::Cursos oferecidos pela Secretaria de Desenvolvimento Social têm bastante procura em Monteiro ::Contas das prefeituras de Prata e São João do Cariri estão na pauta do TCE ::TCU aceita legalidade de contratação de advogados por inexigibilidade ::Veneziano agradece apoios pela conquista do 1º lugar para o Senado ::Bandidos roubam celular e moto de vítima no Cariri ::Ricardo Coutinho faz mudanças em cargos do governo ::Wellington vê tempos difíceis mas ainda acredita na vitória de Haddad ::Justiça Eleitoral divulga Carta à Nação Brasileira sobre urnas ::MP recomenda retirada de barracas e entulhos das vias públicas de Serra Branca ::Petrobras reduz preço de gasolina nas refinarias a partir desta terça-feira Malves Supermercados

Cabo Daciolo pede ao TSE anulação da votação do 1º turno

(11/10/2018)
Cabo Daciolo pede ao TSE anulação da votação do 1º turno Cabo Daciolo pede ao TSE anulação da votação do 1º turno

O candidato do Patriota à Presidência da República, Cabo Daciolo, foi ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apresentar pedido de anulação da votação do 1º turno para que seja feita uma nova edição do pleito usando o método de voto em cédula, e não em urna eletrônica. Ele argumentou que houve fraude na adoção de urnas eletrônicas.

Daciolo disse que já havia apresentado um pedido de uso de voto em cédula no início de setembro. Segundo o candidato, o TSE respondeu argumentando que não havia situação de excepcionalidade que exigisse o abandono do emprego de urnas eletrônicas em favor da votação em cédula.

“Temos várias denúncias de fraudes das urnas eletrônicas. Em todo o território nacional, as pessoas iam votar e quando chegavam lá para votar para presidente não concluía. Quando tem fragilidade nas urnas eletrônicas, é necessário em caso excepcional que TSE faça votação em cédulas”, defendeu Daciolo.

Consultado pela reportagem, o TSE respondeu por meio de sua assessoria que o processo encontra-se em tramitação por via administrativa e que até o momento não houve decisão.

Normalidade
No balanço das eleições, a presidente do TSE, ministra Rosa Weber, afirmou que a votação do último domingo (7) ocorreu em “clima de normalidade absoluta”, mas colocou que o Tribunal vai apurar com rigor denúncias de irregularidades na votação.

A missão internacional da Organização dos Estados Americanos (OEA) divulgou informe preliminar no qual relatou não ter atestado problemas nas urnas que colocassem em questão a legitimidade da votação. Segundo os representantes da OEA, especialistas em sistemas de votação designados pela missão acompanharam as urnas ao longo do ano e não encontraram indícios de vulnerabilidades ou fraudes.

Em respeito a legislação eleitoral o CARIRI LIGADO não publicará os comentários dos leitores. O espaço para interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições 2018 se encerrem.