prefeitura
::TCE julga hoje as contas de 24 prefeituras, uma denúncia e sete recursos ::Em derrota ao governo, Senado aprova regra que aumenta nova aposentadoria ::Justiça proíbe que shopping seja autuado por descumprir lei de gratuidade em estacionamentos ::TRANSPOSIÇÃO: Após nove meses, águas do Rio São Francisco retornam à Paraíba ::OURO VELHO: Prefeita Natália Lira anuncia pagamento da 2ª parcela do 13° salário dos servidores ::Gestão de Camalaú realiza ações do Novembro Azul na comunidade da Cangalha ::Prefeitura de Monteiro intensifica atividades na Campanha Novembro Azul ::Paraíba tem a menor taxa de desocupação entre os estados do Nordeste ::Trocólli Júnior volta à Assembleia Legislativa após licença de Tião ::Extinção de cidades pode atingir oito partidos no Cariri; PSB é o que mais perderia Malves Supermercados

Dr. Júnior explica porque rompeu com Ricardo Coutinho e aderiu a Cássio

(22/05/2014)

drjunioradesaovereadorcassioO médico Gilvanei Júnior (Dr. Júnior), esposo da prefeita de Ouro Velho Natália Lira (PSD), explicou, nesta quinta-feira (22), os motivos pelos quais seu grupo político rompeu com o governador Ricardo Coutinho (PSB) e passou a apoiar a pré-candidatura do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) ao Governo do Estado.

Segundo Doutor Júnior, a incompetência do presidente estadual do PSB, Edvaldo Rosas, e o estilo ‘perseguidor’ do governador Ricardo Coutinho foram decisivos para o afastamento. O médico também citou promessas de obras do Governo do Estado, dentro Orçamento Democrático, como a conclusão do auditório na cidade, que não foi concluída.

“É tudo mentira, uma vez que a obra encontra-se inacabada e entregue as baratas, e o pior, a empresa responsável pela realização da obra não recebeu o pagamento, mesmo a prefeita Natália Lira se deslocando até a Capital por várias vezes tentando solucionar o problema”, afirmou.

Doutor Júnior também disse que o Orçamento Democrático é um engodo a população.

“Na verdade no Orçamento Democrático não existe democracia. Se existisse o governador Ricardo Coutinho teria atendido as mais de duas mil assinaturas e ao prefeito José Arnaldo para que a estrada fosse construída no sentido Amparo a Sumé. Cadê a democracia? Onde o povo solicitou e o governador atendeu?”, indagou.

“Outro motivo que levou ao rompimento foi às demissões dos Pró-tempores, que trabalhavam há mais de 20 anos, como também a não liberação, até o momento, do Laboratório de Análises Clínicas (Pacto 2), comprovando mais uma vez um ato de perseguição”, acrescentou.

O médico destacou que Ricardo Coutinho garantiu que o vice-governador Rômulo Gouveia, presidente estadual do PSD, seria seu candidato ao Senado, mas Rosas teria minimizado a indicação. “Depois, o incompetente do presidente do PSB no estado, Edvaldo Rosas, afirmou na imprensa que Rômulo Gouveia não tem a vaga garantida”, atacou.

O médico ainda criticou Edvaldo Rosas pelas declarações em relação ao Senador Cássio Cunha Lima.

“Como é que Edvaldo Rosas da uma declaração criticando o senador Cássio Cunha Lima, o chamando de burro e dizendo que vai levar uma surra de votos, se nem mesmo Edvaldo conseguiu se eleger deputado nas últimas eleições, mesmo tendo o apoio do governador”, ironizou.

Assessoria

Faça seu comentário



Possui atualmente : Nenhum comentário em Dr. Júnior explica porque rompeu com Ricardo Coutinho e aderiu a Cássio