prefeitura
::João se diz perplexo com suspensão de Bolsonaro a compra de vacina ::Supremo Tribunal Federal confirma voto sem título de eleitor nas eleições ::OURO VELHO: Dr. Augusto Valadares recebe mais uma adesão ::Agricultor é morto com tiro na cabeça no Cariri ::SERTÂNIA: Ângelo Ferreira lidera pesquisa Múltipla com mais de 66% das intenções de voto ::Senado aprova empréstimos internacionais de US$ 172 milhões para Paraíba ::Collor é alvo de operação da PF por suposto esquema de propina no Ibama ::As charges do dia… ::População acompanha cortejo para sepultamento de estudante assassinada em Boqueirão sob forte comoção ::Secretaria Municipal de Saúde de Monteiro informa sobre 06 novos casos de covid Malves Supermercados

Justiça anula prisão em flagrante de advogados após confusão na Central de Polícia de João Pessoa

(15/10/2020)

O juiz Manoel Abrantes, da 1ª Vara Criminal de Mangabeira, anulou o auto de prisão em flagrante confeccionado contra os advogados integrantes da Comissão de Prerrogativas da OAB PB e da ANACRIM presos na Central de Polícia de João Pessoa no último dia 25/09, acusados de terem, supostamente, cometido o crime de desacato contra delegados de Polícia Civil.

O juiz considerou que os advogados no exercício da atividade tem imunidade e não podem ser presos em flagrante, como prevê a lei 8.906/94 ( Estatuto da Advocacia).

“Como demonstrado pelos advogados dos requerentes e pelo Ministério Público, os crimes que foram atribuídos aos autuados são afiançáveis, o que vedaria a prisão deles em flagrante, conforme dicção do art. 7o, § 3o, da Lei no 8.960/1994 (Estatuto da Advocacia)”, acrescentou a decisão.

Com isso, se reforça a tese de abuso de autoridade e excesso dos delegados na lavratura do flagrante e prisão dos advogados.

Faça seu comentário



Possui atualmente : Nenhum comentário em Justiça anula prisão em flagrante de advogados após confusão na Central de Polícia de João Pessoa