::Adriano Galdino é eleito presidente da Assembleia; João Henrique é o vice ::Eduardo Cunha é eleito presidente da Câmara em primeiro turno ::Abestado diz que circo é mais organizado que Câmara dos Deputados ::Urach se batiza em Igreja Universal: ‘Todos meus pecados foram perdoados’ ::Renan Calheiros é reeleito presidente do Senado Federal ::Comitiva do Cariri prestigia posse de João Henrique na Assembleia Legislativa ::João Henrique toma posse para terceiro mandato na Assembleia Legislativa ::Após vitória, Anderson diz que vai decidir seu futuro com a família ::Acidente deixa uma pessoa morta e outra gravemente ferida no Cariri ::Prefeitura de Camalaú divulga programação do Carnaval 2015 Malves Supermercados

Adriano Galdino é eleito presidente da Assembleia; João Henrique é o vice

Adriano Galdino é eleito presidente da Assembleia; João Henrique é o vice Adriano Galdino é eleito presidente da Assembleia; João Henrique é o vice

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou neste domingo (1º) a eleição da Mesa Diretora para os biênios 2015-2016 e 2017-2018. O ato ocorreu, por meio de sessão preparatória, necessária para instalação da 18º legislatura da ALPB.Na oportunidade, o deputado Adriano Galdino (PSB) foi eleito presidente da ALPB no primeiro biênio.

Completam a nova Mesa Diretora: João Henrique (Democratas) – 1º vice-presidente; Tião Gomes – 2º vice-presidente; Anísio Maia (PT) – 3º vice-presidente; Zé Paulo (PCdoB) – 4º vice-presidente; Nabor Wanderley (PMDB) – 1º secretário; Caio Roberto (PR) – 2º secretário; Jeová Campos – 3º secretário; Buba Germano (PSB) – 4º secretário; Doda de Tião (PTB) – 1º suplente, Galego Sousa (PP) – 2º suplente; Inácio Falcão (PTdoB) – 3º suplente e Genival Matias (PTdoB) – 4º suplente.

O deputado Gervásio Maia (PMDB) foi eleito presidente da ALPB para o segundo biênio. Completam a Mesa Diretora de 2017 e 2018 os seguintes deputados: João Bosco Carneiro Júnior (PSL) – 1º vice-presidente; Inácio Falcão (PTdoB) – 2º vice-presidente; Genival Matias (PTdoB) – 3º vice-presidente; Edmilson Soares (PEN) – 4º vice-presidente; Ricardo Barbosa (PSB) – 1º secretário; Branco Mendes (PEN) – 2º secretário; Galego Sousa (PP) – 3º secretário; Jeová Campos (PSB) – 4º secretário; Lindolfo Pires (Democratas) – 1º Suplente; Doda de Tião (PTB) – 2º Suplente; Tião Gomes (PSL) – 3º suplente e Buba Germano (PSB) – 4º suplente.

A votação foi impossibilitada no formato eletrônico, por isso ocorreu em cédula de papel.

Cadastramento das chapas
As chapas formadas foram as seguintes: Chapa 1: Adriano Galdino (PSB) – presidente; João Henrique (Democratas) – 1º vice-presidente; Tião Gomes – 2º vice-presidente; Anísio Maia (PT) – 3º vice-presidente; Zé Paulo (PCdoB) – 4º vice-presidente; Nabor Wanderley (PMDB) – 1º secretário; Caio Roberto (PR) – 2º secretário; Jeová Campos – 3º secretário; Buba Germano (PSB) – 4º secretário; e os suplentes Doda de Tião (PTB) – 1º, Galego Sousa (PP) – 2º; Inácio Falcão (PTdoB) – 3º e Genival Matias (PTdoB) – 4º.

A Chapa 2 foi formada pelo deputado Ricardo Marcelo (PEN) – presidente; Raniery Paulino (PMDB) – 1º vice-presidente; Tovar Correia Lima (PSDB) – 2º vice-presidente; Frei Anastácio (PT) – 3º vice-presidente; Jutay Menezes (PRB) – 4º vice-presidente; Daniella Ribeiro (PP) – 1ª secretária; Dinaldinho Wanderley (PSDB) – 2º secretário; Renato Gadelha (PSC) – 3º secretário; Janduhy Carneiro (4º secretário); e os suplentes, Trócolli Júnior – 1º, Arnaldo Monteiro (PSC) – 2º, Bruno Cunha Lima (PMDB) -3º e Manoel Ludgério – 4º.

Os deputados Janduhy Carneiro e Inácio Falcão foram escolhidos pelas chapas 1 e 2 para fazer a conferência das urnas. Na sequência, foram distribuídas 72 cédulas no plenário, duas para cada deputado. Cada parlamentar, depois de concretizado o voto, depositou as cédulas em duas urnas, uma oficial para contabilização da chapa vencedora e outra de descarte apenas para contabilização da quantidade de votos integrais, sem a identificação dos votados.

Com a conclusão do processo de votação, a Chapa 1 foi decretada vencedora com 19 votos, contra 17 votos recebidos da Chapa 2. Na sequência, o primeiro secretário empossou o novo presidente, o deputado Adriano Galdino, que determinou a posse imediata dos demais membros da nova Mesa Diretora.

Eleição do segundo biênio
Após a posse na nova mesa diretora, o presidente Adriano Galdino encerrou a sessão preparatória e decretou o início de sessão extraordinária. Os deputados aprovaram por maioria de votos o projeto de resolução 01/2015, alterando o regimento interno da ALPB, permitindo a antecipação da eleição do segundo biênio 2017-2018.

Na votação, novamente ocorrida por cédula de papel depositada em urna, a chapa única com a apresentação da Mesa Diretora encabeçada pelo deputado Gervásio Maia, sagrou-se vencedora com 23 votos favoráveis. Foram registradas 13 abstenções.

Banner Coringa Banner Coringa

Eduardo Cunha é eleito presidente da Câmara em primeiro turno

eduardocunhaO deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foi eleito neste domingo (1º) presidente da Câmara em votação em primeiro turno. Com 267 votos recebidos, Cunha comandará a Casa por dois anos.

O posto de presidente da Câmara dos Deputados é estratégico para o governo federal por definir os projetos que irão ao plenário e ditar o ritmo de votações. Na votação, Cunha derrotou outros três candidatos, incluindo o representante governista, Arlindo Chinaglia (PT-SP), que recebeu 136 votos. O candidato do PSB, Júlio Delgado (MG), ficou em terceiro lugar, com 100 votos, e o do PSOL, Chico Alencar (RJ), em quarto, com oito votos. Dois deputados votaram em branco.

Após a vitória de Cunha ser anunciada, o novo presidente da Câmara disse que “o parlamento soube reagir no voto” à tentativa do governo de impedir a sua vitória. Ele afirmou, porém, que esse “é um episódio virado” e que ele e seus aliados não devem “fazer disso nenhum tipo de batalha.”

O peemedebista reforçou sua bandeira de campanha, de que garantirá “independência” ao Legislativo face ao Executivo. “A gente deixou muito claro que ia buscar altivez e independência do parlamento. Aqui é palco de exercer os grandes debates que a Casa precisa e vai fazer. Nunca em nenhum momento falamos que seríamos oposição. Não falamos também que seríamos submissos”, afirmou.

Com a eleição, Cunha se torna o segundo na linha de sucessão do presidente da República – assumirá o comando do Executivo na ausência de Dilma e do vice-presidente Michel Temer. Nos últimos dois anos, o ex-presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), ocupou a Presidência da República em duas ocasiões.

A atribuição de selecionar os projetos e propostas de emenda à Constituição que serão apreciadas em plenário é exclusiva do presidente da Câmara, após consulta a líderes partidários. Por isso, o nível de entrosamento e alinhamento ideológico com o governo federal pode facilitar ou dificultar a aprovação de programas federais que exijam o aval do Congresso Nacional.

Como é o presidente da Casa que também dita o ritmo das votações – pode acelerar ou retardar as sessões -, medidas provisórias podem ser aprovadas com rapidez ou vir a “caducar” – perder a validade por demora na votação. Assim, a própria eficiência do governo federal depende fortemente da atuação do Congresso Nacional.

Além de Cunha, foram eleitos para compor a Mesa Diretora da Câmara os deputados Valdir Maranhão (PP-MA) (1º vice-presidente), Giacobo (PP-PR) (2º vice-presidente), Beto Mansur (PRB-SP) (1º secretário), Felipe Bornier (PSD-RJ) (2º secretário), Mara Gabrilli (PSDB-SP) (3º secretário) e Alex Canziani (PTB-PR) (4º secretário). Os quatro suplentes da Mesa Diretora serão os deputados Mandetta (DEM-MS), Gilberto Nascimento (PSC-SP), Luiza Erundina (PSB-SP) e Ricardo Izar (PSD-SP).

Abestado diz que circo é mais organizado que Câmara dos Deputados

Banner Segundo Wilson Ricardo

Urach se batiza em Igreja Universal: 'Todos meus pecados foram perdoados'

Renan Calheiros é reeleito presidente do Senado Federal

Adriano Galdino é eleito presidente da Assembleia; João Henrique é o vice Adriano Galdino é eleito presidente da Assembleia; João Henrique é o vice

O presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-AL), foi reeleito neste domingo (1º), por 49 votos de 81, para mais dois anos à frente do cargo mais alto do Legislativo. Ele venceu o colega de partido Luiz Henrique (PMDB-SC), que se lançou na disputa sem apoio do PMDB.

Renan presidirá a Casa em 2015 e 2016 juntamente com a nova Mesa Diretora, que será escolhida na próxima terça-feira (3). Luiz Henrique obteve 31 votos e houve um nulo.

A votação, que é secreta, foi feita em cédulas de papel e depositadas em uma urna. A apuração dos votos foi feita em voz alta pelo líder do PMDB, Eunício Oliveira (CE).

Este será o quarto mandato de Renan Calheiros na presidência do Senado. O primeiro foi em fevereiro de 2005. Foi reconduzido em 2007, mas acabou renunciando ao cargo em meio a denúncias de que usou dinheiro de lobista para pagar pensão de uma filha fora do casamento. Reeleito senador, foi escolhido novamente para a presidência em 2013.

‘Renovação da confiança’
Após a proclamação do resultado, Renan agradeceu aos colegas pela “renovação da confiança”. “Me obriga a redobrar o trabalho, triplicar o ânimo, quadriplicar a vontade de acertar para corresponder ao crédito que me foi concedido pelos senadores”, afirmou.

O presidente ainda agradeceu ao seu partido, o PMDB, que, segundo afirmou Renan, garante a ele “estabilidade”. “Como fiador do modelo democrático, o partido atua para o equilíbrio do poder e repele qualquer pendor hegemônico onde quer que ele esteja camuflado”, disse.

O senador voltou a destacar a necessidade de se aprovar uma reforma política e prometeu se empenhar pessoalmente no assunto. Afirmou ainda que as decisões de sua gestão será tomadas “de forma coletiva e nunca serão monocráticas ou arbitrarias”.

No discurso após a proclamação do resultado da eleição, Renan também fez uma menção a Luiz Henrique “pela correção e espírito público verificado ao longo de sua trajetória”. “A disputa agora já é passado e todos nós ansiamos pelo futuro. Serei presidente de todos os senadores, como demonstrado nos últimos anos, desejo renovar meu firme compromisso pela autonomia e independência do Senado”, declarou.

João Henrique toma posse para terceiro mandato na Assembleia Legislativa

Terceiro postagens – Câmara Monteiro

Após vitória, Anderson diz que vai decidir seu futuro com a família

Adriano Galdino é eleito presidente da Assembleia; João Henrique é o vice Adriano Galdino é eleito presidente da Assembleia; João Henrique é o vice Adriano Galdino é eleito presidente da Assembleia; João Henrique é o vice

Anderson Silva passou um ano e um mês se esforçando para retornar ao octógono e finalmente o fez na madrugada deste domingo. Ele entrou no mesmo ginásio em que quebrou a perna na revanche contra Chris Weidman, a MGM Grand Garden Arena e, desta vez, venceu Nick Diaz após cinco rounds no evento principal do UFC 183. A missão de retornar, porém, pode ter sido a última da carreira do Spider. Na coletiva de imprensa pós-luta, o ex-campeão dos pesos-médios se emocionou mais uma vez ao revelar uma conversa com o filho mais velho, Kalyl, de 17 anos.

- Quando eu terminei, voltei para o vestiário e liguei para minha família. Meu filho Kalyl falou comigo e chorou. Ele disse: “Pai, parabéns, mas chega! Sem mais luta! Já deu”! Agora preciso conversar com eles. Preciso falar com a minha família porque, quando meu filho fala, me assusta. Eu disse ao Ed (Soares, empresário): “Qual é o próximo passo?” Ed disse para relaxar, voltar pra casa e conversar, pronto – afirmou Silva.

A opinião é dividida pela maioria da família de Anderson Silva. Apenas um dos filhos, Gabriel, não se incomoda com a continuidade da carreira do campeão.

- Gabriel diz: “Pai, para mim tudo bem”. Mas Kalyl, Kaory, Kauana e João dizem, “Pai, pare, por favor” – disse.

Se for por sua vontade, Anderson Silva garante que quer seguir lutando.

- Sim, eu amo meu trabalho, amo lutar, mas preciso falar com minha família. Meu filho falou comigo sério. Meu filho chorou, pediu para eu parar. Tenho que falar a sério com minha família – explicou o ex-campeão dos médios.

Até a mãe do Spider já se intrometeu na carreira do lutador, e isso desde o início.

- Eu falo com minha família o tempo todo. Na minha primeira luta, minha mãe perguntou: “Por que você vai lutar. Você é maluco? Vai ser policial, que nem seu pai e seu irmão”. Falei: “Mãe, isso (ser policial) é mais perigoso. Mas toda a família diz isso – encerrou.

Acidente deixa uma pessoa morta e outra gravemente ferida no Cariri

Prefeitura de Camalaú divulga programação do Carnaval 2015

Prefeito e vice de Sumé participam de audiência com secretário de educação

Governo prorroga pagamento do IPVA até 6 de fevereiro

Adriano Galdino é eleito presidente da Assembleia; João Henrique é o vice Adriano Galdino é eleito presidente da Assembleia; João Henrique é o vice

O Governo da Paraíba prorrogou o prazo do pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) para o dia 6 de fevereiro. Os proprietários de veículos com placas terminadas em 1 e 2 terão, agora, um novo prazo para efetuar o pagamento do tributo com desconto de 10% na opção da cota única ou no parcelamento em até três vezes. A Secretaria de Estado da Receita Estadual vai publicar neste sábado (31), no Diário Oficial do Estado, uma portaria com a nova data limite de pagamento.

O adiamento é devido aos atrasos na entrega dos boletos do IPVA nas residências dos contribuintes paraibanos. Para evitar prejuízos, o Governo decidiu adiar por uma semana o pagamento, garantindo as opções do desconto e do parcelamento sem acréscimos de multas ou juros.

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos firmou convênio com o Departamento Estadual de Trânsito da Paraíba (Detran-PB) para enviar os boletos. Somente para as placas 1 e 2 estavam confeccionados 125.653 boletos, sendo 48.731 de carros e 66.922 de motocicletas.

Contudo, caso o boleto do IPVA não tenha chegado à residência até o dia 6 de fevereiro, o proprietário deverá imprimir pela internet no portal do Detran-PB. Basta informar os números completos da placa do veículo e do Renavam no link http://www.detran.pb.gov.br/index.php/ipva.html

De acordo com a pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), contratada pela Receita Estadual, os proprietários de veículos usados no Estado da Paraíba terão uma redução média de 3,8% no pagamento do IPVA em 2015, quando comparado ao valor pago neste ano. A redução média considera todos os tipos de veículos, como automóveis, motos, utilitários, ônibus e caminhões.

Além do pagamento IPVA, o proprietário de veículo precisa efetuar o pagamento da Renovação Anual de Licenciamento do veículo ao Detran (R$ 117), da Taxa de Bombeiro (R$ 17,55) e do Seguro Dpvat.

O valor do Dpvat este ano será novamente de R$ 292,01 para motocicletas, motonetas, ciclomotores e similares, enquanto para automóveis e camionetas particulares, missão diplomática, corpo consular e órgão internacional de R$ 105,65.

Já o Dpvat de micro-ônibus com cobrança de frete com lotação não superior a 10 passageiros e ônibus, micro-ônibus e lotações sem cobrança de frete (urbanos, interurbanos, rurais e interestaduais) continua no valor de R$ 247,42.

Ricardo participa da solenidade de posse da nova mesa diretora do TJ

Adriano Galdino é eleito presidente da Assembleia; João Henrique é o vice Adriano Galdino é eleito presidente da Assembleia; João Henrique é o vice Adriano Galdino é eleito presidente da Assembleia; João Henrique é o vice

O governador Ricardo Coutinho participou, no final da tarde desta sexta-feira (30), da sessão solene de posse da nova mesa diretora do Tribunal de Justiça da Paraíba para o biênio 2015-2016. O desembargador Marcos Cavalcanti Albuquerque assumiu a presidência do TJPB, enquanto a vice-presidência ficou a cargo do desembargador José Ricardo Porto e a corregedoria agora tem à frente o desembargador Arnóbio Alves.

Na ocasião, o governador Ricardo Coutinho disse que, como chefe do Poder Executivo estadual, espera a continuidade da boa relação entre os poderes. “Eu espero a continuidade de um relacionamento que tem sido construído ao longo desses quatro anos iniciais, de muito respeito, de autonomia e de construção e também de responsabilidade perante os problemas que o Estado tem”, afirmou.

Ricardo lembrou que nos últimos quatro anos o Poder Judiciário teve uma postura responsável ajudando o Estado a caminhar adiante, corrigindo os equívocos quando eles se faziam presentes e ao mesmo tempo aplicando a justiça quando necessário. Ele cumprimentou a desembargadora Fátima Bezerra Cavalcanti por sua gestão e saudou a chegada dos desembargadores Marcos Cavalcanti, José Ricardo Porto e Arnóbio Alves. “Que eles possam dar ao Tribunal de Justiça e ao Poder Judiciário o papel que ele tem como ente insubstituível dentro do arcabouço jurídico, democrático e legal do estado brasileiro”, ressaltou.

O novo presidente do TJPB, Marcos Cavalcanti, disse esperar vencer os desafios que terá pela frente. “O grande desafio é fazer com que os processos tramitem mais rapidamente, então vamos fazer o possível para dar continuidade aos projetos da desembargadora Fátima Bezerra no sentido de aplicar o processo eletrônico e cumprir as metas do Conselho Nacional de Justiça”, enfatizou.

A desembargadora Fátima Bezerra Cavalcanti comentou que a grande lição é de que ninguém faz nada sozinho. “É preciso nos darmos as mãos para que possamos fazer um bom trabalho e que sinto no meu coração é que o Tribunal de Justiça solidificou algumas ações sociais, a exemplo dos projetos Recomeçar, Mulher Merece Respeito e Conhecendo o Judiciário”, disse.

Fátima Bezerra saudou “de uma forma muito afetuosa” a nova mesa diretora do Tribunal de Justiça: “Nós vamos ter uma mesa diferenciada e tenho certeza que fará uma administração melhor do que a nossa porque é isto que queremos para o Judiciário para que a população sinta resposta positiva aos seus anseios”.

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Francisco Cândido Falcão, parabenizou a desembargadora Fátima Bezerra Cavalcanti pela gestão e desejou que o novo presidente Marcos Cavalcanti continue trabalhando para que a Justiça esteja mais perto do cidadão.

A vice-governadora Lígia Feliciano também participou da solenidade, além do ministro do Tribunal de Contas da União, Vital do Rego Filho, do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, e do arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, além de outras autoridades.

 

Prefeitura de Monteiro anuncia reajuste salarial e pagamento dos servidores

Cássio é o novo líder do PSDB no Senado

cassiosenadopremioConfirmado. O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) foi escolhido, na tarde desta sexta-feira (30), líder da bancada do PSDB no Senado. O tucano terá a responsabilidade de liderar a bancada de alguns dos pesos-pesados da política nacional, como Aécio Neves, Álvaro Dias, Aloysio Nunes, José Serra e Tasso Jereissati (ao todo são 11 senadores) na chamada “oposição responsável” ao Governo Federal.

A formalização de Cássio para liderar a bancada tucana se dará amanhã durante almoço, e no domingo se dará a oficialização, após a eleição da Mesa Diretora do Senado. A indicação demonstra o poder de interlocução que Cássio estabeleceu entre os tucanos e a confiança do PSDB em delegar a ele a missão de vocalizar o posicionamento do maior partido da oposição em nível nacional.

IMPORTÂNCIA – A atividade exercida pelo líder é parte essencial do processo legislativo. Além de nortear a discussão e a votação de propostas, os líderes acumulam uma série de atribuições importantes, principalmente ligadas à articulação política e ao trabalho de unificação do discurso partidário.

Pelo Regimento Interno, cabe ao líder, durante as votações, expressar a opinião de quem ele representa: o partido, o bloco parlamentar, o governo ou a oposição. Ele também participa do colégio de líderes – órgão que, entre outras atribuições, define a pauta de votações do plenário. (O colegiado é formado pelos líderes da Maioria, da Minoria, dos partidos, dos blocos e do governo.)

No plenário, cabe ao líder orientar a bancada quanto ao voto; falar por sua bancada no período destinado às comunicações das lideranças; e inscrever integrantes da bancada no horário destinado às comunicações parlamentares. O líder pode solicitar, ainda, a votação em globo de destaques; a dispensa da discussão de matérias que tenham parecer favorável de todas as comissões; o adiamento da discussão e da votação de um projeto. Também é função do líder registrar candidatos para concorrer a cargos da Mesa Diretora.

Enfim, trabalho não vai faltar e o novo líder tucano deu uma pequena amostra do papel da oposição: “Tudo o que foi prometido na campanha de Dilma está sendo feito ao contrário. Agora, nós enfrentamos um quadro extremamente preocupante de desgoverno. Um orgulho brasileiro, que é a Petrobras, está no fundo do poço, e não é poço de petróleo, é poço de lama. A economia está desacelerada. Os juros estão na estratosfera, enfrentamos a retirada de direitos trabalhistas e o aumento superior a 40% da energia elétrica, além das obras paralisadas”, apontou Cássio Cunha Lima.

Prefeitura de Monteiro divide cidade em eixos e adquire motos

Adriano Galdino é eleito presidente da Assembleia; João Henrique é o vice Adriano Galdino é eleito presidente da Assembleia; João Henrique é o vice

Em acelerado processo de expansão e desenvolvimento, a cidade de Monteiro vem se adaptando para implantar um novo modelo de gestão na área de infraestrutura, procurando descentralizar os serviços e dinamizar as ações. Pensando nisso, a prefeita Edna Henrique decidiu dividir a cidade de Monteiro em cinco sub eixos, com seus respectivos diretores, que de forma organizada ajudam ao novo secretário da pasta a otimizar os serviços prestados nas vias públicas e bairros do município.

Segundo o secretário de Infraestrutura, Honorato Bezerra, cada diretor tem a responsabilidade de fiscalizar os serviços de iluminação pública, limpeza urbana, reparos em galerias e enfim, toda a estrutura urbana de sua área de atuação. É também atribuição desse diretor detectar junto à população as principais necessidades e demandas de suas ruas e bairros e agendar a resolução dos problemas.

Para auxiliar nesse trabalho, a Prefeitura de Monteiro adquiriu com recursos próprios cinco novas motos que foram entregues a cada diretor, a fim de agilizar seu trabalho junto as vias do município. As motos foram entregues na última segunda-feira (26) pelo vice-prefeito Cajó Menezes, que representou a prefeita Edna Henrique, acompanhado dos secretários de Infraestrutura, Honorato Bezerra, e de Planejamento, Clênio Nóbrega.

Ao todo, a prefeita Edna Henrique investiu aproximadamente R$ 33 mil (trinta e três mil reais) de recursos do Tesouro Municipal para a compra dos veículos. Foram comprados 3 motos Bros 150cc, zero quilometro, que se somaram a duas outras CG Titan de 150cc recém adquiridas.

De acordo com o secretário de Infraestrutura, cada eixo terá ainda um ponto de apoio para facilitar e melhorar o trabalho dos diretores e servidores de cada área. “Queremos estreitar a distância entre a população e a Prefeitura de Monteiro fazendo com que mais eficazmente possamos atender suas necessidades”, afirmou Honorato.

O vice-prefeito Cajó Menezes destacou que desde que a prefeita Edna assumiu os destinos de Monteiro sua intenção foi sempre melhorar a qualidade dos serviços públicos prestados a população. “Graças a uma gestão que mudou a cara de Monteiro nos últimos seis anos, a cidade está crescendo aceleradamente. Vendo as novas demandas provocadas por esse crescimento, estamos otimizando nosso atendimento e buscando proporcionar bem estar e melhor infraestrutura a população monteirense”, pontuou Cajó.

Secom – PMM

Município de Sumé têm pedidos atendidos pelo Governo do Estado

Bombou o bumbum de Paolla Oliveira

45% dos brasileiros não forram o bilau

camisinha2Os banheiros do Aeroporto dos Guararapes, no Recife, vão receber displays para retirada de camisinhas a partir do próximo domingo (01). A iniciativa faz parte de uma campanha lançada pelo Ministério da Saúde na última quarta-feira (28) com o objetivo de estimular a prevenção das doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) durante o carnaval. Ao todo, serão 195 mil preservativos nos aeroportos de Santos Dumont, no Rio de Janeiro, Salvador e da capital pernambucana.

No lançamento da campanha também foi apresentada uma pesquisa sobre uso da camisinha realizada em 2013. Foram entrevistadas 12 mil pessoas na faixa etária de 15 a 64 anos.

Dados das pesquisas anteriores mostram que o uso do preservativo na última relação sexual, ocorrida nos últimos 12 meses, praticamente não mudou, revelando um padrão de comportamento: 52% em 2004, 47% em 2008 e 55% em 2013. Os números preocupam o Ministério da Saúde, pois revelam que 45% da população não usa camisinha apesar das constantes campanhas na mídia.

Além disso, houve um crescimento significativo de pessoas que relataram ter tido mais de dez parceiros sexuais na vida. Esse percentual subiu de 19%, em 2004, para 26% em 2008, chegando a 44% no ano de 2013.

A campanha será divulgada nos rádios e na televisão, mas também contará com 129 mil cartazes com versões segmentadas para o público jovem, travesti e jovem gay.

“Este ano, o ministério não irá centrar a campanha apenas no uso de preservativos. Os dados da pesquisa indicam que focar as campanhas apenas nesse uso tem limites. Essa nova estratégia se materializa em três dimensões: primeiro no uso do preservativo, em segundo lugar na convocação da população a fazer regularmente o teste e, em terceiro lugar, no início imediato do tratamento em caso de teste positivo”, explica o ministro da saúde, Arthur Chioro.

[+]   POSTAGENS