::TRAGÉDIA NO CARIRI: Criança morre após ser atingida acidentalmente por carro ::Prefeito Adriano Wolff se reúne com o candidato a senador Luís Couto e firma parcerias ::Homem é preso acusado de estupro de vulnerável, em Barra de São Miguel ::Inscrições para concurso de São João do Cariri termina neste domingo ::Cássio diz que geração de emprego é prioridade absoluta ::Hulk compra casa de show Domus Hall, em João Pessoa ::Lojas C&A lança comercial gravado no Lajedo de Pai Mateus, em Cabaceiras ::Alcymar Monteiro é 3ª atração confirmada no X Festival do Mel ::Criminosos assaltam duas mulheres e levam moto e celulares em Taperoá ::Dia D de vacinação contra sarampo e pólio será neste sábado em Sumé Malves Supermercados

Ex-presidente da FPF Rosilene Gomes é condenada a prisão por furto

(24/01/2018)
Ex-presidente da FPF Rosilene Gomes é condenada a prisão por furto Ex-presidente da FPF Rosilene Gomes é condenada a prisão por furto

A ex-presidente da Federação Paraibana de Futebol Rosilene Gomes foi condenada a 5 anos e 4 meses de prisão no regime semiaberto pelo crime de furto duplamente qualificado. A decisão foi tomada pelo juiz da 7ª Vara Criminal, Geraldo Porto, e publicada no dia 11 de janeiro.

Segundo o advogado de defesa, Gilvan Freire, a sentença foi recebida com surpresa. Ele negou que Rosilene tenha desviado qualquer material e afirmou que vai recorrer da decisão da Justiça.

A denúncia de furto foi feita pela Junta Administrativa da FPF em 2014. Segundo a representação criminal, Rosilene “desviou” um kit enviado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) à FPF, contendo 355 itens da Seleção Brasileira para a Federação, avaliado em R$ 15 mil, com a ajuda de dois funcionários e um presidente de sindicado.

Um dos funcionários, que era secretário-geral da entidade, Antônio Alves Gonçalves, foi condenado a 4 anos e 40 dias-multa, que foram substituídos por prestação de serviço e pagamento de indenização pecuniária. O outro funcionário e o presidente do sindicato foram absolvidos das acusações.

O crime de furto foi considerado duplamente qualificado pelo juiz devido à concussão de pessoas e abuso de confiança. Rosilene Gomes foi afastada da FPF em abril de 2014.

Segundo a Federação Paraibana de Futebol, o kit furtado continha 50 meiões de jogo, 10 chuteiras, cinco camisas polo, 20 calções de jogo, 40 calções de treino, 20 calças de treino, 10 jaquetas de frio, 20 casacos-hino, 50 camisas térmicas, 50 calções térmicos e 80 agasalhos. Todos produtos da Seleção Brasileira de Futebol.

Em respeito a legislação eleitoral o CARIRI LIGADO não publicará os comentários dos leitores. O espaço para interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições 2018 se encerrem.