prefeitura
::Problema em reservatório no PE deixa Boqueirão sem água da Transposição ::Banda Magníficos faz show no ‘Arraiá de Cumpade’, em Campina, neste domingo ::Mensagens provam que Moro nunca foi imparcial com Lula, alega defesa ::O MÉ FOI GRANDE: Forrozeiro esquece par de muletas no São João de Campina ::Guilherme Gaudêncio trabalha para unificar oposição em Serra Branca ::População de Camalaú reclama dos péssimos serviços da Cagepa ::Defesa Civil recebe novo alerta nacional sobre chuvas em João Pessoa ::“Arraiá da Ação Sociá” é realizado em Camalaú e bate recorde de público ::Bolsonaro ameaça demitir Levy do BNDES e diz estar ‘por aqui’ com economista ::Polícia prende mulher com notas falsas na cidade de Sumé Malves Supermercados

Problema em reservatório no PE deixa Boqueirão sem água da Transposição

Banner Coringa Banner Coringa

Banda Magníficos faz show no 'Arraiá de Cumpade', em Campina, neste domingo

Mensagens provam que Moro nunca foi imparcial com Lula, alega defesa

Banner Câmara Banner Câmara

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se manifestou pela primeira vez após novas mensagens divulgadas pelo ‘The Intercept Brasil’ e atribuídas ao juiz Sergio Moro. Nelas, o então juiz teria se referido à postura da defesa de Lula como “showzinho”.

“É estarrecedor constatar que o juiz da causa, após auxiliar os procuradores da Lava Jato a construir uma acusação artificial contra Lula, os tenha orientado a desconstruir a atuação da defesa”, afirma trecho da nota divulgada.

No episódio narrado, Moro manda mensagem para Santos Lima, da força-tarefa da Lava Jato, questionando sobre o depoimento do ex-presidente no processo que futuramente renderia sua condenação.

Santos Lima – 22:10 – Achei que ficou muito bom. Ele começou polarizando conosco, o que me deixou tranquilo. Ele cometeu muitas pequenas contradições e deixou de responder muita coisa, o que não é bem compreendido pela população. Você ter começado com o Triplex desmontou um pouco ele.

Moro – 22:11 – A comunicação é complicada pois a imprensa não é muito atenta a detalhes

Moro – 22:11 – E alguns esperam algo conclusivo

Moro – 22:12 – Talvez vcs devessem amanhã editar uma nota esclarecendo as contradições do depoimento com o resto das provas ou com o depoimento anterior dele

Moro – 22:13 – Por que a Defesa já fez o showzinho dela.

Santos Lima – 22:13 – Podemos fazer. Vou conversar com o pessoal.

Santos Lima – 22:16 – Não estarei aqui amanhã. Mas o mais importante foi frustrar a ideia de que ele conseguiria transformar tudo em uma perseguição sua.

Leia a nota da defesa de Lula na íntegra:

“É estarrecedor constatar que o juiz da causa, após auxiliar os procuradores da Lava Jato a construir uma acusação artificial contra Lula, os tenha orientado a desconstruir a atuação da defesa técnica do ex-Presidente e a própria defesa pessoal por ele realizada durante seu interrogatório (10/05/2017).

As novas mensagens reveladas ontem (14/06/2019) pelo “The Intercept”, para além de afastar qualquer dúvida de que o ex-juiz Sérgio Moro jamais teve um olhar imparcial em relação a Lula, mostram o patrocínio estatal de uma perseguição pessoal e profissional, respectivamente, ao ex-Presidente e aos advogados por ele constituídos.

É inimaginável dentro de um Estado de Direito que o Estado-juiz e o Estado-acusador se unam em um bloco monolítico para atacar o acusado e seus advogados com o objetivo de impor condenações a pessoa que sabem não ter praticado qualquer crime.

É repugnante, ainda, constatar que a campanha midiática ocorrida em maio de 2017 objetivando atacar a memória de D. Marisa Letícia Lula da Silva tenha sido tramada pela Lava Jato, como também revelam as mensagens do “The Intercept”.

Tais fatos, públicos e notórios, reforçam o que sempre defendemos nos processos e no comunicado encaminhado em julho de 2016 ao Comitê de Direitos Humanos da ONU: Lula é vítima de “lawfare” e o ataque aos seus advogados é uma das táticas utilizadas para essa prática nefasta.

Yahoo

Banner asfalto

O MÉ FOI GRANDE: Forrozeiro esquece par de muletas no São João de Campina

Banner Câmara Banner Câmara

Entre os 89 objetos esquecidos durante a festa do Maior São João do Mundo, um par de muletas foi o mais inusitado. O objeto foi encontrado jogado no Parque do Povo e até o momento aguarda ser retirado pelo seu dono. De todos os objetos encontrados, 48 já foram entregues aos seus proprietários.

O evento possui uma cabine de ‘Achados e Perdidos’, localizado dentro da festa. Os itens mais perdidos são os documentos pessoais (CNH, certidão de nascimento, título de eleitor e carteira profissional de trabalho). Há registros também de cartões de crédito, controle de portão e chaves.

O serviço de Achados e Perdidos funciona em um espaço instalado na réplica do Telégrafo Nacional, localizado na cidade cenográfica do Parque do Povo. O atendimento no local é feito durante todos os dias da semana das 18h até 0h30. O local funciona como uma recepção de objetos encontrados e disponibilizados aos seus proprietários dentro do Parque do Povo.

O Serviço de Achados e Perdidos disponibiliza um pré-cadastro, onde o cidadão, ao chegar no Parque do Povo, informa seus dados de reforma simples (nome completo, endereço residencial e telefone de contato). Dessa forma facilita a localização do proprietário no sistema de dados, permitindo uma rápida devolução do objeto.

A outra unidade do Achados e Perdidos está localizado no Espaço Cidadão, no Terminal de Integração, na plataforma 04. Essa unidade foi instalada na gestão do Prefeito Romero Rodrigues, com objetivo de melhorar o serviço ao cidadão. A unidade foi instalada porque, segundo levantamentos, o Terminal de Integração é onde ocorre o maior número de perda de pertences.

ClickPB

Guilherme Gaudêncio trabalha para unificar oposição em Serra Branca

População de Camalaú reclama dos péssimos serviços da Cagepa

Defesa Civil recebe novo alerta nacional sobre chuvas em João Pessoa

Banner Câmara

“Arraiá da Ação Sociá” é realizado em Camalaú e bate recorde de público

Bolsonaro ameaça demitir Levy do BNDES e diz estar 'por aqui' com economista

Banner Câmara Banner Câmara

Depois de demitir três generais em uma semana, Jair Bolsonaro ameaçou o presidente do BNDES, Joaquim Levy, com a exoneração já na próxima segunda-feira. A ameaça pública foi feita neste sábado (15), nos portões do Palácio do Alvorada. Bolsonaro acusou Levy de desleal, disse que o presidente do BNDES “está com a cabeça a prêmio há algum tempo” e explicitou o motivo da possível demissão: “Eu já estou por aqui com o [Joaquim] Levy [nesse momento levou a mão ao pescoço, como se estivesse cortando-o]. Falei pra ele demitir esse cara [Marcos Barbosa Pinto] na segunda-feira ou eu demito você, sem passar pelo Paulo Guedes”.

“Governo tem que ser assim: quando coloca gente suspeita em cargos importantes e essa pessoa, como Levy, já vem há algum tempo não sendo leal àquilo que foi combinado e àquilo que ele conhece a meu respeito, ele (Levy) está com a cabeça a prêmio há algum tempo”, continuou Bolsonaro, visivelmente alterado.

Barbosa Pinto foi assessor do BNDES no governo do PT e, segundo reportagem do jornal Valor Econômico, voltaria ao banco para o cargo de diretor de Mercado de Capitais do BNDES. Levado por Guedes para a presidência do BNDES durante a atual gestão, Levy foi ministro da Fazenda de Dilma Rousseff (PT).

Bolsonaro deu a declaração ao sair do Palácio do Alvorada em direção à base militar. Ele viaja na tarde deste sábado para Santa Maria (RS), onde participa de uma cerimônia militar à noite.

Nesta semana, foram demitidos por Bolsonaro: o presidente da Funai, general Franklimberg Ribeiro de Freitas, por considerá-lo amistoso com os indígenas; o presidente dos Correios, general Juarez Aparecido de Paula Cunha, por tirar fotos com parlamentares de esquerda durante uma visita à Câmara, e o secretário de Governo, general Santos Cruz, por opor-se à ordem unida na comunicação governamental, que Bolsonaro pretende ver controlada pela extrema-direita.

Polícia prende mulher com notas falsas na cidade de Sumé

Polícia Federal apreende mais de 1,5 tonelada de maconha na Paraíba

Banner Zabele

Moro sugeriu a força-tarefa ação contra ‘showzinho’ da defesa de Lula, diz site

Banner Câmara Banner Câmara

O ex-juiz Sergio Moro sugeriu a procuradores do MPF (Ministério Público Federal) uma ação para rebater a defesa do ex-presidente Lula (PT) após depoimento do petista à Lava Jato, segundo novas mensagens publicadas pelo site The Intercept Brasil na noite desta sexta-feira (14).

O site divulgou no domingo (9) as primeiras conversas entre Moro, que hoje é ministro da Justiça do governo Jair Bolsonaro (PSL), e membros do MPF na época em que atuava na força-tarefa da operação. Uma fonte anônima, segundo o Intercept, repassou mensagens no aplicativo Telegram de 2015 a 2018.

​O conteúdo tornado público agora mostra, segundo o site, reações de Moro e de procuradores como Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato no MPF, e Carlos Fernando dos Santos Lima ao depoimento concedido por Lula ao então juiz no caso do tríplex de Guarujá, em 2017.

As mensagens foram reproduzidas da forma como o site as publicou, sem correções ou revisão gramatical.

No dia em que o petista foi ouvido, Moro trocou impressões com Carlos Fernando sobre o depoimento e sugeriu, de acordo com o relato do Intercept, que o MPF divulgasse uma nota para expor o que considerou contradições da fala de Lula.

“Talvez vcs devessem amanhã editar uma nota esclarecendo as contradições do depoimento com o resto das provas ou com o depoimento anterior dele”, escreveu Moro às 22h12 do dia 10 de maio de 2017.

“Por que a Defesa já fez o showzinho dela”, completou o então juiz um minuto depois, às 22h13.

Segundo o site, Carlos Fernando respondeu: “Podemos fazer. Vou conversar com o pessoal. Não estarei aqui amanhã. Mas o mais importante foi frustrar a ideia de que ele conseguiria transformar tudo em uma perseguição sua [de Moro]”.

O site também publicou mensagens disparadas pelo procurador, na sequência dessa conversa, a um grupo do qual participavam membros da assessoria de imprensa do MPF.

Carlos Fernando perguntou: “Será que não dá para arranjar uma entrevista com alguém da Globo em Recife amanhã sobre a audiência de hoje?”. Ele estaria na capital pernambucana no dia seguinte para um congresso jurídico.

Assessores que não tiveram os nomes revelados pelo Intercept passaram então a questionar as implicações de uma entrevista. “Possível é, só não sei se vale a pena. E todos os jornalistas que estão aqui e já pediram entrevista?”, indagou um dos assessores.

Outro ponderou: “vcs nunca deram entrevista sobre audiência…vai servir pra defesa bater…mais uma vez…”.

Depois desse diálogo, Carlos Fernando encaminhou em uma mensagem privada para Deltan copiando a conversa que teve minutos antes com Moro.

Deltan passou, então, a comentar a sugestão feita pelo ex-juiz. “Então temos que avaliar os seguintes pontos: 1) trazer conforto para o juízo e assumir o protagonismo para deixá-lo mais protegido e tirar ele um pouco do foco; 2) contrabalancear o show da defesa”, afirmou o procurador.

“Esses seriam porquês para avaliarmos, pq ng tem certeza. O ‘o quê’ seria: apontar as contradições do depoimento. E o formato, concordo, teria que ser uma nota, para proteger e diminuir riscos. O JN [Jornal Nacional] vai explorar isso amanhã ainda. Se for para fazer, teríamos que trabalhar intensamente nisso durante o dia para soltar até lá por 16h”, acrescentou Deltan.

​Logo depois, ele foi ao grupo “Análise de clipping”, dos assessores de imprensa da instituição, pedir que fosse monitorada a repercussão do depoimento de Lula, “em especial verificando se está sendo positiva ou negativa e se a mídia está explorando as contradições e evasivas”.

Um assessor, que também não foi identificado pelo site, disse ao procurador que eventual manifestação para “contrabalancear as manifestações da defesa”, como Deltan sugeriu, poderia ser “um tiro no pé”.

“Na minha visão é emitir opinião sobre o caso sem ele ter conclusão…e abrir brecha pra dizer que tão querendo influenciar juiz. Papel deles vai ser levar pro campo político. Imprensa sabe disso. E já sabe que vcs não falam de audiências geralmente. Mudar a postura vai levantar a bola pra outros questionamentos. Pq resolveram falar agora? Pq era o ex-presidente? E voltar o discurso de perseguição…é o que a defesa fez, faz…pq não tem como rebater a acusação. Acusação utilizar da mesma estratégia pode ser um tiro no pé”, escreveu o assessor de imprensa.

Em meio à discussão, Deltan escreveu a Moro. Além de cumprimentá-lo pela condução do depoimento, informou que a emissão da nota estava sendo estudada: “Caro parabéns por ter mantido controle da audiência de modo sereno e respeitoso. Estamos avaliando eventual manifestação. A GN [GloboNews] acabou de mostrar uma série de contradições e evasivas. Vamos acompanhar”.

Moro, então, afirmou: “Blz. Tb tenho minhas dúvidas dá pertinência de manifestação, mas eh de se pensar pelas sulilezas envolvidas”.

No dia seguinte, 11 de maio, a equipe do MPF acabou por publicar uma nota para expor o que julgou serem contradições de Lula, como havia indicado Moro.

O texto disparado à imprensa foi publicado em reportagem da Folha e em outros veículos de comunicação.

Na nota, os procuradores afirmavam que, entre as contradições, estavam “a imputação de atos à sua falecida esposa, a confissão de sua relação com pessoas condenadas pela corrupção na Petrobras e a ausência de explicação sobre documentos encontrados em sua residência”.

​Na época, a defesa de Lula reiterou que ele era inocente e deu declarações afirmando que ele conseguiu provar isso no depoimento. O petista afirmou a Moro que não era dono do tríplex. Em julho de 2017, o então juiz condenou o ex-presidente pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do imóvel.

OUTRO LADO
Procurada pela Folha, a assessoria de Moro ainda não se manifestou sobre as novas informações divulgadas pelo site. A força-tarefa da Lava Jato em Curitiba disse que, por enquanto, não se pronunciaria.

O Intercept relatou que procurou a equipe do ministro nesta sexta-feira e apresentou com antecedência todos os pontos mostrados na reportagem.

O site publicou ter recebido como resposta a seguinte nota: “O ministro da Justiça e Segurança Pública não comentará supostas mensagens de autoridades públicas colhidas por meio de invasão criminosa de hackers e que podem ter sido adulteradas e editadas, especialmente sem análise prévia de autoridade independente que possa certificar a sua integridade. No caso em questão, as supostas mensagens nem sequer foram enviadas previamente”.

A defesa de Lula ainda não comentou as novas revelações. O ex-presidente disse que as conversas de celular indicam promiscuidade entre juiz e procuradores.

O episódio das mensagens vazadas pelo Intercept foi explorado ao longo da semana por adversários de Moro e membros da oposição ao governo Bolsonaro. O presidente disse que Moro “faz parte da história do Brasil” e defendeu seu auxiliar.

“O que ele [Moro] fez não tem preço. Ele realmente botou para fora, mostrou as vísceras do poder, a promiscuidade do poder no tocante à corrupção”, afirmou o presidente nesta quinta-feira (13).

Nesta sexta, ele disse não ter visto maldade na troca de colaborações entre o ex-magistrado e membros da equipe de investigadores da Lava Jato. “Não vejo nenhuma maldade em advogado conversar com promotor, Polícia Federal falar com promotor. Tem que se falar para achar denúncia robusta.”

Brasil estreia com vitória contra Bolívia

Banner Câmara Banner Câmara

O Brasil estreou na Copa América nesta sexta-feira (14) com vitória de 3 a 0 contra a Bolívia no Morumbi, em São Paulo. Após uma cerimônia de abertura que durou cerca de 10 minutos e teve a presença de 400 pessoas, a equipe brasileira entrou em campo de uniforme branco para a primeira partida da competição, enquanto os bolivianos estavam de verde.

O Brasil começou pressionando a Bolívia e tentou seis finalizações nos 12 primeiros minutos de jogo, enquanto os bolivianos não levaram perigo nenhuma vez ao gol de Alisson. O domínio brasileiro continuou durante todo o primeiro tempo, entretanto faltou efetividade e o período terminou sem gols e saiu para o intervalo com vaias do público no Morumbi.

O árbitro assistente de vídeo (VAR) foi acionado aos 20 minutos do primeiro tempo, após uma entrada mais dura de Saucedo sobre Casemiro. Após o árbitro consultar o VAR, o jogador boliviano recebeu cartão amarelo.

Segundo tempo

Logo na volta do segundo tempo, a bola bateu na mão de Jusino e o juiz marcou pênalti para o Brasil após acionar o VAR logo no primeiro minuto de jogo. Philippe Coutinho cobrou e marcou o primeiro gol brasileiro no jogo aos cinco minutos.

Dois minutos depois, aos sete minutos do segundo tempo, Philippe Coutinho marcou novamente, aproveitando um cruzamento de Firmino.

Após o segundo gol, o Brasil continuou no ataque e dominando a partida. Aos 19 minutos, Firmino foi substituído por Gabriel Jesus. Aos 20 minutos, a Bolívia também mexeu. Saucedo saiu para a entrada de Wayar.

Tite fez mais duas substituições aos 32 minutos no segundo tempo. Everton Cebolinha entrou no lugar de David Neres e o meia Willan substituiu Richarlison. As mudanças deram resultado. Aos 39 minutos, Everton Cebolinha marcou um golaço. Ele saiu da direita para o meio e chutou forte, sem defesa para o goleiro da Bolívia.

O público total que acompanhou a vitória do Brasil foi 47.260 pessoas. A seleção brasileira está em busca do seu nono título na Copa América e disputa a competição sem o seu principal jogador, Neymar.

Maioria da bancada federal paraibana vota a favor da Reforma da Previdência

DEU NO CLICK PB – A maioria da bancada federal paraibana vota a favor da Reforma da Previdência. Aguinaldo Ribeiro (PP), Ruy Carneiro (PSDB), Efraim Filho (DEM), Julian Lemos (PSL) manifestaram-se defensores da proposta e Edna Henrique e Pedro Cunha Lima declararam apoio à Reforma da Previdência, mas questionam pontos do texto da PEC, os quais eles consideram que devem ser ainda discutidos, segundo levantou o Portal ClickPB.

O deputado Efraim Filho disse ao ClickPB acreditar que o novo texto, apresentado pelo relator e publicado ontem, é o que tem maior consenso e que deve ser aprovado, de forma a “preservar os mais pobres, mas cortar os privilégios da elite”.

Pedro Cunha Lima disse ao ClickPB que, apesar das mudanças feitas pelo relator no texto do projeto, ainda tem pontos para alterar, como reduzir mais a idade de aposentadoria para as professoras.

O deputado Gervásio Maia é contra a reforma da Previdência. Porém, ele disse que recebeu ontem à noite o relatório e está analisando, por isso evitou antecipar comentários. “As mudanças que foram feitas ontem eu estou fazendo uma análise delas”, explicou o socialista ao ClickPB.

O deputado federal Ruy Carneiro (PSDB) defendeu a Reforma da Previdência como um instrumento que surge para enfrentar um problema real nas aposentadorias. Ele disse que “ninguém conseguirá a Reforma perfeita, agora isso é uma realidade do mundo: as pessoas que viviam até 70 anos vão viver até 90, depois vão viver até 100 anos. O número de filhos, ou seja, trabalhadores em breve, está diminuindo, as pessoas estão tendo menos filhos. Nossa taxa de natalidade é 1,7 e já foi 3,4.”

A deputada Edna Henrique (PSDB) revelou ao ClickPB que está a favor da Reforma da Previdência por considerar que existe um prejuízo na Previdência do Brasil a ser resolvido, mas ainda avalia como ficará o texto final. Ela espera novas alterações na proposta com a retirada das categorias das pessoas mais carentes, como já ocorreu com os trabalhadores rurais e a remoção da capitalização do texto da Reforma.

O deputado federal Wilson Santiago (PTB) defende o que ele chama de retirada de privilégios da elite e se mostra contra a atual Reforma da Previdência apresentada pelo Governo Federal. Ele disse ao ClickPB que solicitou, desde o início, a retirada da capitalização da proposta e também remoção das mudanças nas aposentadorias rurais e do BPC (Benefício de Prestação Continuada).

Frei Anastácio também é contra a Reforma da Previdência e critica duramente o que considera plano de privilegiar os ricos e prejudicar os mais pobres. Ele propõe que a Reforma da Previdência inclua benefício de R$ 400 para os desamparados.

Aguinaldo Ribeiro (PP) manifestou-se a favor da Reforma da Previdência, em entrevista que têm concedido, e espera esforço dos governadores que apoiam a medida para que convertam isso em votos através das bancadas de seus respectivos estados. Ele se pronunciou também para dizer que os trabalhadores rurais não serão prejudicados na Reforma da Previdência.

O deputado Damião Feliciano é contra a Reforma da Previdência e disse em entrevista no mês de abril deste ano que o presidente Jair Bolsonaro precisa dialogar com os parlamentares. Ao ClickPB, Damião já declarava em 2017 ser contrário à reforma da Previdência.

Julian Lemos disse, em entrevista à Rádio Câmara em 14 de maio, que a Reforma da Previdência é vital e orientou que as pessoas procurem os parlamentares de seus estados para entender melhor da proposta e apoiá-la a fim de resolver o que ele chama de “desigualdades da Previdência”.

Já Hugo Motta mostrou-se contra a Reforma da Previdência.

O deputado Wellington Roberto apresentou proposta para retirar por completo as mudanças que prejudicam os professores, na Reforma da Previdência.

Wellington Roberto disse ao ClickPB que não aceita a idade estabelecida de 57 anos para mulheres e 60 anos para homens e acredita que o ideal é 55 anos para homens e 50 para mulheres, na classe dos educadores. Ele defendeu também a retirada dos trabalhadores rurais da reforma e outras mudanças já apresentadas ontem pelo relator Samuel Moreira.

“Acabei de falar com ele (o relator) e disse que tinha apresentado o destaque (de supressão dos professores da Reforma). Outra coisa foi essa maquiagem que o governo fez em relação à transferência para os estados e municípios que vai ainda em discussão no plenário. Os estados e municípios devem ficar de fora porque a maioria que apoia não está satisfeita com essa inclusão dos estados e municípios. O relatório da Reforma determina (contribuição previdenciária de) 14% para servidores estaduais e municipais e nós não vamos aceitar isso”, acrescentou o deputado paraibano.

Ele também comentou sobre o aumento de 5% na CSLL que foi proposta dentro da Reforma. “Eu apresentei através do nosso partido uma Emenda Global, que tinha um ‘gatilho’ que poderia contribuir em relação à capitalização, e, agora para surpresa nossa, o relator apresenta um ajuste que é a contribuição, querendo ou não omitindo a questão da CPMF, mas uma contribuição em cima do CSLL (Contribuição Social sobre Lucro Líquido). Isso é um tributo. Um tributo que vai aumentar na alíquota do banco. Se eles pagam 15% de tributo ao Governo Federal e vão colocar para 20%, eles (bancos) vão repassar isso para o consumidor. É uma situação que eles (bancos) repassam para os estados e municípios para fortalecer a receita da União e dos estados e, consequentemente, ‘maquiar’ uma condição que não foi combinada com o Congresso.”

“Eu não sou contrário à tributação. Na minha Emenda Global, eu apresentei um ‘gatilho’ para que, na necessidade do governo não arrecadar o suficiente para cobrir as despesas correntes da Previdência, ele poderia acionar (o ‘gatilho’). Mas era bem diferente disso aí: era uma coisa de 0,05%”, explicou Wellington Roberto ao ClickPB.

O relatório de Samuel Moreira, apresentado nessa quinta-feira (13), modifica alguns dos principais pontos da matéria. No parecer do relator, foram retirados alguns pontos, como mudanças na aposentadoria rural, no Benefício de Prestação Continuada (BPC) e a criação do regime de capitalização. Além disso, ficaram de fora do relatório estados e municípios.

VOTA CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Gervásio Maia

Está analisando o relatório.

Frei Anastácio

“É um governo que não cobra dos bancos e empresas que devem à Previdência, mas quer retirar mais de um trilhão de quem ganha até dois salários mínimos, com a Reforma da Previdência.”

Damião Feliciano

Contra a Reforma da Previdência.

Hugo Motta

Contra a Reforma da Previdência.

Wilson Santiago

“Desde o primeiro momento que a gente vem solicitando a retirada do trabalhador rural, do BPC (Benefício de Prestação Continuada), da capitalização. Terminou, ontem, o relator retirando isso. Eu concordo na Reforma da Previdência que sejam retirados de privilégios da elite.”

APROVA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Efraim Filho

“A gente está concordando com o texto que preserva, que retirou a aposentadoria rural, que retirou o BPC, ou seja, preservou as pessoas mais pobres, os trabalhadores rurais, as pessoas com deficiência, os idosos abaixo da linha da pobreza, que são os beneficiários do BPC, reduziu a idade da aposentadoria das professoras, também consideramos justo, então achamos que a movimentação no texto foi positiva, ao mesmo tempo em que continua cortando regalias e privilégios dos marajás da previdência, então o nosso posicionamento é favorável”.

Ruy Carneiro

“O relatório que foi apresentado ontem já melhorou bastante. Acho que a tendência da Casa (Câmara), não só a minha, é votar favorável à Reforma da Previdência. Há algumas áreas que podem ser melhoradas (no texto da Reforma). Na questão da aposentadoria rural e do BPC já houve avanço porque elas ficaram como eram. Na questão de transição tem algumas questões de idade que precisam ser vistas. É importante, e acho que muita gente já criou essa consciência, de que o país precisa da Reforma. A gente não pode se esconder e fingir que isso não é real. Isso foi defendido por Lula, Dilma e Fernando Henrique, Bolsonaro, Temer… Tem que dizer a verdade. Já, já, a folha da Previdência ultrapassa a dos ativos. Agora, pontualmente, vamos melhorar a Reforma (da Previdência). Eu acho, inclusive, que a Reforma é mais importante nos municípios e nos estados porque a nível federal você pode vender um título público e buscar dinheiro no mercado para pagar uma folha de Previdência e um prefeito não pode fazer isso, o governador da Paraíba, (por exemplo), não pode fazer isso.”

Julian Lemos

“Hoje, a Reforma da Previdência é vital. O povo tem que se envolver, procurar seus deputados e senadores e chamar o feito à ordem. Se você concorda ou falta algum tipo de explanação que falta lhe esclarecer mais, procure saber e procure, não fazer pressão, mas cobrar opiniões e o que você espera que seu parlamentar faça no Congresso. Não temos outra oportunidade de acabar com essas desigualdades na Previdência. Que a oposição raivosa e caluniosa tenha um minuto de lucidez e pare simplesmente de ser contra a qualquer coisa que seja positiva ou razoável.”

Wellington Roberto

“Eu sou a favor da Reforma da Previdência. A Reforma é necessária, tem que acontecer. Até porque temos que enxergar quem vem depois de nós. O futuro dos nossos filhos e todas as pessoas que virão por anos e anos na frente. Agora, tem que ter consciência e pé no chão para fazer uma coisa que possa dar certo. Para fazer uma coisa de forma irresponsável e transferir para cima daqueles mais necessitados, eu não vou concordar com isso. Já tiramos os rurais, vou defender a questão dos professores que é uma profissão de risco. Você vê alunos se mobilizando contra professores, gente entrando em sala de aula matando… Então é profissão de risco. Vou defender, no mínimo, de 50 e 55 anos (para professores). Eu sou a favor da Reforma, mas do jeito que está, eu não concordo com determinados pontos.”

Aguinaldo Ribeiro

“Para quem conhece a realidade do campo a gente sabe o que é e o quão sofrida é sobretudo no Nordeste brasileiro onde temos um ciclo de seca por reiteradas vezes e a gente sabe a realidade e a expectativa de vida, por isso se colocou a questão da aposentadoria rural e é importante que fique claro que esse acordo passou preliminarmente pela preservação dos direitos do homem e da mulher do campo, segundo a questão do BPC que já havíamos tratado anteriormente e aquela época também já havia sido negociada a retirada do Beneficio da Prestação Continuada. Estamos trabalhando aqui para preservar os vulneráveis, preservando aquele cidadão também que ganha até um salário mínimo que não será atingido por essa reforma.”

PARCIALMENTE FAVORÁVEL

Pedro Cunha Lima

“Eu ainda estou querendo ver qual vai ser a alteração que vai ter na Comissão Especial. Eu não voto sem mexer no abono salarial, e tá mexendo ainda, eu ainda estou fazendo um estudo sobre o BPC, os benefícios para a pessoa com deficiência, tem um deputado do PSDB que está muito enfronhado nisso, e tem algumas alterações ainda que me preocupam, mas eu tenho uma tendência a votar favorável, pela necessidade da reforma, isso aí é inquestionável. Eu estou fazendo algumas reivindicações ainda. A questão do abono salarial é inadmissível, tem que tirar da reforma, não tem nada a ver com previdência e a gente não pode mexer com quem recebe até dois salários mínimos, um benefício como esse. Quanto ao BPC, já tirou da reforma, eu estou querendo ver só o que ainda tem de impacto para a pessoa com deficiência”.

Edna Henrique

“O que estou mesmo centrada e estava buscando era a retirada em relação aos trabalhadores rurais, ao BPC (Benefício de Prestação Continuada) e outros pontos que nós sabíamos que prejudicavam os mais pobres. Essas retiradas me deixaram bem a vontade porque essa é a minha luta, pois os trabalhadores rurais e outros mais carentes não podem pagar por essa conta toda (do prejuízo previdenciário) sozinhos. Agora vamos adiante com os outros casos, como dos servidores públicos, das aposentadorias especiais… Quando forem apresentados os destaques a gente vai vendo caso a caso.”

SUMÉ: Waldonys e Kátia Cilene embalam forrozeiros neste final de semana

Neste final de semana, Sumé promete atrair um grande público da região e de outras cidades para as festas juninas do município que começaram nesta sexta-feira (14), abrindo com a 2ª edição da Namoradrilha com os cantores Filipe Warley e Ramon Schnayder.

Este sábado e domingo, são esperadas grandes atrações, que são os cantores Waldonys, Forró D2, Adriano Silva e Kátia Cilene, que trazem em seus repertórios muito forró de qualidade para animar os forrozeiros.

Repetindo o sucesso do São João do ano passado, mais uma vez o cantor Waldonys se apresenta em Sumé, trazendo em seu trabalho o amor às raízes nordestinas.

A cantora Kátia Cilene, ex vocalista da banda Mastruz com Leite, vai animar a noite fazendo o público recordar o forró romântico dos anos 90, com canções como, Meu Vaqueiro Meu Peão, Meu Ex e Eu te amei como nunca ninguém te amou.

A programação do São João de Sumé segue na segunda-feira (17), no Arraial Zé Marcolino com os trios de forró pé de serra. A programação do palco principal volta na sexta-feira (21), encerrando-se no domingo (23).

Banner Prata

EXCLUSIVO: Homem é assassinado a tiros no Cariri

Prefeita assina ordem de serviços, entrega obras e veículos em Ouro Velho

Prefeita de Monteiro inaugura nova academia de saúde e beneficia mais um bairro

Alunos da Rede Municipal de Monteiro são destaques nos Jogos Escolares da Paraíba

Vereadores prestigiam entrega de mais uma importante obra em Monteiro

[+]   POSTAGENS