Cariri Ligado
::QUEM PODERÁ NOS DEFENDER?: Euller diz que Paraíba não tem como combater explosões a bancos ::Acidente de moto mata homem na cidade de Sumé; motociclista fugiu ::Paraibano faz sucesso ao usar garrafas para criar ‘paredão de som’ para celular ::Colômbia declara fim de epidemia de zika no país ::Tovar critica gastos com pessoal acima de 64% da receita e diz que recursos deveriam ser aplicados em obras ::EM MONTEIRO: ‘Lulu’ perde o comando do PSL após intervenção nacional ::Construtora abandona obras e transposição do São Francisco fica comprometida ::“Mais cuidado no trânsito”, pede a vice governadora Lígia Feliciano ::Desodorante importado ::Aesa prevê máxima de 31ºC e mínima de 17ºC para o Cariri nesta terça-feira Malves Supermercados

QUEM PODERÁ NOS DEFENDER?: Euller diz que Paraíba não tem como combater explosões a bancos

Banner Coringa Banner Coringa

Acidente de moto mata homem na cidade de Sumé; motociclista fugiu

Paraibano faz sucesso ao usar garrafas para criar 'paredão de som' para celular

paraibanosommUm agente de limpeza do município de Aparecida, Sertão paraibano, a 420 km de João Pessoa, tem feito sucesso nas redes sociais por ter criado um ‘paredão de som’ usando garrafas pet e tubos PVC. Vídeo que mostra o funcionamento da invenção havia recebido mais de 51 mil interações no Facebook, até a publicação desta matéria.

Giorggio Abrantes Pordeus, de 33 anos, contou que o primeiro equipamento foi montado há cerca de 20 dias. Ele, que confecciona vassouras com garrafas pet, percebeu que parte do material era sempre desperdiçada.

“Vi que o funil sempre ia para o lixo e então tive a ideia de tentar ampliar som de celular usando aquilo. E deu certo. Depois disso fiz ligações usando tubos PVC e notei que o som ficava ainda mais alto. Hoje confecciono equipamentos com quatro e oito funis”, disse.

E a procura pelos objetos já é grande, segundo o agente de limpeza. “Alguns moradores aqui de Aparecida já compraram, mas a maior procura vem mesmo é do pessoal da internet”. Os equipamentos são vendidos a R$ 15 e R$ 30, de acordo com a quantidade de funis utilizados.

Portal Correio

Colômbia declara fim de epidemia de zika no país

Tovar critica gastos com pessoal acima de 64% da receita e diz que recursos deveriam ser aplicados em obras

dinheiroralo“Lamentável a situação que a Paraíba se encontra. O estado é o quarto do país que mais gastou com pessoal acima da Lei de Responsabilidade Fiscal e o único do Nordeste que não cumpriu o que preconiza a legislação”. O comentário é do deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB), que lamentou o alto gasto do Governo do Estado com pessoal. Ele defendeu que esse dinheiro deveria ser aplicado em obra e não para abrigar aliados e apadrinhados políticos.

O levantamento foi feito pelo jornal o Estado de São Paulo e revela que apesar de serem obrigados, por lei, a conter despesas com pessoal, vários Estados estouraram seus limites e essa conta cresceu em pelo menos R$ 100 bilhões de 2008 para cá – período em que o governo federal afrouxou o monitoramento das finanças estaduais. A alta é espantosa porque representa um crescimento real, acima da inflação, de 40%, e é quase o dobro dos R$ 58 bilhões de aumento de 2000 a 2007, quando se aplicou com mais rigor a Lei de Responsabilidade Fiscal.

No caso da Paraíba, os gatos já se aproximam dos 65% da receita corrente, quando a lei preconiza 60%. Na avaliação dos especialistas esse número pode ser ainda maior. Gastos com auxílio-paletó, auxílio-combustível, auxílio-moradia, precatórios com alimentação, terceirizados, prestadores de serviços por meio de contrato com organização social e até pensões e aposentadorias podem ter ficado de fora desses valores.

“O Governador Ricardo Coutinho vem agindo de forma irresponsável com o dinheiro público. A Paraíba não pode se dar ao luxo de gastar tanto com pessoal, enquanto a população carece de obras estruturantes. Não vamos nos calar diante de mais esse absurdo e vamos cobrar das autoridades responsáveis as punições devidas”, comentou.

EM MONTEIRO: ‘Lulu’ perde o comando do PSL após intervenção nacional

Construtora abandona obras e transposição do São Francisco fica comprometida

QUEM PODERÁ NOS DEFENDER?: Euller diz que Paraíba não tem como combater explosões a bancos QUEM PODERÁ NOS DEFENDER?: Euller diz que Paraíba não tem como combater explosões a bancos

A Mendes Jr, empresa responsável pela construção dos trechos 3,4 e 8, entre Terra Nova, Salgueiro (PE) e Jati no Ceará, das obras de transposição do Rio São Francisco abandonou o projeto e a conclusão da transposição pode estar comprometida.

A construtora, segundo o deputado Jeová Campos (PSB), presidente da Frente Parlamentar da Água, alegou dificuldades financeiras para não concluir o projeto de transposição. O deputado esteve visitando o canteiro de obras do Eixo Norte e constatou a paralisação dos trabalhos da construtora responsável por três estações de bombeamento elevatórias.

De acordo com o parlamentar, das três estações sob a responsabilidade da Mendes Jr, os 40 km da primeira já está pronta, a segunda em fase de teste e a terceira não começou a nem a fase de montagem. “Foi estarrecedor constatar que a construtora simplesmente abandonou a obra e que agora os esforços de mobilização para conclusão das obras, que deveriam ser entregues no começo de 2017, agora serão direcionados para tentar resolver essa questão que é emergencial, urgente e inadiável”, disse Jeová.

Jeová teme que se as obras que já estão em atraso não forem concluídas no tempo haverá colapso total no abastecimento de água em Cajazeiras e outras cidades da PB, PE e RN. “Simplesmente não terão água nem para consumo humano a partir de abril do próximo ano”.

Em junho último, a empresa Mendes Jr apresentou pedido ao Ministério da Integração Nacional para deixar a obra de transposição do rio São Francisco.

À época, o Ministério Público informou que buscava uma solução junto ao Tribunal de Constas da União para substituir a empresa.

A Mendes Jr, que está envolvida nas investigações Lava Jato, alegou que enfrenta problemas de caixa. A construtora é responsável por um trecho de 140 km de extensão entre Cabrobó, Sertão pernambucano, e o reservatório de Jati, no Ceará.

"Mais cuidado no trânsito", pede a vice governadora Lígia Feliciano

Desodorante importado

Por Nal Nunes

nalnunesnova2Pedro de Aiá, irmão do bem sucedido monteirense João de Aiá, era o que poderíamos chamar de matuto na forma mais autêntica do cariri. Pessoa muito boa, de atitudes engraçadas, porém de temperamento fortíssimo. Pedro morava no Sítio Olho D’Água do Salão, no município de Monteiro, de onde todos os domingos partia com destino a Igreja Matriz de Nossa Senhora das Dores. Era uma sagrada obrigação de Pedro selar seu jegue de passeio e seguir para assistir a missa dominical de Monteiro.

Antes, porém, Pedro que não tinha água encanada em sua casa, estacionava o jegue na casa do irmão João de Aiá, prá tomar um banho, tomar café e depois, já forrado, ir a sua missa.

Dona Lindalva Tomé, esposa de João, é o que podemos chamar de dona de casa zelosa e econômica. Com o intuito de economizar, pegava o frasco de pinho sol e colocava de “ração” num recipiente de desodorante mistral e deixava sempre no banheiro a disposição do usuário. Ela sempre justificava: “ O frasco de pinho sol é grande e tem a boca grande, aí o povo gasta mais”.

Pedro ao terminar seu banho, não teve dúvida, deu de garra do “desodorante mistral” e sapecou com gosto no suvaco, no pescoço e ainda botou uma naigadinha na camisa e no cabelo. Saiu do banheiro todo cheiroso e satisfeito fez o seguinte comentário:

-Eita cumadre Dalva! Perfume cheiroso da gota, isso deve ser João que traz importado lá das bandas de Goiás…, mais é bom!

-Havia Pedro! Toma logo teu café e vai embora que a missa tá já começando. Sentenciou Lindalva Tomé que não tem as ouça lá essas coisas, e fez conta da conta da conversa do cunhado.

Chegando na Igreja, Pedro chamou atenção de todos os olhares por onde passava. Ou melhor, de tudo quanto era nariz. Dezenas de pergunta eram feitas em tom de ironia e risadas, até o padre deu sua pitada.

-Ô Pedro, que perfume danado é esse homem?

-Ah seu padre, isso é meu irmão, João de Aiá, que traz lá das bandas do Goiás, mais é bom né?

Pedro de Aiá usou o tal perfume importado até morrer. Ninguém ousava contar a verdade temendo que ele se afastasse da casa.

VERSO DO DIA

Mote dado por Pedro Nunes – (Sinto o cheiro da flor do marmeleiro/ Entranhado no couro do gibão)

Da essência da madeira sinto o cheiro

Catingueira, aroeira, mororó

Na roupagem matutina do Mocó

Meu cavalo farejava um boi ligeiro

Um cachorro que chamava-se perdigueiro

Ladeava o meu cavalo alazão

Deflorando as entranhas do sertão

Com carinhos da caatinga e do facheiro

SINTO O CHEIRO DA FLOR DO MARMELEIRO
ENTRANHADO NO COURO DO GIBÃO

Versos( Nal Nunes)

Aesa prevê máxima de 31ºC e mínima de 17ºC para o Cariri nesta terça-feira

Suplicy é detido em protesto contra reintegração e liberado após 3 horas

QUEM PODERÁ NOS DEFENDER?: Euller diz que Paraíba não tem como combater explosões a bancos QUEM PODERÁ NOS DEFENDER?: Euller diz que Paraíba não tem como combater explosões a bancos

O ex-senador e candidato a vereador pelo PT Eduardo Suplicy, 75, foi detido nesta segunda-feira (25) pela Polícia Militar (PM) após protestar contra reintegração de posse na Zona Oeste de São Paulo. Ele foi levado ao 75º Distrito Policial (DP), no Jardim Arpoador. Ele foi liberado às 14h30, após ficar cerca de três horas detido.

Segundo a Polícia Militar, ele foi detido depois que desobedeceu a ordem dos oficiais de justiça de desobstruir a via e teve que ser retirado do local pelos policiais”. Suplicy se deitou na rua para impedir a reintegração de posse e chegou a ser carregado por policiais militares. Imagens divulgadas pela deputada federal Jandira Feghali (PCdoB) mostram o momento em que Suplicy se deita com uma moradora na rua para impedir policiais.

Além do petista, mais duas pessoas foram detidas e levadas à delegacia. O cantor Supla, filho de Suplicy, afirmou no Facebook que seu pai está bem. “Quero avisar a todos que o meu pai está bem…acabei de falar com o delegado e o meu próprio pai! agradeço a preocupação e o carinho de todos!”, disse.

De acordo com policiais civis, Suplicy deve ser liberado após a conclusão do termo circunstanciado por desobediência. Além dele, outras duas pessoas foram detidas.

No Facebook, Suplicy afirmou, por meio de sua assessoria da imprensa, que “a truculência da Polícia Militar do governo Alckmin é inaceitável. Se fazem isso com um ex-senador da República, imagine o que sofre a população que tanto precisa de apoio”.

O ouvidor das polícias, Júlio César Fernandes Neves, foi à delegacia acompanhar a ocorrência. “Nós estamos só preocupados com a integridade física do senador, por isso nós estamos aqui”, disse.

Desde o início da madrugada desta segunda, moradores realizam protesto contra reintegração de posse de terreno na Cidade Educandário, na região da Rodovia Raposo Tavares. Ao todo, são 350 famílias que ocupam uma área que pertence à Prefeitura de São Paulo. Suplicy foi secretário de Direitos Humanos da cidade de São Paulo até abril deste ano quando deixou o cargo para disputar vaga na Câmara municipal.

O prefeito Fernando Haddad (PT) disse nesta segunda que foi procurado no domingo (24) para interromper a reintegração de posse, mas que não pôde atender ao pedido porque a área ocupada é de risco.
“Liguei para o subprefeito, disse a ele para ponderar sobre a oportunidade da reintegração, mas depois eu recebi um telefonema do secretário de Negócios Jurídicos dizendo que consultados, os engenheiros que avaliam risco entenderam que não havia como manter naquela barranqueira as famílias ali, que se não fosse cumprida a ordem judicial qualquer advento: solapamento, desmoronamento, ia ser imputada a responsabilidade para a Prefeitura, que as famílias não poderiam continuar lá por ser uma área de risco bastante importante”, disse Haddad.

“Hoje [segunda] pela manhã nós encaminhamos os dois secretários ali, tanto o Medeiros [coordenação de Subprefeituras] quanto o Barreirinhas [negócios jurídicos], para informar as famílias sobre esse laudo técnico dos engenheiros. Nós fizemos todo o esforço para eventualmente adiar ou suspender, mas não havia como tomar essa medida em função do grave risco que estava ocorrendo ali. Não consegui falar com o Suplicy”, completou.

Haddad disse que recebeu um telefonema do secretário da Segurança Pública Mágino Alves. “Ele me informou do ocorrido. Ele queria informar do que tinha acontecido dizendo que estavam alinhados conosco para evitar qualquer tipo de conflito com a comunidade”, disse.

O secretário da coordenação das Subprefeituras, Antônio Carlos de Medeiros, afirmou, no entanto, que o “juiz e a PM estavam absolutamente inflexíveis”.

Banner Efigenio

Paraíba ganha nova faculdade com várias opções de cursos e pós-graduações

Barragem de Mucutu dá primeiros sinais de colapso; Taperoá está em alerta

Empresário é morto a tiros em frente a boate em São João do Tigre

PSDB oficializa candidatura de Artur Dunga, em Boqueirão

Ciclistas da cidade de Prata vencem corrida 'Well Bikes Store, em Campina

Carros são incendiados em estacionamento de Fórum do Cariri

Ameaça de bomba suspende prova da OAB

QUEM PODERÁ NOS DEFENDER?: Euller diz que Paraíba não tem como combater explosões a bancos QUEM PODERÁ NOS DEFENDER?: Euller diz que Paraíba não tem como combater explosões a bancos

Uma ameaça de bomba interrompeu e suspendeu a prova da OAB na Unijorge, que fica na Avenida Paralela, em Salvador, por volta das 12h40 deste domingo (24). De acordo com a assessoria da instituição, um homem ameaça explodir o local. A situação causou pânico e correria. A polícia informou que não há feridos e que o Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) negocia a rendição do rapaz.

De acordo com a assessoria da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), ainda não há informações sobre a motivação das ameaças. A SSP informou que o suspeito está isolado em uma sala. Por volta das 15h50, o grupo antibomba da Polícia Federal chegou no local.

Um advogado que foi contratado pela família do suspeito chegou à universidade às 16h50, mas não passou mais informações sobre o rapaz.

Segundo Fabrício de Castro Oliveira, Conselheiro Federal da OAB na Bahia, o homem teria entrado em uma sala e pedido para os candidatos saírem em 11 minutos, pois estava em posse de uma bomba pronta para explodir. Neste domingo é realizada a primeira fase do exame da Ordem dos Advogados do Brasil em todo o país. A presidente da comissão do exame da OAB na Bahia, Beta Norma, informou que 3,4 mil pessoas iriam fazer a prova na Unijorge, 6 mil na Bahia.

Ameaça de bomba
O agente penitenciário Jorge Magno relatou que chegou a conversar com suspeito. “Ele estava em uma sala do lado da minha, fui lá e tentei conversar com ele, disse ‘rapaz, vamos conversar’, e ele disse: ‘você tem 12 minutos para deixar o prédio’. Não vi bomba, mas ele estava com duas sacolas e quando eu tentava me aproximar, ele colocava a mão na sacola, então preferi sair”, disse o candidato.

O jornalista Alex Soares estava no local à espera da esposa que estava dentro da universidade para fazer a prova. “Ela disse que pediram para todos [os candidatos] deitarem no chão e chegou uma informação de que um homem estava com bomba no corpo”, disse.

A candidata Suzane Senzano relatou que algumas pessoas ficaram feridas na confusão. “Eu estava no 5° andar. Estava em frente à minha sala quando ouvi um barulho alto. Todo mundo começou a correr. As pessoas foram pisoteadas. Fui correndo para o lado de fora. Me escondi em um condomínio aqui do lado [da universidade]. Perdi algumas coisas que estavam na minha bolsa, as pessoas me empurraram na escada, na hora não senti nada, só saí correndo”, disse. Não há informações oficiais sobre feridos.
De acordo com um outro candidato que preferiu não se identificar, o homem que estaria com bombas amarradas ao corpo estava na sala ao lado da dele. “Na sala ao lado tinha um cara com um colete, com bombas amarradas e armado. Disseram que outras pessoas armadas estavam com ele também. Nessa confusão, ele abriu a camisa e deu tiro na sala. Ele ainda colocou cadeira e mesa para atrapalhar a saída das pessoas. Foi a maior correria”, contou. A polícia não confirma a ocorrência de tiros no local.

Segundo Luiz Viana, presidente da OAB-BA, uma nova data será marcada para a realização do exame em Salvador.

“A prova está suspensa em Salvador. Vai ser marcada uma nova data garantindo a todos a fazer uma nova prova com tranquilidade. O mais importante é que estão todos do lado de fora e ninguém ficou ferido. A nova data vai ser publicada no site da OAB nacional e no regional”, disse.

A Unijorge emitiu nota oficial sobre a situação. Confira o comunicado na íntegra:

Em relação ao incidente que paralisou a realização da primeira fase do exame da OAB, no prédio 1 do campus Paralela da Unijorge, a instituição confirma que o prédio foi evacuado e até o momento não há reféns, vítimas ou feridos. A Polícia Militar está no comando da situação, que está restrita à sala 711, no 7º andar, e atualizará as informações tão logo seja possível.

TCE investiga ‘escândalo das notas frias’ envolvendo a Prefeitura de Serra Branca

QUEM PODERÁ NOS DEFENDER?: Euller diz que Paraíba não tem como combater explosões a bancos QUEM PODERÁ NOS DEFENDER?: Euller diz que Paraíba não tem como combater explosões a bancos

Auditores do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB) passaram pelo menos três dias em Serra Branca, no Cariri paraibano, investigando a denúncia da emissão de ‘notas frias’ à Secretaria de Obras do município nos anos de 2013 e 2014, período em que a pasta era comandada pelo pré-candidato a prefeito da cidade, Vicente Fialho (Sousinha).

A denúncia atinge tanto o ex-secretário quanto o atual prefeito, Eduardo Torreão, executor e ordenador de despesas à época. A investigação foi feita meses após o Partido dos Trabalhadores entrar com uma ação na Justiça Federal pedindo a apuração de pagamentos não comprovados de cerca de meio milhão de reais com material de construção durante os anos de 2013 e 2014.

A Câmara Municipal de Serra Branca chegou a instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar as denúncias, mas segundo vereadores do PT e PSB, autores do pedido, a CPI não avançou nas investigações, pois maioria dos parlamentares é aliada do atual prefeito.

Segundo apurou o portal Cariri em Ação, os auditores do TCE-PB foram direto à procura dos processos licitatórios e comprovantes de pagamento, e querem descobrir onde o material comprado pelo então secretário Sousinha foi empregado.

“Eles irão em breve emitir um relatório atestando o que foi encontrado, mas antes poderão convocar o prefeito Eduardo Torreão e o ex-secretário de obras, Vicente Fialho, para prestar esclarecimentos quanto ao material comprado sem comprovação de seu emprego em obras do município”, diz o Cariri em Ação.

“Alguns aliados da Prefeitura e do ex-secretário falam que boa parte desse material foi doado, mas até para isso a secretaria apropriada para tal atividade seria a de Assistência Social e não de Obras, o que obrigará a Prefeitura de Serra Branca se explicar para a Corte de Contas do Estado”, acrescenta o portal.

Paraíba Já

[+]   POSTAGENS