prefeitura
::Prestação de contas: TCE-PB imputa débito de quase R$ 9 milhões a ex-prefeito do Cariri ::Lula segue PT Nacional, grava vídeo e pede votos para Ricardo Coutinho a prefeito da Capital ::Bolsonaro revoga decreto sobre privatização de postos de saúde do SUS ::Secretaria Municipal de Saúde de Monteiro informa que não há novos casos de covid nesta quarta ::Justiça Eleitoral condena candidato à reeleição em Barra de São Miguel a pagar multa de R$ 20 mil por usar ‘paredão de som’ ::Agora é lei: planos de saúde estão proibidos de suspender serviços por inadimplência durante estado de calamidade ::OAB mantém posicionamento de reserva à prestação de serviços jurídicos por estrangeiros ::DIREITO DE RESPOSTA: Juiz acolhe embargos e defere registro de outros 13 candidatos a vereador em Monteiro ::Ouro Velho confirma mais quatro casos de Covid-19 ::Concurso da Fundac-PB tem novo cronograma Malves Supermercados

Bolsonaro vê abusos, violação de direitos e diz que tomará ‘medidas legais’ para proteger Constituição

(17/06/2020)
Bolsonaro vê abusos, violação de direitos e diz que tomará ‘medidas legais’ para proteger Constituição Bolsonaro vê abusos, violação de direitos e diz que tomará ‘medidas legais’ para proteger Constituição

O presidente Jair Bolsonaro publicou na noite desta terça-feira (16) em uma rede social uma série de dez mensagens nas quais aponta “abusos”, “violação de direitos” e “ataques concretos” ao governo e que, diante disso, tomará as “medidas legais” para, segundo afirmou, proteger a Constituição.

Bolsonaro não disse explicitamente, mas parece se referir às investigações de manifestações antidemocráticas e inconstitucionais feitas por apoiadores dele, que pediam o fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF).

Pela manhã, aliados do presidente tinham sido alvos de operação da Polícia Federal no inquérito que apura o financiamento de atos antidemocráticos. Dez deputados e um senador bolsonaristas tiveram os sigilos bancários quebrados por determinação do ministro Alexandre de Moraes, do STF. Em maio, aliados do presidente também foram alvos de uma operação no inquérito que apura disseminação de fake news e ameaças a ministros do STF. Na ocasião, Bolsonaro afirmou em entrevista que “ordens absurdas” não devem ser cumpridas, emendando: “Acabou, porra!”.

À tarde, durante sessão da Segunda Turma do tribunal, o ministro Celso de Mello afirmou, sem mencionar Bolsonaro, que é “inconcebível” a presença de um “resíduo de forte autoritarismo” no Estado brasileiro.

Na noite desta terça, o presidente publicou na internet: “O que adversários apontam como ‘autoritarismo’ do governo e de seus apoiadores não passam de posicionamentos alinhados aos valores do nosso povo, que é, em sua grande maioria, conservador. A tentativa de excluir esse pensamento do debate público é que, de fato, é autoritária.”

Na sequência, Bolsonaro afirmou que “abusos presenciados por todos” nas últimas semanas foram recebidos pelo governo “com a mesma cautela de sempre”, que cobrou, segundo ele, “respeito e a harmonia entre os poderes”.

“Queremos, acima de tudo, preservar a nossa democracia. E fingir naturalidade diante de tudo que está acontecendo só contribuiria para a sua completa destruição. Nada é mais autoritário do que atentar contra a liberdade de seu próprio povo”, acrescentou.

“Luto para fazer a minha parte, mas não posso assistir calado enquanto direitos são violados e ideias são perseguidas. Por isso, tomarei todas as medidas legais possíveis para proteger a Constituição e a liberdade do dos brasileiros”, escreveu o presidente.

Faça seu comentário



Possui atualmente : Nenhum comentário em Bolsonaro vê abusos, violação de direitos e diz que tomará ‘medidas legais’ para proteger Constituição