fim da reeleição, os deputados rejeitaram nesta quarta o financiamento exclusivamente público das campanhas e aprovaram a doação de empresas a partidos, mas não a candidatos.

A proposta de emenda à Constituição da reforma política começou a ser votada no plenário nesta terça (26). Por decisão dos líderes partidários, cada ponto da PEC, como o fim da reeleição, será votado individualmente, com necessidade de 308 votos para a aprovação de cada item. Ao final, todo o teor da proposta de reforma política será votado em segundo turno. Se aprovada, a PEC seguirá para análise do Senado.

Fim da reeleição
Pelo texto aprovado pelos deputados, a nova regra de término da reeleição não valerá para os prefeitos eleitos em 2012 e para os governadores eleitos em 2014, que poderão tentar pela última vez uma recondução consecutiva no cargo. O objetivo desse prazo para a incidência da nova regra foi obter o apoio dos partidos de governantes que estão atualmente no poder.

Durante a votação em plenário, os líderes de todos os partidos orientaram que os deputados das bancadas que votassem a favor do fim da reeleição.

“O entendimento da nossa bancada é que [a reeleição] foi um instrumento que não se mostrou produtivo para o nosso país”, disse o líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ).

Também defensor do fim da reeleição, o líder do Solidariedade, Arthur Maia (BA), argumentou que o uso da máquina pública pelo governante que está no poder torna desigual a disputa com outros candidatos.

“É desigual e injusto alguém disputar eleição contra o governante que está no poder com todos os favorecimentos que este poder proporciona”, discursou.

O líder do PT, Sibá Machado (AC), defendeu o fim da reeleição, com a manutenção do mandato de quatro anos.

“Nossa bancada vai orientar o voto sim, pelo fim da reeleição. Todos nós sabemos que a reeleição foi introduzida por um governo do PSDB”, declarou.

O PSDB também defendeu acabar com a possibilidade de reeleição, ressaltando porém, que essa regra “cumpriu o seu papel histórico”.

“A avaliação da bancada é que devemos caminhar para um novo ciclo, pelo fim da reeleição com mandato de cinco anos. Amanhã [quinta[, discutiremos o período do mandato”, disse o deputado Marcus Pestana (PSDB-MG).

Amado Batista defende "tapas" em crianças

Com vocês, o ‘disco voador’ que apareceu na cidade de Zabelê… Com vocês, o ‘disco voador’ que apareceu na cidade de Zabelê…

A participação do cantor Amado Batista na comissão especial da Câmara dos Deputados que avalia PEC (Proposta de Emenda Constitucional) da redução da maioridade penal, nesta quarta-feira (27), foi marcada por frases polêmicas e pela tietagem. Batista, que é favorável à redução, disse não saber se sua presença na comissão colabora ou não com o debate em torno do tema e defendeu que o Estado permita que pais possam “dar uns tapas” em seus filhos. “Você precisa educar a criança em casa ou dando uns tapas ou botando de castigo”, afirmou o músico.

Batista foi a primeira entre as várias “celebridades” convidadas a comparecer às audiências públicas que discutem a redução da maioridade penal de 16 para 18 anos de idade na Câmara dos Deputados. Ele foi convidado pela deputada federal Magda Moffato (PR-GO). Além de Batista, também foram convidados jornalistas como José Luiz Datena, Marcelo Rezende, Rachel Sheherazade, Caco Barcellos e o médico e escritor Dráuzio Varella.

Amado Batista disse ser a favor da redução da maioridade penal. “Eu sou totalmente a favor da redução da idade penal, mas sou mais a favor da punição dos criminosos em qualquer idade. Não importa se o menino tem 10 anos, 11 anos, 20 anos, 50 anos. Estou falando do ser humano”, afirmou.

O cantor, famoso por sucessos como “Secretária” e “Princesa”, reclamou do que classificou como falta de liberdade dos pais para educarem seus filhos. Recentemente, em uma canção chamada “Que Saudade”, Amado Batista defendeu a redução da maioridade penal.

“O governo tem que dar liberdade para que os pais possam educar as crianças. Como antigamente era. Hoje, não pode nem olhar para uma criança que é crime (…) Você precisa educar a criança em casa ou dando uns tapas ou botando de castigo. Agora, excessos, tipo quebrar braço, deixar roxo, eu sou totalmente contra esse tipo de coisa”, afirmou.

João Henrique classifica de inconsequente e leviana declarações de procurador

Acusado de assalto no Rio Grande do Norte é preso em Serra Branca

Curso de Corte e Costura é ofertado para 200 mulheres em Sumé

Com vocês, o ‘disco voador’ que apareceu na cidade de Zabelê… Com vocês, o ‘disco voador’ que apareceu na cidade de Zabelê…

A Prefeitura Municipal de Sumé, por meio da Secretaria de Ação Social, deram início esta semana aos cursos do Projeto “Mulher Artífice, Mulher que Faz”, que irá beneficiar 200 mulheres que se enquadram nas situações de vulnerabilidade socioeconômica e que esteja inscritas no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CAdÚnico).

O curso está dividido em cinco turmas, tem duração prevista para oito meses e nele as mulheres receberão aulas de corte e costura, modelagem, linha de produção e formação social. A aula inaugural aconteceu na terça-feira (26) e foi feita pela secretária de Ação Social, Brígida Xavier.

De acordo com Brígida, é com grande expectativa que o governo municipal inicia o projeto. “Estamos trabalhando nele há algum tempo e oferecer essa oportunidade para essas mulheres é muito gratificante. Isso é um primeiro passo. Nosso objetivo é incentivar em Sumé a produção textil local tornado próspero o ramo da confecção em nossa cidade e colocando em funcionamento o galpão das costureiras”, disse Brígida.

Ela também enfatizou que o objetivo maior do Mulher Artífice é dar oportunidade de independência financeira para as mulheres, qualificando a mão de obra para buscarem autonomia e mudar o quadro de vulnerabilidade financeira, social e violência doméstica, situando-as nos sistemas produtivos, através de programas de empreendedorismo e associativismo.

O Projeto Mulher Artífice, Mulher que Faz é uma parceria entre a Prefeitura Municipal de Sumé, Secretaria Municipal de Ação Social, Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres do Governo Federal e Disque Denúncia 180.

Ricardo recebe garantia da liberação de recursos do Ministério das Cidades

Gestores de Sumé levam pleitos do Município a Brasília

[+]   POSTAGENS