prefeitura
::MPE reforça entendimento contrário à realização de carreatas, passeatas e comícios na Paraíba ::Secretaria Municipal de Saúde de Monteiro informa sobre 04 novos casos de Covid ::Homem que morreu após fugir de bloqueio e atropelar policial nem Monteiro estava com arma ilegal ::Cidades da Comarca de Serra Branca não terão carreatas e comícios enquanto estiverem na bandeira amarela ::Defensoria Pública da Paraíba prevê concurso público em 2021 e revela déficit de 107 vagas ::TSE confirma liminar e mantém prefeito de Taperoá no cargo ::Governo do Estado publica regras para retorno às aulas presenciais na Paraíba ::Lei torna obrigatório teste de Covid-19 em doadores de sangue na Paraíba ::Propaganda eleitoral é liberada a partir deste domingo ::Presidiário de Pernambuco envolvido em oito homicídios é preso na Paraíba Malves Supermercados

Ex-prefeito paraibano é solto depois de colocar tornozeleira eletrônica

(04/08/2020)
Ex-prefeito paraibano é solto depois de colocar tornozeleira eletrônica Ex-prefeito paraibano é solto depois de colocar tornozeleira eletrônica

O ex-prefeito de Duas Estradas, Roberto Carlos Nunes, foi solto nesta segunda-feira (3), quatro dias depois de ser preso por decisão da Justiça Federal. Isso porque a juíza Flávia Fernanda Aguiar Silvestre, responsável pela execução de cumprimento de pena, decidiu colocá-lo em regime aberto, exigindo no entanto como contrapartida o uso de tornozeleira eletrônica.

O advogado criminalista Diego Cazé, que defende o ex-prefeito, disse que se trata sem dúvida alguma “de uma vitória”, visto que na opinião dele o seu cliente não deveria ter sido preso, mas deixou claro que vai recorrer da obrigatoriedade do uso da tornozeleira. “A acusação de que existiriam quatro assinaturas falsificadas no cumprimento de serviço comunitário precisa antes ser comprovada com transito em julgado, e já na sexta-feira (31) passada a defesa interpôs um recurso de apelação ao Tribunal Regional Federal”, pontuou.

As assinaturas a que se refere o advogado é de uma é de uma folha de registro de ponto. Roberto Carlos tinha sido condenado anteriormente sob a acusação de improbidade administrativa, mas conseguiu reverter sua pena para prestação de serviços comunitários na Escola Maria Dutra.

A pena já foi cumprida, mas o Ministério Público Federal (MPF) alegou que quatro assinaturas do ex-prefeito registrando sua presença no trabalho não foram feitas de próprio punho, o que se configuraria nos crimes de falsidade material de documento e falsidade ideológica.

O MPF apresentou perícia técnica que comprovaria as fraudes, o que foi acatado pela 12ª Vara da Justiça Federal, que o condenou a sete anos, oito meses e 15 dias de reclusão em regime fechado, além de multa.

Faça seu comentário



Possui atualmente : Nenhum comentário em Ex-prefeito paraibano é solto depois de colocar tornozeleira eletrônica