prefeitura
::CRISE NOS MUNICÍPIOS: FPM tem queda de 25,41% em repasse ::Relator defende retorno em serviços na cobrança dos impostos ::Caixa anuncia financiamento habitacional corrigido pelo IPCA ::Delegado seccional tem celular clonado na Paraíba ::Manoel Ludgério deverá se licenciar na Assembleia ::As charges do dia… ::TCU aponta riscos que comprometem transposição do Rio São Francisco ::Prefeito de São João do Tigre é condenado e fica inelegível por 4 anos ::Tarifa de energia fica 4,27% mais barata na Paraíba ::VEJA publica reportagem sobre a Transposição e prefeito de Sumé prevê caos sem a obra Malves Supermercados

Governo determina intervenção em hospitais geridos por OS na PB

(25/01/2019)
Governo determina intervenção em hospitais geridos por OS na PB Governo determina intervenção em hospitais geridos por OS na PB

O governador João Azevêdo (PSB) determinou, nesta sexta-feira (25), a intervenção por parte do Governo do Estado no gerenciamento, operacionalização e oferta de ações e serviço de saúde no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa Senador Humberto Lucena, no Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires e no Hospital Geral de Mamanguape.

No ano passado, uma operação conjunta entre os Ministérios Públicos da Paraíba e do Rio de Janeiro mirou irregularidades por parte da Cruz Vermelha, que é contratada pelo governo para gerir hospitais na Paraíba. De acordo com as investigações, a empresa estaria lucrando com o desvio de dinheiro público.

De acordo com o decreto, que foi publicado no Diário Oficial do Estado, com a intervenção o Estado realizará ações técnicas, assistenciais, administrativas e financeiras.

O objetivo da medida, segundo o governador, é “regular o gerenciamento a fim de evitar o comprometimento da prestação de serviços de saúde à população, assegurar o adimplemento das obrigações previstas em contratos com as Organizações Sociais, imprescindíveis à continuidade da adequada prestação dos serviços e averiguar eventuais inconsistência e inconformidades no gerenciamento das unidades hospitalares”.

Com a intervenção, as OS ficam proibidas de movimentar recursos financeiros, admissão movimentação e demissão de empregados, além da rescisão, aquisição e contratação de bens e serviço.

As Organizações Sociais contratadas pelo Estado terão que formalizar um relatório patrimonial, financeiro e inventário de bens e equipamentos das unidades geridas.

O coronel do Corpo de Bombeiros, Lucas Severiano, ficará responsável pelo Hospital de Trauma da Capital. Já o procurador do Estado Lúcio Landim Batista foi designado para o Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires e para o Hospital Geral de Mamanguape.

O prazo da intervenção é de 90 dias, prorrogável por igual período.

Faça seu comentário



Possui atualmente : Nenhum comentário em Governo determina intervenção em hospitais geridos por OS na PB