prefeitura
::Souzinha faz importantes reivindicações para Serra Branca em reunião com o Governador ::Ato público contra projeto de lei que trata de abuso de autoridades acontece terça ::Em Barretos, Bolsonaro assina decreto que flexibiliza lei de rodeios ::Monteiro promove seu primeiro Encontro LGBTS na próxima terça-feira ::Problema em barragem suspende novamente bombeamento do Eixo Leste da Transposição ::Mais um prefeito adere ao projeto do governador João Azevedo ::Em postagem, Patrícia Rocha confirma pedido de demissão: ‘decisão pensada e amadurecida’ ::Ciro diz que educação é “espancada” e chama Bolsonaro de “idiota” ::Secretaria de Estado da Saúde emite alerta contra sarampo ::OPERAÇÃO BOTIJA: Homem é preso acusado de tráfico de drogas em Juazeirinho Malves Supermercados

COLUNA OLHO VIVO

(22/10/2015)

SOCIALISTA NA CÂMARA FEDERAL

Por Simorion Matos
simorionO presidente do PSB na Paraíba, princesense Edvaldo Rosas, deverá assumir o mandato de deputado federal. Isto será possível por conta de um acordo com o deputado federal Damião Feliciano (PDT).

Segundo Edvaldo, as conversas para que ele assuma o mandado estão avançadas.

Os socialistas de Princesa Isabel estão eufóricos com a possibilidade da cidade contar com um representante no Congresso Nacional.

SAÚDE DE QUALIDADE EM MONTEIRO

São bastante elogiados pela população de Monteiro os avanços que o município registra na área de saúde, graças ao trabalho da prefeita Edna Henrique e da secretária Lorena de Doutor Chico.

Destaque para o excelente atendimento nas unidades âncora, CEMED, Centro da Mulher, Central de Marcação, Laboratório Municipal e CEO – Centro de Especialidades Odontológicas.

Recentemente foram adquiridos 15 novos gabinetes odontológicos, com equipamentos de última geração.

IMPEACHMENT EM PRINCESA ISABEL

Ao participar do programa Jornal da Princesa (Rádio Princesa AM) na quinta-feira (22), o líder político Ricardo Pereira teceu fortes criticas ao prefeito de Princesa Isabel, Dominguinhos, cujas contas de 2012 foram rejeitadas pelo TCE.

O diretor do Hospital Regional lançou inclusive uma proposta de mobilização da sociedade princesense no sentido de pedir o impreachment do prefeito, sob a alegação de descumprimento de medidas judiciais.

Ricardo Pereira lançou um desafio: se a gestão municipal lhe designasse como responsável pelo comando financeiro do município, com autonomia, em 90 dias o município estaria com sua situação financeira regularizada, inclusive atualizando rigorosamente o pagamento dos servidores municipais.

O líder oposicionista assegura que o município de Princesa Isabel não enfrenta uma crise financeira, mas, sim, uma crise de gestão.

GOVERNO BLINDADO

A presidenta Dilma Roussef é, realmente, uma mulher de coragem.

Declarou publicamente que não existe corrupção no seu governo e jogou toda a culpa pelo desastre da Petrobrás em líderes políticos do seu PT e aliados, além de gestores da empresa.

No dia seguinte ao pronunciamento da presidenta, foi divulgado o relatório da CPI da Petrobrás, sem a citação de qualquer envolvimento de Dilma ou de Lula.

O mundo caiu apenas sobre os denunciados como operadores do esquema de propinas.

UMAS & OUTRAS

PINTO DO MONTEIRO – 25 ANOS DE SAUDADE

O poeta Severino Lourenço da Silva Pinto – Pinto do Monteiro faleceu em 28 de outubro de 1990, aos 95 anos de idade. Nesta quarta-feira completam-se 25 anos da sua morte física. Autor de versos contundentes, tudo nele demonstrava grandiosidade. Gênio da cantoria, rei dos cantadores. Foi vaqueiro, soldado de polícia, guarda de serviço contra a malária, auxiliar de enfermeiro, vendedor de cuscuz no Recife.

Registros de apologistas mostram que a característica marcante da cantoria de Pinto era a naturalidade e rapidez de improviso. Cognominado “Cascavel do Repente”, Pinto era ágil, certeiro, veloz e malcriado.
Joaquim Vitorino, certa vez, caiu na besteira de criticar um primo que era cachaceiro. Pinto então fez esta sextilha:

Você bebe até veneno!
Seu pai é bom troaqueiro,
Manoel, um ébrio afoito
Vive apanhando em Monteiro!
Quem tem uma corja desta
Não fala de cachaceiro.

João Furiba cantou muito com Pinto e não tinha medo de apanhar. No Festival de Violeiros de Olinda, em 1984, Furiba homenageou o mestre, presente ao acontecimento:

Seu verso hoje é açude
Que abarrota a represa
Rio que não perde a água
Planta que possui beleza
Gênio que desdobra o mundo
Por conta da natureza.

No 1º Congresso de Cantadores do Recife, organizado por Rogaciano Leite, em 1948, no teatro de Santa Isabel, Pinto do Monteiro foi o grande vencedor, juntamente com o piauiense Domingos Martins Fonseca. Em dezembro de 1970, foi ao Festival de Cinema de Guarujá, com Lourival Batista, Job Patriota, Pedro Amorim, José Nunes Filho. Teve participação em filmes, entre eles, Nordeste: Cordel, Repente, Canção, dirigido por Tânia Quaresma.

Certa vez, Pinto cantando com um colega, este se convida para conhecer a sua morada, e terminou uma sextilha assim:

Não sei medir o tamanho
Dessa gente sertaneja

Pinto pega na deixa e responde:
Que eu esteja ou não esteja
Chegue, entre e arme a rede
Coma, se estiver com fome
Beba, se estiver com sede
Se quiser se balançar
Empurre o pé na parede.

Em uma cantoria, o velho Pinto elogiava um sujeito e tudo fazia para agradá-lo. O camarada foi se retirando e não deixou a “paga” na bandeja. Pinto notou que ele tinha uma verruga no rosto e imediatamente soltou a dele, com esta sextilha:

Eu não posso confiar
Em cabra que tem verruga
Cachorro de boca preta
Terreno que não enxuga
Comida que doido enjeita
Casa que cigano aluga.

Tinha ciúme da viola, que ficava pendurada na parede. Numa roda de glosas na sua casa, quando ele próprio sentiu que já estava próximo da morte, pois se encontrava muito doente, pediu a Dona Ana, sua mulher:

Velhinha, quando eu morrer
Conserve a minha viola
Bote ela numa sacola
E deixe o rato roer
Barata dentro viver
Morcego morando nela
O cupim comendo ela
E ela perdendo o valor
Só não deixe cantador
Bater mais nas cordas dela.

A genialidade do repentista monteirense foi descrita pelo poeta pernambucano Dedé Monteiro:

No seu tempo, no brasileiro piso,
Pinto velho a macaca segurava.
Infeliz do poeta que tentava
Desbancá-lo cantando de improviso.
Cascavel venenosa cujo guiso
Conservava calado e não batia
Mas depois que a presa aparecia
O veneno comia de esmola
Jararaca assanhada da viola
PATRIMÔNIO IMORTAL DA POESIA.

Neste tempo em que reverenciamos os 25 anos da sua partida, na melhor do que lembrar quem melhor definiu SAUDADE:

Esta palavra saudade
Conheço desde criança
Saudade de amor ausente
Não é saudade, é lembrança
Saudade só é saudade
Quando morre a esperança.

Faça seu comentário



Possui atualmente : Nenhum comentário em COLUNA OLHO VIVO