::EM SUMÉ: Dró e Dr. Neto visitam zona rural e reafirmam apoio a reeleição de Éden Duarte ::Justiça multa em R$ 25 mil a coligação do candidato Juan Pereira por evento irregular ::Secretaria Municipal de Saúde de Monteiro informa sobre 12 novos casos de Covid ::Inmet emite alertas de baixa umidade para 97 municípios da Paraíba ::Sandro Môco tem candidatura deferida pela Justiça Eleitoral e é o único apto para a disputa em Camalaú ::Justiça determina retirada de vídeo publicado por candidato a vereador da oposição em Sumé ::OURO VELHO: Dr. Augusto emite nota de esclarecimento sobre tentativa de impedir sua candidatura ::Pesquisa Datavox: Gestão João Azevêdo é aprovada por 70,8% em Monteiro ::Paraíba segue na faixa vermelha com índice de 27% de mortes causadas pela Covid-19 ::Brasil tem 147,9 milhões de eleitores aptos a votar, aponta TSE Malves Supermercados

Justiça mantém São João na orla de JP

(19/06/2014)
Justiça mantém São João na orla de JP Justiça mantém São João na orla de JP

O Tribunal de Justiça da Paraíba negou o pedido de liminar em ação civil pública ajuizada pelos promotores do Meio Ambiente e do Patrimônio Social de João Pessoa, João Geraldo e José Farias para impedir a realização do “São João Pra Valer”, na Praia de Tambaú, em João Pessoa.

A decisão foi tomada pelo juiz Manoel Abrantes, plantonista do TJ e confirmada no início da tarde desta quinta-feira (19) pelo procurador geral do município, Rodrigo Farias.

“A decisão buscou atender à cidade de João Pessoa e, do ponto de vista, é completamente legal. A gestão municipal respeita muito o Ministério Público, mas não vai abrir mão de exercer suas prerrogativas de defesa da cidade de João Pessoa. Quando virmos situações de intransigência e irracionalidade como essa, não abriremos mão de estar ao lado do povo de João Pessoa. O São João está mantido sem nenhum percalço”, disse Rodrigo Farias, acrescentando que o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado em 2005 tinha como objetivo resolver outro problema que era o deslocamento da festa para a Lagoa. Segundo ele, atualmente, as festas juninas da cidade tomaram uma proporção muito maior que àquela época e não encontrariam mais espaço no Centro da capital.

Representantes do Ministério Público haviam dado entrada na ação nesta quarta (18), sob alegação de que o evento traria danos ao meio ambiente. O documento citava ainda um acordo firmado com a Prefeitura da Capital para que os eventos juninos fossem realizados no Centro Histórico.

ParlamentoPB

Faça seu comentário



Possui atualmente : Nenhum comentário em Justiça mantém São João na orla de JP