::PESQUISA CONSULT: Carlos Batinga está entre os 36 mais citados para a ALPB ::TCE aprova contas de Monteiro, São José dos Cordeiros e Assembleia Legislativa ::Vice-prefeito assume e prevê mudanças na Prefeitura de Patos ::Natália de Dr. Júnior tem contas de 2017 aprovadas por unanimidade pelo TCE ::Saúde de Sumé realiza mutirão de ultrassonografia obstétrica ::Polícia distribui armamento e equipamentos de proteção na Paraíba ::NO CARIRI: Equipe do Projeto Solo na Escola da UFCG anima atividades nas escolas ::Em tom de despedida, Wilson Filho presta contas na Câmara ::Ricardo Coutinho tem 75.50% de aprovação em todo Estado ::Disputa pelo Senado: Cássio lidera com 12,98%, Vené tem 10,80% e Luiz Couto 8,43% Malves Supermercados

PESQUISA CONSULT: Carlos Batinga está entre os 36 mais citados para a ALPB

Banner Coringa Banner Coringa

TCE aprova contas de Monteiro, São José dos Cordeiros e Assembleia Legislativa

Vice-prefeito assume e prevê mudanças na Prefeitura de Patos

Banner educação

Natália de Dr. Júnior tem contas de 2017 aprovadas por unanimidade pelo TCE

Saúde de Sumé realiza mutirão de ultrassonografia obstétrica

Polícia distribui armamento e equipamentos de proteção na Paraíba

NO CARIRI: Equipe do Projeto Solo na Escola da UFCG anima atividades nas escolas

Debate da Arapuan: veja o que cada candidato defendeu em confronto Debate da Arapuan: veja o que cada candidato defendeu em confronto

Ao longo das últimas semanas integrantes do Teatrinho do Solo e do Ateliê da Geotinta (Projeto Solo na Escola/UFCG) do Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido da UFCG estiveram presentes em atividades escolares nas cidades de Taperoá, Congo e Sumé, apresentado de maneira lúdica e dialógicas, uma nova forma de falar sobre o solo.

“As metodologias desenvolvidas pelo Projeto Solo na Escola/UFCG buscam dinamizar as atividades escolares, permitindo na brincadeira e de forma descontraída, apresentar informações sobre o solo, como contribuição à proposta da Educação em Solos”, disse a coordenadora do projeto, professora Adriana Meira Vital.

Além das palestras realizadas e das apresentações, a equipe levou para as escolas o mini minhocário, orientando os participantes sobre a facilidade de produção do vermicomposto (húmus de minhoca), como alternativa de geração de renda. A equipe também falou da importância das práticas de conservação do solo.

“A oficina de Geotinta evidenciou os múltiplos usos do solo, oportunizando o diálogo sobre os diferentes serviços ecossistêmicos do solo, etnopedologia e uso sustentável desse valioso recurso natural”.

“As metodologias com as quais o projeto trabalha permitem aliar brincadeira e aprendizado e tem sido referenciadas em diversos eventos da Ciência do Solo, o que nos deixa gratificados por dar visibilidade aos trabalhos desenvolvidos pelos estudantes do grupo de pesquisa em solos”, destacou a professora.

Banner Câmara

Em tom de despedida, Wilson Filho presta contas na Câmara

Ricardo Coutinho tem 75.50% de aprovação em todo Estado

Disputa pelo Senado: Cássio lidera com 12,98%, Vené tem 10,80% e Luiz Couto 8,43%

Prefeitura de Sumé emite nota de esclarecimento sobre inquérito instaurado pelo MPF

Debate da Arapuan: veja o que cada candidato defendeu em confronto Debate da Arapuan: veja o que cada candidato defendeu em confronto

O prefeito de Sumé, Éden Duarte emitiu nesta terça-feira(14), uma nota de esclarecimento sobre a instauração de inquérito do Ministério Público Federal para investigar supostas irregularidades na aplicação de recursos federais através de convênio entre Sumé, Serra Branca e Funasa.

Confira a nota na íntegra:

“A Prefeitura de Sumé, através do prefeito Éden Duarte, vem a público esclarecer os fatos veiculados em alguns meios de comunicação a cerca de inquéritos que o Ministério Público Federal instaurou em desfavor de municípios paraibanos, dentre eles o município de Sumé.

O inquérito do MPF que faz menção ao município de Sumé aponta denuncia de supostas irregularidades na aplicação de verbas federais no Convênio nº 0703/2005, firmando entre a Funasa e os municípios de Sumé e Serra Branca, que teve como objeto a implantação do sistema de resíduos sólidos (Aterro Sanitários) nos dois municípios consorciados.

A Prefeitura informa que o convênio foi celebrado com a Funasa pela então prefeita Niedja Rodrigues de Siqueira, em 19 de dezembro de 2005. Todavia, a execução do referido convênio deu-se a partir da homologação do contrato com a empresa CBM Construções LTDA, vencedora do Processo Licitatório nº 029/2007 – Modalidade Tomada de Preço nº 007/2007, no valor de R$ 630.635,23.

Vale destacar que tal homologação deu-se em 05 de julho de 2007, tendo sido assinada pelo então prefeito do município o senhor Genival Paulino de Sousa “Vavá Paulino” (in memoriam), que tinha como vice-prefeito o empresário João Pereira Filho.

A Gestão Municipal informa que o ex-prefeito Vavá Paulino foi o responsável pelo pagamento a empresa responsável pela obra, na ordem R$ 496.858,83, o equivalente a 78% da execução físico-financeira da obra e que a época a mesma foi embargada por não atender a legislação ambiental vigente, conforme Processo nº 2008.82.01.000313-4. A gestão informa ainda que a obra foi alvo de investigação por parte da Justiça Federal.

Vale destacar também que o prazo de execução da obra venceu, bem com o próprio convênio, que não existe mais.

O prefeito Éden Duarte lamenta o ocorrido, afirmando que as supostas irregularidades devem ser investigadas pela justiça. Todavia, ele deixa claro que a atual gestão não teve nenhuma participação na execução financeira do convênio em questão, lamentando que alguns meios de comunicação desinformados e agindo de má fé queiram associar as supostas irregularidades a sua administração.

Por fim, o prefeito ressalta que o município irá colaborar integralmente com a justiça, a fim de que os fatos sejam esclarecidos na sua totalidade e que dúvidas sejam dirimidas.”

Gabinete do Prefeito, em 14 de agosto de 2018.

Éden Duarte Pinto de Sousa

Prefeito do Município

Banner Ecos TV

As charges...

Pesquisa Consult aponta Maranhão com 22,50%; João, 21,35%; Lucélio, 16,20%; Tárcio, 1,75%; Rama, 0,10%

Prefeitura de Camalaú adquire novos veículos para a secretaria de saúde

Delegado da Polícia Federal capota carro entre Soledade e Juazeirinho

Banner Prata

Semana da Juventude tem programação especial no município de Monteiro

Debate da Arapuan: veja o que cada candidato defendeu em confronto Debate da Arapuan: veja o que cada candidato defendeu em confronto

Mais um Dia Internacional da Juventude está sendo comemorado na cidade de Monteiro. Para celebrar não só no dia 12 de agosto, o município está oferecendo uma programação diversificada.

Toda a programação foi preparada especialmente pela Secretaria de Desenvolvimento Social. As palestras se iniciam na noite desta terça-feira, 14, no Sítio Serra Branca às 19h com o tema: Maioridade Penal que será ministrada pelo advogado do Creas, Dr. Natanaelson. Já na quarta-feira, 17, durante o dia haverão palestras nas Escolas: José Leite de Sousa, João de Oliveira Chaves e Maria do Socorro Aragão com o tema: O que o mercado de trabalho espera dos Jovens com Yara Trajano que é Psicóloga Educacional SEBRAE. Neste mesmo dia a Escola Miguel Santa Cruz recebe a Palestra Maioridade Penal com Dr. Natanaelson nos períodos da manhã e da tarde.

A terminar as comemorações da melhor maneira na sexta-feira, dia 17, no período noturno haverá na Praça João Pessoa Apresentações Culturais e ainda uma Palestra Motivacional. Encerrando com chave de ouro também se apresentará o cantor jovem Victor Hugo.

“A Semana da Juventude 2018 nos permitirá uma forma de interação a mais com nossos jovens onde vamos reforçar ainda mais as ações já desenvolvidas pela administração pública municipal, de forma intersetorial, que promoveram o aprendizado, interação social e o desenvolvimento de práticas e atividades que contribuem para o desenvolvimento do jovem na sociedade” observa a secretária Rosa Aleixo.

Crianças com deficiência podem ganhar carrinhos adaptados em mercados e aeroportos

Mais uma vez na vanguarda brasileira, Monteiro oferece Tratamento de Varizes com Espuma Ecoguiada

Debate da Arapuan: veja o que cada candidato defendeu em confronto Debate da Arapuan: veja o que cada candidato defendeu em confronto

A cada 100 mulheres, 32 já chegam aos 30 anos com veias escuras e inchadas nas pernas. Começar a usar pílula muito jovem é um dos fatores que explicam o aparecimento precoce do problema – os hormônios usados nos contraceptivos interferem na circulação. “Além de prejudicar a aparência e causar dor, a evolução das varizes pode provocar escurecimento das pernas, feridas e até trombose, colocando em risco a vida da paciente”, alerta Ivanésio Merlo, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular.

A boa notícia é que o Tratamento de Varizes com Espuma Ecoguiada, um tratamento eficaz e bem mais simples que a cirurgia, já está disponível pelo SUS – como acontece atualmente em Salvador, na Bahia. Sendo a segunda cidade brasileira a oferecer o procedimento através do SUS, a cidade de Monteiro implantou o atendimento nesta segunda-feira,13.

O tratamento é feio no Centro da Mulher logo após o paciente passar por uma triagem. Na cidade de Monteiro foram identificados cerca de 200 casos, no momento estão sendo feitos os atendimentos dos casos mais críticos, conforme informações da Secretaria de Saúde.

“Apesar de muito seguro, nem todos os pacientes podem passar pelo procedimento, portanto é necessário que se faça o ultrassom para avaliar de forma completa cada condição específica do paciente”, pontua a cirurgiã vascular Rosa Elisabete, responsável pelo tratamento na cidade de Monteiro.

Feito com recursos próprios, cada atendimento custa por pessoa cerca de mil reais. O procedimento era feito até então na cidade de Campina Grande, porém, de forma paga com parcerias com as unidades médicas.

“A prefeita Anna Lorena sempre recomenda que, enquanto Secretária de Saúde, esteja atenta às novidades sobre tratamentos de saúde que possam ser implantados na cidade de Monteiro. De forma muito feliz entregamos mais este procedimento aos monteirenses, para que possam ser atendidos na própria cidade sem necessidade de grandes deslocamentos como antes”, diz Paula Oliveira.

Sobre Varizes e o Tratamento de Varizes com Espuma Ecoguiada

O que são as varizes?

São veias dilatadas por alterações na circulação sanguínea.

Quais os sintomas?

Dor, queimação, sensação de peso nas pernas e inchaço nos tornozelos.

E quais as causas do problema?

Elas ainda não estão bem definidas, mas sabe-se que a predisposição genética favorece o surgimento das varizes. Ou seja, se os seus pais sofrem com isso, você tem mais chances de acabar sofrendo também.

É possível prevenir?

Quem tem casos na família deve seguir alguns cuidados, como evitar ficar muito tempo em pé ou sentada, praticar atividade física e ficar atenta à alimentação, pois o excesso de peso prejudica a circulação.

Como é o procedimento?

1. O médico agita a seringa com um medicamento que forma espuma e a injeta no vaso. O método deve ser realizado com a ajuda de um ultrassom para que o especialista localize com precisão a veia que será tratada.

2. A substância se expande e gruda nas paredes internas do vaso, empurrando o sangue para fora. Sem sangue, a veia vai secar com o tempo. Depois de fazer esse procedimento, é necessário usar uma meia elástica por cerca de 15 dias, mas a paciente sai andando e nem precisa fazer repouso.

10ª Cavalgada e Missa do Vaqueiro acontece dia 18 em Parari

Eleições terão recorde de partidos políticos

Debate da Arapuan: veja o que cada candidato defendeu em confronto Debate da Arapuan: veja o que cada candidato defendeu em confronto

As eleições deste ano terão um recorde histórico do número de partidos políticos: nada menos do que 35, entre velhos conhecidos e novatos.

Como explica a Folha de S. Paulo, em 1983, o Congresso estava dividido em cinco legendas. O PMDB e o PDS, que eram herdeiros do sistema bipartidário da ditadura, em que havia apenas o oposicionista MDB e o governista Arena. Já à esquerda, existiam apenas o PT, PDT e PTB

Após desmembramentos e fusões, essas siglas formaram a base das grandes legendas que comandaram o país durante os anos 1990 e começo dos 2000. Agora, uma grande quantidade de nanicos está invadindo a política. Estes novos partidos de centro, por não se identificarem com direita nem esquerda, negociam apoio com quem estiver no comando.

Para o professor de ciências políticas da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e coordenador do Laboratório dos Partidos Políticos e Sistemas Partidário, Bruno Bolognesi, o cenário atual é uma confusão de siglas.

Bolognesi explica a construção do centro usando o PRN como exemplo. Criado para a candidatura de Fernando Collor, em 1989, o partido recebeu, em curto período, vários políticos que migraram de outros partidos, sendo o precursor de uma tendência: união de partidos pequenos, sem ideologia ou projetos, criados de forma oportunista para fazer parte do poder, agrupados em torno de um nome forte.

Com o impeachment de Collor, em 1992, o partido encolheu e passou a se chamar PTC. Hoje, não conta com deputados federais eleitos.

Esse tipo de articulação era favorecida por uma lei que não impunha barreiras à migração partidária.

Em 2007, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu que as cadeiras pertencem ao partido, e não aos políticos. Ou seja, se um deputado eleito trocar de sigla, poderia perder seu mandato, e outro candidato do mesmo partido assumiria.

No entanto, a regra tem uma brecha que permite trocas de partidos quando uma nova legenda é criada. Isto fez com que muitas novas legendas surgissem. De acordo com o especialista, o fenômeno se explica por conta da política brasileira ser personalista, ou seja, centrada em torno de pessoas, e não de ideias.

O sistema de coligações também é um incentivo, já que permite que partidos menores se unam aos maiores durante o período eleitoral, somando forças como tempo de TV e fundo para financiamento.

A partir das eleições deste ano, partidos vão precisar ter um desempenho mínimo nas urnas, de 1,5% do total de votos, ou ter pelo menos um deputado eleito em nove estados diferentes para ter acesso a tempo na TV e a recursos do fundo partidário. Isto quer dizer que eles não serão impedidos de concorrer, mas não poderão usar a máquina pública.

Nas eleições seguintes, políticos devem mudar de partido para terem acesso a mais recursos. Em 2020, também serão barradas as coligações em eleições ao Legislativo.

Na opinião de Bolognesi, o mecanismo tem prós e contras, mas compensa. Ao mesmo tempo que proíbe partidos minoritários e bem intencionados de participarem do Legislativo, barra oportunistas.

[+]   POSTAGENS