::TRAGÉDIA: Crianças morrem afogadas em barragem de São João do Cariri ::FAZENDO IGUAL: Dilma ia acabar fazendo muitas medidas que criticou, diz Marina ::Treze já nos deixaram ::IND FM tem equipamentos furtados e prejuízo chega a quase R$ 7 mil ::TCU vê superfaturamento de R$ 42 mi nas obras da transposição na Paraíba ::Enquanto isso, no céu… ::Nanado Alves ::COLUNA CARIRI ::Oposição de Monteiro comemora com festa a vitória de Ricardo Coutinho ::Lá se foi ‘Seu Lunga’, aos 87 anos… Prefeitura de Prata

TRAGÉDIA: Crianças morrem afogadas em barragem de São João do Cariri

Banner Coringa Banner Coringa

FAZENDO IGUAL: Dilma ia acabar fazendo muitas medidas que criticou, diz Marina

marinacriticadA ex-senadora e ex-ministra Marina Silva afirmou neste domingo (23) que o governo iria “acabar fazendo” muitas medidas econômicas que foram criticadas pela presidente Dilma Rousseff durante a campanha eleitoral. Ela participou de encontro da Executiva Nacional da Rede Sustentabilidade, em Brasília.

Segundo Marina, a campanha de Dilma se utilizou do “marketing selvagem” para ganhar as eleições mas acabou recuando em pontos que antes eram criticados, como o aumento da taxa de juros e a redução da meta fiscal para o ano de 2014. A previsão do governo para o ano de 2014 era atingir o superávit primário de R$ 80,8 bilhões. Entretanto, enviou um projeto de lei ao Legislativo abandonando completamente a meta. Pela proposta, as contas do governo poderão registrar até mesmo déficir neste ano.

“Uma coisa foi o marketing selvagem praticado [por Dilma] para ganhar as eleições. Outra coisa agora é o confronto com a realidade”, criticou. “A tipificação que eu coloquei desde o início é de que muitas medidas que a presidente criticou, ela ia acabar fazendo”.

Ela também foi questionada sobre o que achava da possível indicação de Joaquim Levy para chefiar o Ministério da Fazenda no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff. Ex-secretário do Tesouro Nacional, Levy se tornou a principal opção para o Ministério da Fazenda depois que Luiz Carlos Trabuco, diretor-presidente do Bradesco, declinou do convite para assumir a pasta.

“Ainda não temos uma nomeação. Eu não quero ficar me manifestando apenas por indicações, estou aguardando as nomeações reais [...] O Joaquim Levy foi do governo do presidente Lula, é uma pessoa competente”, avaliou a ex-senadora.

Lembrada sobre os ataques que recebeu da campanha petista que, de acordo com ela, tentou associar negativamente sua imagem aos banqueiros, Marina comentou que Levy foi “responsável pelo superávit fiscal” de 4,25% do PIB no governo Lula, patamar considerado elevado. A medida, segundo ela, foi duramente criticada por Dilma durante a campanha eleitoral.

Marina também disse que não falaria sobre uma possível ida da senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) para a pasta da Agricultura. “Eu não quero ficar falando por hipótese. Eu não sei, a presidente ainda não se manifestou”, disse, antes de afirmar que o Brasil sofreu retrocessos na área nos últimos anos.

Registro da Rede no TSE
O porta-voz da Rede Sustentabilidade, Walter Feldman, informou que ainda faltam 32 mil assinaturas para que o partido seja registrado junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). De acordo com a lei, são necessárias 492 mil assinaturas validadas por cartórios eleitorais para que um partido seja registrado.

O grupo político idealizado pela ex-senadora Marina Silva teve o registro negado pelo TSE em 2013 pois não atingiu o mínimo de assinaturas necessárias. Sem partido, Marina filiou-se ao PSB para concorrer às eleições presidenciais em 2014. No primeiro turno, ela recebeu 22.176.619 votos (21,32%), e terminou a disputa em terceiro lugar.

“Nós trabalhamos muito a questão do trabalho em relação a coleta de assinaturas. Nós, a todo momento, dizíamos que iríamos retomar o trabalho [...] Pretendemos ter a Rede legalizada, se possível, no primeiro trimestre de 2015. Pelos nossos cálculos, 32 mil assinaturas seria um número suficiente para que o TSE autorizasse a legalização da Rede”, disse Feldman.

Feldman ainda comentou sobre a relação polícia com o PSB, partido que abrigou militantes da Rede para a eleição deste ano. Segundo o deputado federal licenciado, a legenda tem uma relação “politicamente estável” com o partido socialista. Ele também afirmou que a Rede irá manter uma posição de “oposição independente” ao governo.

“Nós fomos lá abrigados, uma filiação democrática, e pretendemos manter essa posição. Vamos dar avanço e celeridade na criação da Rede [...] Mas pretendemos ter uma linha de proximidade com o PSB. Há muitas semelhanças, similaridades [entre os partidos]“, completou.

Treze já nos deixaram

Por Ramalho Leite

ramalhopequenanovO jornalista Adelson Barbosa vez por outra brinda seus leitores, entre os quais me incluo, com pesquisas de natureza história, notadamente na área da política e administração do nosso Estado, em período mais recente. No ultimo domingo repassou a legislação constitucional e derivada sobre o meio ambiente, e prestou uma homenagem aos constituintes estaduais de 1989, reproduzindo a galeria incorporada ao Memorial do Poder Legislativo onde todos os deputados que laboraram na nossa ultima Constituição estão fotografados. Tive a curiosidade de conta-los: dos trinta e seis, treze deles não estão mais entre nós: Ademar Teotônio, Aércio Pereira, Waldir Bezerra, Antonio Ivo, Ernany Moura, Egídio Madruga, Fernando Milanez, Francisco Pereira, José Fernandes, Soares Madruga, Leonel Medeiros, Oildo Soares e Judivan Cabral. Tivesse a pesquisa ido mais longe, o diligente escriba descobriria que foi esse “orador que voz fala” o relator da parte da Carta que cuida da Ordem Econômica e da Ordem Social, nela incluída a proteção ao Meio Ambiente.

Um dos pontos mais discutidos, na Constituinte, por que mobilizou artistas, militantes políticos e empresários da construção civil, foi a fixação do gabarito para impedir a construção dos chamados espigões na orla marítima. Na fase inicial de discussão destaco a ação do deputado José Luiz Maroja, autor na emenda que define os parâmetros a serem seguidos pelo Plano Diretor da Cidade, em relação ao assunto, até hoje respeitado, com apenas uma exceção para a área do Porto de Cabedelo, desde que a construção se destine a atividade industrial. Convém lembrar que os constituintes estaduais mantiveram mandamento inserido na Carta de 1967 (que era uma Emenda) pelo governador João Agripino.

Na elaboração da Carta, o deputado Pedro Adelson cuidou da Organização do Estado e dos Munícipios, igualmente relator, antes que Egídio Madruga desse o toque final à redação, aperfeiçoada na Comissão de Sistematização, onde se destacavam o deputado Waldir Bezerra e outros de igual mérito.

O órgão de proteção ao meio ambiente, recomendado pela Lei Maior, só viria a ser implementado a partir de 1978 quando o então governador Dorgival Terceiro Neto deu forma à SUDEMA. Leis posteriores cercaram a proteção da nossa fauna e flora, acidentes geográficos, florestas e cursos de água. A proibição de instalação de usinas nucleares foi uma preocupação seguida também por Câmara de Vereadores, a exemplo da de Bananeiras, que proibiu em seu território o depósito de lixo atômico…

< esses treze passageiros da nossa história constitucional não estejam a presenciar os efeitos do seu trabalho. É a vida!.

Banner Segundo Wilson Ricardo

IND FM tem equipamentos furtados e prejuízo chega a quase R$ 7 mil

TCU vê superfaturamento de R$ 42 mi nas obras da transposição na Paraíba

TRAGÉDIA: Crianças morrem afogadas em barragem de São João do Cariri TRAGÉDIA: Crianças morrem afogadas em barragem de São João do Cariri

O Tribunal de Contas da União (TCU) julgou na última quarta-feira um processo que aponta superfaturamento de R$ 42 milhões em trechos das obras de transposição do rio São Francisco.

O montante representa 4,7% do orçamento de R$ 895 milhões do projeto. Trata-se da construção de um canal com 112,5 quilômetros, cruzando 13 cidades da Paraíba.

O empreendimento foi financiado com recursos federais do Ministério da Integração Nacional e administrados pelo governo do Estado da Paraíba.

Além das suspeitas sobre os valores, os ministros do tribunal encontraram irregularidades na licitação organizada pela Secretaria de Meio Ambiente paraibana, em 2010. A pasta, ainda segundo o TCU, também não aprovou os projetos básicos apresentados pelas empreiteiras.

Parte das exigências incluídas no edital prejudicou a competitividade do processo, de acordo com o relator do processo, ministro do TCU Bruno Dantas.

“Assim, as empresas que se sagraram vencedoras apresentaram descontos inferiores a 1%”, salienta Dantas, em seu voto.

A obra foi dividida em três lotes. As empresas Carioca Christiani-Nielsen Engenharia, a S/A Paulista de Construções e Comércio e a Serveng-Civilsan arremataram o primeiro trecho, apresentando uma proposta de R$ 203 milhões.

Já os outros dois ficaram com o consórcio Acauã (empresas Construtora Queiroz Galvão, Via Engenharia, Construtora Galvão Engenharia e Construtora Marquise), que ganharão cerca de R$ 690 milhões para executá-los.

Queiroz Galvão e Galvão Engenharia estão sendo investigadas pela Polícia Federal, na Operação Lava Jato, e são acusadas de integrar o cartel que, segundo a PF, participou do esquema de corrupção na Petrobras.

O TCU constatou superfaturamento nos três lotes: R$ 4 milhões no primeiro (equivalente a 1,2% do orçamento desse trecho); R$ 27 milhões no segundo (8,5%) e, no último, de R$ 11,3 milhões (6%).

O tribunal estabeleceu prazo de 15 dias para o governo da Paraíba adotar providências, sanar os sobrepreços e considerar a possibilidade de fazer alterações nos contratos e nos aditivos já firmados.

O TCU informou ao governo do Estado e ao Ministério da Integração sobre as improbidades encontradas pela auditoria, além de pedir o envio da decisão às construtoras responsáveis pelas obras.

No curso do processo, os consórcios questionaram parte da metodologia adotada pelos técnicos do tribunal e argumentaram que já foram feitas algumas revisões nos orçamentos, reduzindo o sobrepreços apontado.

COLUNA CARIRI

COM O OVO NO CU DA GALINHA…


Por Geordie Filho

galinhacuJá dizia o velho e bom ditado que quem conta com o ovo ainda no cu da galinha, acaba na maioria das vezes quebrando a cara. É assim, comemorando antes do tempo, que alguns grupos políticos da região do Cariri estão fazendo e incentivando seus correligionários a fazer o mesmo. Mas, para o desespero deles, o histórico de comemorações como esta não é nada bom. Certa vez, a véia de Cabaceiras esperou seu véio Arnaldo voltar da farmácia da cidade, onde havia ido comprar um azulzinho para passar a noite amando e querendo bem. Tomou banho, ficou toda cheirosa, jogou uma alfazema suíça e deitou-se esperando seu amado. Mas, Arnaldo já chegou em casa estragando a festa de sua véia, arrastando a perna direita e gritando: “minha véia, o negócio endureceu o canto errado”.

A CANETADA DE JÚNIOR
O prefeito da Prata, Júnior Nóbrega, demitiu todos os prestadores de serviço e funcionários comissionados não concursados do quadro da Prefeitura. Ele disse que apenas atendeu uma orientação do TCE. “Não tive escolha a não ser demitir todos, pois o TCE estava cobrando isso desde o mês de julho, sem falar que os recursos estão cada vez mais escassos”, comentou.

O QUE DIZ A OPOSIÇÃO
O ex-candidato a prefeito de Prata, Felisardo Moura, enviou correspondência a coluna lamentando a atitude do prefeito Júnior Nóbrega, afirmando que sentiu muito pelas demissões. “Lamento profundamente pelas famílias, principalmente por ser um período pós-eleição e próximo às festas de fim de ano”, desabafou Felisardo.

CHUVA NA REGIÃO
São Pedro voltou a abrir as torneiras do céu em algumas cidades do Cariri. As maiores chuvas foram registradas nos municípios de Monteiro, Sumé e São Sebastião do Umbuzeiro. Sofridos com a seca, os agricultores comemoraram a chuvada e aguardam que ela caia com frequência para começar a plantar.

EM BOQUEIRÃO
Tião Lucena e Efigênio Moura estarão na noite deste sábado (22) lançando seus respectivos livros, A Guerra de Princesa e Santana do Congo, para um seletivo publico que participa de semana literária em Boqueirão. Após o evento, a dupla vai encher os quibas com a famosa cachaça pau dentro.

CINE CONGO
A 6ª edição do Cine Congo está a mil por hora na cidade do Congo desde a última quinta-feira. A exibição de filmes está ocorrendo gratuitamente em plena praça pública. O festival começou com apresentações culturais em homenagem ao Dia da Consciência Negra, na Praça do Cinema.

PICADINHAS…

A partir desta segunda-feira algumas mudanças serão feitas no trânsito de Monteiro para melhorar o tráfego de veículos e pedestres.

Vavá da Luz convida para festança de comemoração ao aniversário de seu casamento com Dona Lia. Vai ser na Fazenda Senzala, e com cobra no cardápio.

Valdeir Morais quer estrear um novo quadro no CL: mostrar o antes e o depois de leitores do queridinho da região.

E lá se foi Seu Lunga, o homem mais popeiro do país. Eita que tá morrendo é tudo.

Lourdinha Aragão, ex-prefeita de Monteiro, cotada para fazer parte do governo RC.

O advogado Guilherme Nunes, ‘Grilo’, partiu para morar em Limoeiro-PE.

Até o fim do ano, o secretariado da Prefeitura de Monteiro poderá sofrer alterações.

Segundo Tião, tem uma viúva que todo dia mija na cova do marido pra ver se ele ressuscita.

Doutor Júnior conseguiu acabar com a oposição de Ouro Velho.

Informação direto para as picadinhas de que o caboclo sonhador Flávio José vai gravar música de Nanado Alves e outra de Ilmar Cavalcante.

Bom, muito bom o encontro promovido pelos amigos do bloco ‘Sambatuk’, de Monteiro.

Victor Paiva dando show na apresentação do programa Correio Debate.

A melhor galinha de capoeira do Cariri é no Bar da Cabrita, em Serra Branca. Seu Clóvis é quem tempera, cozinha e serve.

Eduardo Mayer, que não perde uma cavalgada, comprou uma tv portátil com potente antena interna para poder acompanhar a novela das oito no meio do mato.

Prefeitos chorando com o ‘liseu’ receberão conta extra do Fundo de Participação até o dia 10 de dezembro para suas respectivas prefeituras.

Lembrei do velho Sevy Falcão. Alí era gente de qualidade.

ACESSE TAMBÉM: WWW.VITRINEDOCARIRI.COM.BR

Terceiro postagens – Câmara Monteiro

Oposição de Monteiro comemora com festa a vitória de Ricardo Coutinho

festa_vitoriaA oposição de Monteiro comemorou com festa na noite desta sexta-feira (21), a vitória do governador Ricardo Coutinho (PSB), reeleito no último dia 26 de outubro. A concentração começou no Posto Bela Vista, onde saíram em carreata até a Praça Parque das Águas, local onde aconteceram os shows com das bandas Forró Mais Eu, Adriano Silva e Chiquinho de Belém.

A festa contou com a presença do deputado Carlos Batinga, do ex-vereador Juraci Conrado, e da ex-prefeita de Monteiro, Lurdinha Aragão, que comemoraram juntos no meio da multidão, a vitória do socialista. O principal homenageado da festa, o governador Ricardo Coutinho, não pode está presente no evento, mas mandou uma mensagem de agradecimento aos monteirenses e caririzeiros.

“Eu quero me desculpar por não poder participar desse momento, mas claramente, quero agradecer a todos que saíram de suas casas e que construíram esse processo. Eu não estarei aí fisicamente, mais de alma, de pensamento, eu estou, e agradecendo a todos. Vamos continuar mudando a história da Paraíba”, disse Ricardo.

O deputado Carlos Batinga caminhou no meio da multidão, abraçando e beijando os monteirenses, onde reafirmou o seu compromisso de continuar lutando pelos interesses de Monteiro. Emocionado, o ex-vereador e pré-candidato a prefeito pelo grupo de oposição em 2016, Juraci Conrado, agradeceu a cada um dos presentes pelo voto de confiança em Ricardo, e disse que está à disposição dos monteirenses.

Com o apoio do deputado Batinga, de Juraci Conrado e da ex-prefeita Lurdinha, Ricardo Coutinho venceu nos dois turnos na cidade de Monteiro. Também estiveram presentes várias lideranças locais e regionais, a exemplo do ex-prefeito de Camalaú, Aristeu Chaves, que coordenou a campanha de Ricardo Coutinho no Cariri, dos vereadores Paulo Sérgio Barros (Serra Branca), Tita (Coxixola) e Bião Nunes (Monteiro).

Lá se foi 'Seu Lunga', aos 87 anos...

UBAM participa e destaca importância do “Diálogo Público” promovido pelo TCE

TRAGÉDIA: Crianças morrem afogadas em barragem de São João do Cariri TRAGÉDIA: Crianças morrem afogadas em barragem de São João do Cariri

O presidente da União Brasileira de Municípios (UBAM), executivo Leonardo Santana, participou do evento ‘Diálogo Público Paraíba – o TCE e o controle social’, realizado pelo Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, nesta quinta e sexta-feira, nos Municípios de Guarabira e Itabaiana.

O dirigente municipalista destacou a extrema importância do evento, tendo em vista a necessidade de se expor à população o verdadeiro papel da respeitada Corte de Contas, em relação aos seus jurisdicionados, tendo como missão fiscalizar os gastos públicos e orientar os gestores para uma administração a serviço da população, para que verdadeiramente se paute pelo respeito aos princípios constitucionais e respeito à Lei de Responsabilidade Fiscal.

Ele enalteceu o trabalho do Tribunal de Contas e ressaltou a necessidade da realização de mais eventos como esse para que toda a população paraibana conheça de perto os mecanismos de fiscalização e de transparência, que são ferramentas disponibilizadas pelo TCE na sua Home Page, a exemplo do “Sagres”, para acesso total e irrestrito de toda população.

Durante a abertura oficial do evento em Guarabira, o presidente do TCE-PB, conselheiro Fábio Nogueira, fez uma esclarecedora exposição sobre o sistema de controle externo que, segundo ele, disponibilizou um diagnóstico de cinco áreas essenciais – saúde, educação, segurança pública, infra-estrutura e recursos hídricos – para a presidência da República e para os governadores eleitos. Ele falou também sobre o pacto pela boa governança, assumido pelo TCE-PB, que se insere no propósito do Diálogo Público. Nesse aspecto, o presidente mencionou as atividades que o Tribunal de Contas mantém para a qualificação dos agentes e gestores públicos, realizado pela Escola de Contas e pelo plantão técnico que a Corte mantém em sua política pedagógica.

Fábio Nogueira lembrou que o Tribunal de Contas da Paraíba, além do vultoso volume de recursos sob seu julgamento, mais 20 bilhões de reais em 2014, é o maior detentor de informações da gestão pública, que compartilha com os demais órgãos de controle para o combate à corrupção. Além disso, os resultados da atuação do TCE, conforme salientou, têm repercussão eleitoral, função reforçada pela Lei da Ficha Limpa.

Para o presidente da UBAM, Leonardo Santana, o papel desempenhado pelo Tribunal de Contas da Paraíba é motivo de destaque em todo país, considerando que, deforma pioneira, o Órgão vai ao encontro dos estudantes, donas de casa, comerciários, agentes públicos e de outros seguimentos sociais, visando promover uma verdadeira mostra de seus reais objetivos, na direção de uma administração pública que se determine no respeito à legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade dos atos públicos e à eficiência, em todas as medidas relacionadas ao serviço do povo.

Prefeitura de Monteiro promoverá curso de formação para alfabetizadores

Pascar abre concurso para escolha do Mascote do Projeto Solo na Escola

sumeestradaplacaO Programa de Ações Sustentáveis para o Cariri – PASCAR, do Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido, da Universidade Federal de Campina Grande está realizando o concurso cultural “Escolha o nome da mascote do Projeto Solo na Escola/UFCG”. Trata-se de uma ação de incentivo destinada a toda comunidade estudantil do Cariri paraibano.

O objetivo do concurso é incentivar e destacar a capacidade criativa e inovadora dos estudantes, com a finalidade de criar um nome para nossa mascote, que será a porta-voz nas ações do Projeto Solo na Escola/UFCG e terá a responsabilidade, no futuro, de dedicar seus esforços junto a agentes multiplicadores da Educação em Solos para promover o uso correto e sustentável do solo, visando a conservação dos solos, a produção de alimentos saudáveis, a proteção da saúde humana e do meio ambiente.

Podem participar do concurso estudantes que compõem a comunidade estudantil do ensino formal (Fundamental e Médio) da rede pública e privada do Cariri Paraibano.

As inscrições devem ser entregues na sede do Laboratório de Solos, LASOL/CDSA/UFCG, na Rua Luiz Grande, SN, Bairro Frei Damião, CEP: 58.540-000 Sumé/PB, até o dia 24 de novembro de 2014, seguindo as normas que estão no edital do concurso cultural (disponível no sítio eletrônico do CDSA: www.cdsa.ufcg.edu.br).

O candidato vencedor será premiado com um telefone celular. O resultado será divulgado no sítio eletrônico do CDSA. A premiação será na II Feira de Solos, que acontecerá na Praça José Américo, no Dia Mundial do Solo, 5 de dezembro.

Cine Congo e Feira Literária acontecem neste final de semana no Cariri

cinecongoOs 600 lugares reservados para exibição de filmes em plena praça pública da cidade do Congo, no Cariri paraibano, serão pouco diante da nova janela aberta na 6ª edição do CineCongo. Este ano, o evento gratuito terá transmissão pela internet, por meio do site oficial, a principal novidade desta edição.

Nesta quinta-feira, o festival começou às 19h, com apresentações culturais em homenagem ao Dia da Consciência Negra, na Praça do Cinema. Na sequência, a exibição do curta cearense de ficção Desencontro Marcado (2013) e do documentário Cidade de Deus – 10 Anos Depois (2014).

“Nossa proposta não é apresentar uma enxurrada de filmes, até porque temos a preocupação é com a formação de público para o cinema. Por isso, articulamos os filmes de forma que eles dialoguem entre si”, comentou o diretor do festival, José Dhiones.

O evento polariza a região e atrai caravanas de cidades circunvizinhas. Pelo menos seis já confirmaram presença (Coxixola, Caraúbas, São José dos Cordeiros, Serra Branca, Camalaú e Monteiro), principalmente para as atividades desenvolvidas pela manhã e à tarde, na Mostra Infantil, voltada para os alunos de escolas públicas.

A programação segue até o próximo domingo, quando serão conhecidos os vencedores, na categoria Melhor Filme das Mostras Competitivas Brasil, Nordeste, Paraíba, Cariri e Júri Popular.

EM BOQUEIRÃO: A FLIBO

A Feira Literária de Boqueirão (Flibo) chega à 5ª edição refletindo o bom momento da literatura em prosa na Paraíba e investindo na formação de público: com o tema ‘Traçando caminhos para uma sociedade leitora’ e homenagem à escritora Maria Valéria Rezende, o evento organizado pela Associação Boqueirãoense de Escritores (Abes) abre hoje uma programação que se estende até o sábado com minicursos, oficinas, palestras, apresentações musicais e exposições na pequena cidade da região metropolitana de Campina Grande.

“A abertura do evento vai ser diferente dos outros anos, já que transferimos a marcha literária para a quinta-feira”, afirma Mirtes Waleska Sulpino, coordenadora geral da Flibo, referindo-se ao cortejo das escolas que parte do Clube Municipal, às 8h30, em direção à Praça da Abes, onde está instalada a tenda que abriga a programação principal da Flibo.

Após os minicursos, oficinas e palestras ministradas pela manhã e à tarde nas escolas, a tenda é cenário para a conferência de abertura da escritora Maria Valéria Rezende, homenageada desta edição. A conferência da autora de Quarenta Dias (Alfaguara) tem o título de ‘Pra que serve literatura?’ e será mediada por Roberto Menezes, às 20h.

“Escolhemos Maria Valéria Rezende pela importância da obra e pela atuação à frente do Clube do Conto da Paraíba”, justifica Mirtes Waleska Sulpino. “Além disso, o trabalho de Valéria como educadora de jovens e adultos se identifica muito com o nosso trabalho, que não visa ao lucro, mas sim à formação do leitor”. Até o sábado passam pela Flibo nomes como Rinaldo de Fernandes e Débora Ferraz.

com JP

DEU NO BOIGA DO TIÃO LUCENA: "Lasquei-me nas Casas Bahia"

TRAGÉDIA: Crianças morrem afogadas em barragem de São João do Cariri TRAGÉDIA: Crianças morrem afogadas em barragem de São João do Cariri

O que vou contar aconteceu comigo e foi indagorinha.

Por conta do calor de torrar que faz em João Pessoa, resolvi comprar um aparelho de ar condicionado desses mais modernos, o famoso Split, aquele que gela sem fazer zoada.

Andei por vários locais de venda e parei nas Casas Bahia do Manaíra Shopping, onde adquiri vistoso Split da Sansung de nove mil BTUS.

Paguei o objeto e o levei para casa.

Ia, finalmente, escapar do calor, dormir debaixo daquele friozinho gostoso fabricado pela máquina.

Chamei o instalador, o rapaz veio, abriu a caixa onde estava guardado o dito cujo e, surpresa, o Split estava sem gás. Saiu da fábrica vazando, o que significa dizer que a Sansung não é nenhuma Brastemp.

Contrariado, peguei a nota fiscal e fui às Casas Bahia com o intuito de trocar o aparelho defeituoso, como me dá direito o Código de Defesa do Consumidor.

Mas não consegui. A moça que me atendeu, identificada como supervisora da loja, informou solene que eu teria de abrir uma ordem de serviço endereçada à Sansung e ficar esperando pela visita do técnico da dita cuja, que terá cinco dias úteis para aparecer.

Como estamos no meio de uma sexta e teremos pela frente um sábado e um domingo, significa dizer que o técnico só vai aparecer por aqui na próxima sexta-feira.

E vou rezar para estar vivo até lá, porque, com esse calor, é bem capaz de, quando ele chegar,encontrar dormindo na cama do casal, abraçadinhos como anjos, dois torresmos crocantes no lugar dos corpos de Tião Bonitão e Dona Cacilda.

Claro que não vou deixar por isso mesmo.Já acionei meu advogado das causas impossíveis, Dr. Max Saeger, para acionar as Casas Bahia na Justiça.

O Split foi comprado lá quando o saudoso Samuel Kein ainda era vivo. O homem morreu ontem e já começaram a bagunçar a loja dele.

Por Tião Lucena
Foto de Chico Pinto

“Bandido tem que ser tratado como bandido”, dispara Virgolino

Campeonato de Veteranos de Monteiro prossegue neste final de semana

MP realiza audiência em Coxixola e debate baixo índice de seu IDEB

TRAGÉDIA: Crianças morrem afogadas em barragem de São João do Cariri

A ausência de medição das escolas do ensino fundamental de Coxixola no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) foi um tema bastante discutido durante a audiência pública, visto que um dos objetivos do MPEduc é identificar e buscar soluções para elevar o baixo Ideb das escolas do município. Desde 2005 o Ideb do 9º ano (escola estadual) é divulgado. No entanto, a “pequena notável”, como a cidade se autodenomina, quer que a nota do ensino fundamental da rede municipal também seja conhecida.

Após a apresentação do projeto MPEduc, feita pelo procurador da República Renan Paes Felix, foi dada oportunidade de fala aos presentes. Na ocasião, o assessor técnico da Secretaria de Educação municipal Fabiano Araújo pediu a palavra, esclarecendo que, desde que houve o primeiro cálculo do Ideb, o município nunca conseguiu a divulgação do índice das escolas até o 5º ano por ter uma população muito pequena. Segundo Fabiano Araújo, em toda a rede municipal há apenas 200 alunos matriculados, sendo que metade desses estuda na zona urbana e a outra metade está distribuída na zona rural. “Em 2013, a escola urbana de Coxixola só tinha dez alunos matriculados no 5º ano”, informou. De acordo com o IBGE, a população estimada de Coxixola para 2014 é de apenas 1.874 habitantes.

Conforme a secretária de Educação municipal, Maria Orfélia Gonçalves das Neves, em 2013, o município chegou a entrar com um processo no Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela divulgação do Ideb, solicitando que fosse feita uma aplicação supletiva da avaliação com os alunos do ensino fundamental da zona rural e urbana juntos, para completar o número mínimo de participantes exigido pelo MEC, e assim, obter o primeiro Ideb da história do município. “Todos os alunos do 5º ano foram reunidos, a prova foi feita e mesmo assim o Inep não divulgou o índice”, lamentou a secretária.

Audiência positiva – O procurador da República Renan Paes Félix explicou aos presentes que o Município de Coxixola havia sido escolhido por ser de pequeno porte, o que possibilitará o melhor acompanhamento das escolas, como também por não ter obtido o índice em 2013. “A audiência foi bastante positiva, pois, além de ter sido uma oportunidade para apresentar o projeto MPEduc à comunidade, serviu também para ouvir a população a respeito da situação atual da educação no Município de Coxixola”, avaliou o procurador.

A audiência foi realizada na Câmara de Vereadores de Coxixola e teve 75 participantes, dentre pessoas da comunidade, alunos, professores, vereadores e representantes do Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual, Secretaria de Educação do município, Secretaria de Educação Estadual, Conselhos de Alimentação Escolar, Fundeb e Tutelar. Também participaram o prefeito, Givaldo Limeira de Farias, vice-prefeito e presidente da Câmara.

MPEduc – O projeto Ministério Público pela Educação é fruto de parceria entre Ministério Público Federal e Ministério Público dos Estados e tem por objetivos garantir o direito à educação básica de qualidade aos alunos; identificar e buscar soluções para elevar o baixo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica de grande parte dos municípios e escolas brasileiras; acompanhar a execução de políticas públicas na área da educação; e verificar a existência e a efetividade dos conselhos sociais com a atuação na área de educação.

Ouro Velho comemora Festa de Nossa Senhora das Graças, padroeira do município

Três pessoas são presas por furto de água do açude de Boqueirão

[+]   POSTAGENS