::Banco do Brasil entrega trator adquirido através de linha de crédito em Monteiro ::Vice-prefeito e Presidente da Câmara prestigiam confraternização em Monteiro ::Homem é assassinado a tiros no Cariri ::Vereador de São João do Cariri exalta trabalho de Ricardo na Paraíba ::Prefeita Ana Lorena recebe neste sábado Prêmio Referência 2018 ::Carro se parte ao meio após colidir e derrubar poste em JP ::Justiça recebe denúncia contra Lula por lavagem de dinheiro ::Cássio diz que PSDB errou e cita vitória de Bolsonaro como falência do sistema político ::Prefeitura de Sumé paga segunda parcela do 13° dos servidores municipais ::Quatro cidades do Cariri estão entre os menores PIBs da Paraíba Malves Supermercados

Banco do Brasil entrega trator adquirido através de linha de crédito em Monteiro

Banner Coringa Banner Coringa

Vice-prefeito e Presidente da Câmara prestigiam confraternização em Monteiro

O vice prefeito Celecileno Alves e o presidente da câmara de Monteiro Bero de Bertino também participaram da confraternização promovida pela administração municipal para os servidores públicos.

O evento foi um sucesso e a organização promovida pela equipe comandada pessoalmente pela prefeita Anna Lorena foram dignos de elogios por parte das centenas de pessoas que compareceram.

“Um momento para aproximar nossa equipe, os funcionários que são nossa peça fundamental desta engrenagem, suas famílias, governo, todos juntos. Tudo muito bom.Parabéns a todos nós”, disse o vice prefeito Celecileno

“A câmara de Monteiro fica feliz de poder também estar juntos com esta verdadeira família, que é a equipe de governo e acima de tudo o funcionalismo público que presta relevantes serviços à população e merecem todas as homenagens”, disse o vereador Bero.

Homem é assassinado a tiros no Cariri

Banner educação

Vereador de São João do Cariri exalta trabalho de Ricardo na Paraíba

II Inova Monteiro Trend e 1ª Feira de Caprinovinocultura movimentam economia do Cariri paraibano II Inova Monteiro Trend e 1ª Feira de Caprinovinocultura movimentam economia do Cariri paraibano

O Vereador e Presidente Municipal do PSB de São João do Cariri, George Aquino, afirmou que o Governador Ricardo Coutinho foi o grande benfeitor do Cariri e da Paraíba, e que deixando sua marca para a história do Estado.

“Sempre acreditei no Projeto do PSB comandado por Ricardo Coutinho, aqui no Cariri fui um dos que desde 2010 apostei e sempre lutei para que isso acontecesse”, disse George.

George disse que o Cariri tem uma história antes e depois do governo de Ricardo Coutinho, onde a gestão realizou investimentos em vários setores da região.

“O Orçamento Democrático, instrumento de escutar os anseios da população, resultando em várias obras, construindo o anel viário do Cariri, tirando do isolamento várias cidades pequenas e esquecidas durante anos. Na Educação deixou seu marco em todos os sentidos, como reforma de escolas, construção de Escolas Técnicas entre outros”, disse o vereador.

O parlamentar ainda destacou a perfuração de poços realizada pelo Governo, que para ele é uma grande necessidade da região, além de ter colocando a CDRM pra funcionar após vários anos parada.

“Obras hídricas, adutoras, o Pacto Social, avanço na Saúde, as finanças do estado é exemplo para o Brasil, é tantas obras espalhadas pelo o estado que o tempo tá curto pra inaugurar todas antes que termine o mandato de Ricardo Coutinho. E tem o melhor, o povo reconheceu isso, e elegeu Joao Azêvedo, que particularmente eu tenho a certeza que é o melhor nome para continuar esse desenvolvimento. Portanto nos resta como representante do povo de São João do Cariri a agradecer e reconhecer”, finalizou o vereador.

Prefeita Ana Lorena recebe neste sábado Prêmio Referência 2018

Carro se parte ao meio após colidir e derrubar poste em JP

Justiça recebe denúncia contra Lula por lavagem de dinheiro

II Inova Monteiro Trend e 1ª Feira de Caprinovinocultura movimentam economia do Cariri paraibano II Inova Monteiro Trend e 1ª Feira de Caprinovinocultura movimentam economia do Cariri paraibano

A Justiça Federal recebeu hoje (14) denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na qual se tornou réu por lavagem de dinheiro porque teria recebido R$ 1 milhão do grupo brasileiro ARG. Os valores teriam sido dissimulados na forma de doação ao Instituto Lula.

De acordo com o MPF, o pagamento teria sido feito depois que o ex-presidente influiu em decisões do presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang, as quais resultaram na ampliação dos negócios da empresa no país africano. A denúncia foi apresentada em novembro pela Força Tarefa da Operação Lava Jato em São Paulo.

“A abertura de uma nova ação penal contra Lula com base em acusação frívola e desprovida de suporte probatório mínimo é mais um passo da perseguição que vem sendo praticada contra o ex-presidente com o objetivo de impedir sua atuação política por meio da má utilização das leis e dos procedimentos jurídicos (lawfare)”, disse, em nota, o advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins.

Também responderá ao processo o controlador do grupo ARG, Rodolfo Giannetti Geo, que foi denunciado por lavagem de dinheiro e tráfico de influência em transação comercial internacional. Os fatos, segundo a denúncia, ocorreram entre setembro de 2011 e junho de 2012. Como Lula tem mais de 70 anos, o crime de tráfico de influência prescreveu em relação a ele, mas não para o empresário.

Denúncia

O MPF se baseou em e-mails encontrados após busca e apreensão realizada no Instituto Lula em março de 2016 durante a Operação Aletheia, 24ª fase da Operação Lava Jato de Curitiba. Segundo o MPF, o ex-ministro do Desenvolvimento do governo Lula Miguel Jorge comunicou à Clara Ant, diretora do Instituto Lula, que o ex-presidente havia dito a ele que gostaria de falar com Geo sobre o trabalho da ARG na Guiné Equatorial. Segundo o ex-ministro informava no e-mail, a empresa estava disposta a fazer uma contribuição financeira ao Instituto Lula.

Em maio de 2012, Geo encaminhou para Clara Ant, por e-mail, uma carta digitalizada de Teodoro Obiang para Lula e pediu que fosse agendada uma data para encontrar o ex-presidente e lhe entregar a original. Geo disse também que voltaria à Guiné Equatorial em 20 de maio e que gostaria de levar a resposta de Lula a Obiang.

O ex-presidente escreveu uma carta a Obiang, datada de 21 de maio de 2012, em que mencionava um telefonema entre ambos e sua crença no fato de que a Guiné Equatorial poderia ingressar, futuramente, na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. No mesmo documento, Lula informava que Rodolfo Geo dirigia a ARG, “empresa que já desde 2007 se familiarizou com a Guiné Equatorial, destacando-se na construção de estradas”. A carta foi entregue em mãos a Obiang pelo empresário.

“A denúncia não aponta qualquer ato concreto praticado por Lula que pudesse configurar a prática de lavagem de dinheiro ou tráfico de influência”, disse a defesa de Lula.

O MPF juntou à denúncia o registro da transferência bancária de R$ 1 milhão da ARG ao Instituto Lula em 18 de junho de 2012. Recibo emitido pela instituição na mesma data e também apreendido na entidade registra a doação do valor. No entanto, o MPF avalia que foi um pagamento de vantagem a Lula por influência ao presidente de outro país. A doação seria uma dissimulação da origem do dinheiro ilícito, segundo a denúncia, o que configuraria crime de lavagem de dinheiro.

A defesa de Lula nega a acusação. “A doação questionada foi dirigida ao Instituto Lula, que não se confunde com a pessoa do ex-presidente. Além disso, trata-se de doação lícita, contabilizada e declarada às autoridades, feita por mera liberalidade pelo doador”, diz o advogado de Lula.

Banner Câmara

Cássio diz que PSDB errou e cita vitória de Bolsonaro como falência do sistema político

Plenário do Senado Federal durante sessão não deliberativa ordinária.
Em discurso, senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB).
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) criticou o PSDB e o cenário político atual e disse que há uma “falência do sistema político”. Ele ainda falou, em entrevista à TV Correio nesta sexta-feira (14), que vai “procurar melhorar o PSDB” e disse que vai atuar como advogado em Brasília, com o fim do mandato e estando sem cargo político a parti de 2019.

Cássio avaliou que o PSDB errou. “O partido errou em vários momentos. O sistema político brasileiro cometeu falhas graves que precisam ser reparadas, corrigidas. A própria eleição do presidente Jair Bolsonaro mostra para essa falência do sistema político. Então eu vou procurar melhorar o PSDB, fazer com que o partido faça essa autocrítica, corrigir erros que foram cometidos no passado.”

Ele considera essa reorganização um trabalho complexo. “Fortalecer a instituição partidária não é algo fácil porque você também precisa fazer primeiro uma reflexão do papel do partido político nos tempos atuais, onde as pessoas se comunicam por redes sociais. As pessoas se aglomeram e se agrupam em torno de um pensamento não mais de forma física, mas sim, de forma virtual. Então o papel do partido político não apenas no Brasil, mas no mundo inteiro, está em cheque está sob questionamento. Esse é um grande desafio apenas para o PSDB mas também para as outras legendas.”

Prefeitura de Sumé paga segunda parcela do 13° dos servidores municipais

II Inova Monteiro Trend e 1ª Feira de Caprinovinocultura movimentam economia do Cariri paraibano II Inova Monteiro Trend e 1ª Feira de Caprinovinocultura movimentam economia do Cariri paraibano

O pagamento da parcela final do 13° salário dos servidores efetivos da Prefeitura de Sumé vem ocorrendo desde o dia 13 de dezembro. São 556 servidores que estão recebendo o dinheiro em suas contas. O total da folha é de R$ 460 mil. O adiantamento da primeira parcela ocorreu no mês de junho, com um total de R$ 500 mil.

Segundo o secretário de Finanças do município Robério Cipriano, apesar de toda a crise financeira que o País enfrenta, atualmente, Sumé vem conseguindo manter as contas públicas equilibradas.

“A determinação do prefeito Éden é no sentido de que todas as medidas administrativas sejam adotadas com base em planejamento, estratégia e responsabilidade social de modo que o pagamento dos servidores municipais seja a prioridade número um”, disse o secretário.

“Esse ano de 2018 foi muito difícil, porém, com organização, planejamento e determinação de só aplicar na comunidade aquilo que só tem depositado em conta, temos conseguido evitar que o pior aconteça”, destacou o secretário.

Robério lembrou também que a chave do sucesso da administração do prefeito Éden, deve-se em grande parte à credibilidade e ao respaldo que o município tem perante outros órgãos da federação: estadual e federal.

Soma-se a isso, a transparência dos gastos públicos com informações junto ao Tribunal de Contas, alimentação dos sistemas de Saúde e Wducação, realização dos depósitos de contrapartida e todos os pagamentos em dia com as obrigações sociais, como IPAMS e INSS.

Quatro cidades do Cariri estão entre os menores PIBs da Paraíba

II Inova Monteiro Trend e 1ª Feira de Caprinovinocultura movimentam economia do Cariri paraibano II Inova Monteiro Trend e 1ª Feira de Caprinovinocultura movimentam economia do Cariri paraibano

Quatro das 223 cidades da Paraíba concentraram mais de 50% do Produto Interno Bruto (PIB) da economia do estado em 2016, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística nesta sexta-feira (14). João Pessoa, capital paraibana, continua como o município com maior PIB, ocupando inclusive a posição 44 na lista dos 100 municípios com maiores PIBs do Brasil.

As cidades paraibanas com maiores PIBs, além de João Pessoa com R$ 18,7 bilhões, são Campina Grande com R$ 8,3 bilhões, Cabedelo com R$ 2,4 bilhões e Santa Rita com R$ 2,1 bilhões. As quatro juntas somam um PIB de R$ 31 bilhões, aproximadamente 52% do total do PIB na Paraíba.

As cidades de Parari, Coxixola, Zabelê e Amparo, no Cariri paraibano, estão entre as 10 cidades com menores PIBs no Estado.

No somatório dos 223 municípios paraibanos, o PIB chegou a R$ 59,08 bilhões. As duas maiores cidades paraibanas – João Pessoa e Campina Grande – concentram, no entanto, o PIB equivalente ao somatório dos PIBs de 208 menores municípios da Paraíba. Em termos percentuais os PIBs da capital e Campina Grande corresponde a 45,89% do total.

Levando em consideração apenas a conurbação da área conhecida como Grande João Pessoa, o PIB dessa região a economia das quatro cidades (João Pessoa, Cabedelo, Santa Rita e Bayeux) movimentaram cerca de R$ 24,5 bilhões em 2016, cerca de 41% do total do PIB paraibano.

Confira a lista dos 10 municípios com maiores PIBs

1 João Pessoa – R$ 18,7 bilhões
2 Campina Grande – R$ 8,3 bilhões
3 Cabedelo – R$ 2,4 bilhões
4 Santa Rita – R$ 2,1 bilhões
5 Patos – R$ 1,5 bilhão
6 Bayeux – R$ 1,2 bilhão
7 Sousa – R$ 1,048 bilhão
8 Cajazeiras – R$ 1,046 bilhão
9 Guarabira – R$ 934 milhões
10 Alhandra – R$ 864 milhões

Confira a lista dos 10 municípios com menores PIBs

1 Areia de Baraúnas – R$ 17,1 milhões
2 Parari – R$ 17,4 milhões
3 Coxixola – R$ R$ 18,3 milhões
4 São José do Brejo do Cruz – R$ 19,483 milhões
5 Quixaba – R$ R$ 19,485 milhões
6 Zabelê – R$ 19,5 milhões
7 Riacho de Santo Antônio – R$ 20,1 milhões
8 Curral Velho – R$ 21,5 milhões
9 Amparo – R$ 21,9 milhões
10 Mato Grosso – R$ 22,2 milhões

Prefeito Éden Duarte recebe neste sábado Prêmio Referência por excelência em gestão

Banner Ecos TV

Centro de Reabilitação de Monteiro recebe prêmio de excelência de prestação de serviço

II Inova Monteiro Trend e 1ª Feira de Caprinovinocultura movimentam economia do Cariri paraibano II Inova Monteiro Trend e 1ª Feira de Caprinovinocultura movimentam economia do Cariri paraibano

O Ministério da Saúde presenteou o Centro de Reabilitação da cidade de Monteiro com um veículo que passará a fazer o transporte dos usuários do serviço que possuem dificuldades de locomoção.

A oferta do veículo que tem um custo de R$240 mil reais se deu através da avaliação do Centro Especializado que recebeu os melhores conceitos nos quesitos de organização, qualidade e número de atendimento assim como no critério de estrutura.

Com apenas pouco mais de um ano de atendimento, o CER II da cidade de Monteiro é referência no estado da Paraíba realizando mensalmente um número aproximado de 1.500 atendimentos, sendo 700 pacientes com tratamento permanente.

Os serviços oferecidos pelo Centro de Reabilitação incluem médicos psiquiatras, neurologista, ortopedista, psicólogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais e enfermagem, que atendem a região do Cariri.

Para a diretora do Centro Ana Nóbrega, a premiação vai ser de imensurável ajuda nos serviços, tendo em vista que alguns pacientes do serviço têm dificuldade de locomoção.

“Temos um atendimento diferenciado aqui que é baseado principalmente na excelência do atendimento onde oferecemos uma atenção diferenciada e todos os profissionais atendem com muito carinho e isso é perceptível com o retorno que os pacientes nos dão. Este é mais um motivo de orgulho para nós” disse Ana Nóbrega.

A prefeita Anna Lorena juntamente com a secretária de saúde Paula Oliveira, comemoram este reconhecimento e informam que o veículo já está a disposição do Centro de Reabilitação Stella Batista da Silva Farias.

Prefeitura de Camalaú antecipa repasse do Duodécimo à Câmara de Vereadores

Câmara de Monteiro aprova contas de 2014 da ex-prefeita Edna Henrique

DPVAT: valor do seguro obrigatório vai cair 63,3% em 2019

II Inova Monteiro Trend e 1ª Feira de Caprinovinocultura movimentam economia do Cariri paraibano II Inova Monteiro Trend e 1ª Feira de Caprinovinocultura movimentam economia do Cariri paraibano

As reduções ocorrerão de forma diferenciada conforme o tipo de veículo. Automóveis particulares, táxis e carros de aluguel, veículos ciclomotores e máquinas de terraplanagem, tratores, caminhões, pick-ups, reboques e semirreboques terão o DPVAT reduzido em 71%. No caso dos automóveis particulares, a tarifa cairá de R$ 41,40 para R$ 12.

Os ônibus, micro-ônibus e lotações terão o seguro reduzido em 79%. Já o seguro para as motocicletas e motonetas, que concentram a maior parte dos acidentes de trânsito que demandam o acionamento do DPVAT, cairá menos e ficará 56% mais barato.

Combate a fraudes
Em nota, o Ministério da Fazenda informou que a redução dos prêmios tarifários foi possível porque o montante de recursos acumulados atualmente é superior às necessidades do DPVAT. A pasta atribuiu a sobra de recursos ao combate às fraudes, que levou a uma redução significativa dos sinistros, e à rentabilidade das reservas do fundo que compõe o seguro.

O ministério informou ainda que os percentuais de redução variaram de acordo com o tipo de veículo para reduzir o subsídio às motos. Apesar de concentrarem 74% das indenizações, as motocicletas correspondem a apenas 27% da frota nacional.

Em relação aos veículos de transporte coletivo, a redução foi proporcionalmente maior porque o Conselho Nacional de Seguros Privados quis privilegiar os meios de transportes coletivos, que oferecem menos riscos em relação aos meios de transporte individuais.

Segundo a Fazenda, as reservas são mais que suficientes para garantir a solvência de longo prazo do Seguro DPVAT, que paga indenizações em torno de R$ 2 bilhões por ano. O ministério também destacou melhorias na gestão da Seguradora Líder, administradora do seguro obrigatório, o que aumentou o rigor com as indenizações e reduziu os gastos com o DPVAT.

Banner Prata

Comissão do Congresso aprova bloqueio de verbas para Canal Vertente Litorânea

II Inova Monteiro Trend e 1ª Feira de Caprinovinocultura movimentam economia do Cariri paraibano II Inova Monteiro Trend e 1ª Feira de Caprinovinocultura movimentam economia do Cariri paraibano

A Comissão Mista de Orçamento aprovou na quinta-feira (13) um relatório que determina o bloqueio de recursos, em 2019, para 11 empreendimentos construídos, no todo ou em parte, com recursos federais. Na relação, está o Canal Adutor Vertente Litorânea, na Paraíba.

O relatório foi elaborado pelo Comitê de Avaliação das Informações sobre Obras e Serviços com Indícios de Irregularidades (COI), que integra a comissão. O COI é coordenado pelo deputado Covatti Filho (PP-RS). O parecer foi lido na comissão pelo deputado Izalci Lucas (PSDB-DF).

Os empreendimentos foram flagrados em auditorias do Tribunal de Contas da União (TCU), que apontaram problemas como indícios de superfaturamento, sobrepreço, projeto deficiente e restrição à competitividade da licitação. No jargão da corte, as obras são identificadas pela sigla IGP. A lei orçamentária possui um anexo específico (Anexo 6) listando as obras com IGP. Elas não podem ser executadas enquanto não forem sanados os problemas apontados pelo tribunal.

O Canal Adutor Vertente Litorânea foi planejado como uma das formas de aproveitamento das águas do Rio São Francisco, transpostas para o estado da Paraíba pelo Eixo Leste do Programa de Integração do Rio São Francisco. A área de influência do canal abrange mais de 30 municípios, com uma população superior a 600 mil habitantes. Desses, cerca de 169 mil são pessoas que atualmente não dispõem de qualquer tipo de serviço público de abastecimento de água. O montante de recursos fiscalizados na obra pelo TCU ultrapassou R$ 1 bilhão .

Execução das obras
Em termos práticos, a inclusão de um projeto no Anexo 6 não significa a paralisação do canteiro de obras. Depende de cada caso. É comum um projeto de grande porte envolver várias licitações, cada uma gerando contratos específicos. Os contratos que não estiverem no anexo podem ser executados normalmente. É o caso, por exemplo, das obras da BR-040, no Rio de Janeiro. O TCU questiona um termo aditivo, que o COI recomenda bloquear. Mas o contrato principal da obra não foi afetado e pode ser executado normalmente em 2019.

Empreendimentos
Das 11 obras, seis foram incluídas na lei orçamentária deste ano pelo Congresso – ou seja, começaram 2018 com recursos bloqueados. São elas: implantação do BRT em Palmas (TO); trechos 1 e 2 do corredor de ônibus Radial Leste, na cidade de São Paulo; implantação de novo trecho da BR-040 para a subida da Serra de Petrópolis (RJ); ampliação da capacidade da BR-290, no trecho Porto Alegre-Osório (RS); e construção da ferrovia Transnordestina.

Já os empreendimentos que não constam na atual lei orçamentária e que o COI recomenda a paralisação de contratos em 2019 são: adequação de trecho da BR-116, entre Bahia e Pernambuco; corredores de ônibus Aricanduva (SP) e Capão Redondo-Vila Sônia, ambos na cidade de São Paulo; e construção dos canais adutores do Sertão Alagoano e Vertente Litorânea (PB).

Casos graves
Entre as 11 obras indicadas pelo COI para integrar o Anexo 6 da lei orçamentária de 2019, duas chamaram atenção: a construção da ferrovia Transnordestina e a adequação de trecho da BR-116 (BA).

O comitê recomendou o bloqueio de qualquer recurso, a qualquer título, para a ferrovia, e não apenas nos contratos fiscalizados pelo TCU. Segundo a corte, mesmo tendo gasto mais de R$ 5,7 bilhões de recursos públicos desde 2006, a concessionária responsável pela Transnordestina não conseguiu executar mais de metade das obras, não dispõe de projeto adequado nem de orçamento confiável para a sua conclusão.

No caso da BR-116, o comitê afirma que o dano vai além da questão econômica, pois há possibilidade de o trecho em execução colocar em risco a vida dos motoristas e passageiros pela baixa qualidade do serviço realizado.

Marielle foi morta por milicianos por causa de terras, diz secretário do RJ

II Inova Monteiro Trend e 1ª Feira de Caprinovinocultura movimentam economia do Cariri paraibano II Inova Monteiro Trend e 1ª Feira de Caprinovinocultura movimentam economia do Cariri paraibano

O secretário de Segurança Pública do Rio, Richard Nunes, afirmou, em entrevista ao jornal “Estado de S.Paulo”, que a vereadora Marielle Franco foi morta por milicianos que viam nela uma ameaça a negócios de grilagem de terras na Zona Oeste do Rio.

“Era um crime que já estava sendo planejado desde o final de 2017, antes da intervenção”, disse Nunes ao “Estadão”.

“Ela estava lidando em determinada área do Rio controlada por milicianos, onde interesses econômicos de toda ordem são colocados em jogo”, prosseguiu. “O que leva ao assassinato da vereadora e do motorista é essa percepção de que ela colocaria em risco naquelas áreas os interesses desses grupos criminosos”, emendou.

“A milícia atua muito em cima da posse de terra e assim faz a exploração de todos os recursos. E há no Rio, na área oeste, na baixada de Jacarepaguá, problemas graves de loteamento, de ocupação de terras. Essas áreas são complicadas”, continuou Nunes.

Ainda segundo o secretário, Marielle vinha conscientizando moradores sobre a posse da terra. “Isso causou instabilidade e é por aí que nós estamos caminhando. Mais do que isso eu não posso dizer”, afirmou.

DH fez operação na quinta

Nesta sexta (14), faz nove meses que a vereadora e o motorista Anderson Gomes foram executados no Rio. Na quinta (13), a Delegacia de Homicídios fez uma operação em dois estados para cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão relacionados aos crimes.

A operação foi realizada para prender milicianos – alguns suspeitos de envolvimento no crime, que ocorreu no dia 14 de março.

Os policiais estiveram em 15 endereços, inclusive fora do estado, como em Juiz de Fora, em Minas. No RJ, equipes estão na Zona Oeste do Rio; em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense; em Petrópolis, na Região Serrana; e em Angra dos Reis, na Costa Verde.

Em Angra, os agentes ficaram encurralados por traficantes na comunidade do Frade, e precisaram da ajuda de policiais militares e de um helicóptero.

Durante as buscas em Juiz de Fora, mais problemas. Como os policiais estavam em carros descaracterizados, PMs pararam a equipe para checar quem eram os homens armados estavam circulando pela cidade.

Os mandados fazem parte de um inquérito à parte, mas, de acordo com o delegado Giniton Lages, que está à frente das investigações, todos têm ligação com os assassinatos. As mortes completam nove meses nesta sexta-feira (14).

Operação na PB contra desvios na Cruz Vermelha prende empresário

II Inova Monteiro Trend e 1ª Feira de Caprinovinocultura movimentam economia do Cariri paraibano II Inova Monteiro Trend e 1ª Feira de Caprinovinocultura movimentam economia do Cariri paraibano

O Ministério Público da Paraíba desencadeou, na manhã desta sexta-feira (14), a Operação Calvário com o intuito de investigar uma organização criminosa instaurada na Cruz Vermelha do Brasil, que administra o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa Senador Humberto Lucena.

Em João Pessoa foi preso o empresário Roberto Calmon, que tem ligações com a organização social. Conforme as investigações, a Cruz Vermelha viria sacando “milhões de reais desde 2011, quando passou a atuar na Paraíba”. A ação acontece em conjunto com os Ministérios Públicos no Rio de Janeiro de Janeiro e Goiás.

Ao Portal MaisPB, o coordenador do Gaeco na Paraíba, Otávio Paulo Neto, informou que trata-se de um esforço investigativo no qual foi possível divisar inúmeras condutas delituosas praticadas no âmbito de organização criminosa infiltrada na Cruz Vermelha do Brasil – filial do Rio Grande do Sul, dentre outros organismos não governamentais, incluindo o Órgão Central da Cruz Vermelha no Brasil, a filial no Estado de Sergipe e o Instituto de Psicologia Clínica, Educacional e Profissional.

Conforme apurado no curso das investigações, a organização criminosa infiltrada no órgão é comandada por Daniel Gomes da Silva, ex-dirigente da empresa TOESA SERVICE S/A, que já possui anterior condenação criminal em primeira instância, pelo crime de peculato, em razão de sua empresa ter sido contratada por valores superfaturados para o serviço de manutenção de ambulâncias à Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro.

Operando sob a denominação e o CNPJ destas entidades não governamentais, a organização criminosa obteve acesso a mais de R$ 1,1 bilhão em recursos públicos, para a gestão de unidades de saúde em outras unidades da Federação.

Além de desviar recursos públicos, o grupo ainda se apropriou indevidamente de recursos privados que haviam sido confiados ao órgão central a Cruz Vermelha (posteriormente sucedida pela filial da CVB no Estado de Sergipe) pela empresa multinacional HYDRO ALUNORTE3, para gestão de projeto de recuperação de acidente ambiental ocorrido no Município de Barcarena, no Estado do Pará.

Por intermédio desses mecanismos, foram desviados milhões em recursos públicos da saúde, desde julho de 2011 até hoje. A suspeita é que o valor desviado do patrimônio público é superior ao estimado na investigação, levando em consideração que somente foram computadas as despesas da CVB-RS com uma pequena parcela de fornecedores que prestam serviços em unidades de saúde do município e do Estado do Rio de Janeiro, não alcançando os desvios de recursos públicos decorrentes da atuação da organização criminosa no Estado da Paraíba, onde a Cruz Vermelha vem recebendo “centenas de milhões de reais desde o ano de 2011”.

As charges do dia...

As Águas Que Virão - Por Asley Ravel

[+]   POSTAGENS