prefeitura
::Rede Municipal de Monteiro realiza diversas atividades envolvendo alunos e famílias ::Prorrogadas as inscrições do Festival de Música Zé Marcolino, em Sumé ::Prefeito em exercício de Patos renuncia ao cargo ::Governo do Estado divulga resultado preliminar de concurso com mil vagas para professores ::Operação apura desvios de R$ 150 milhões por terminais rodoviários, na PB ::“Sinceramente estou analisando”, diz Adriano Galdino sobre permanência no PSB ::STF nega embargos e ex-prefeita caririzeira fica inelegível ::Prefeito em exercício de Monteiro visita zona rural e moradores parabenizam a gestão municipal ::Mais de 120 mil paraibanos podem ficar sem água após suspensão na Transposição ::Prefeitura abre inscrições para interessados em comercializar no XI Festival do Mel Malves Supermercados

Polícia Federal deflagra 59ª fase da Operação Lava Jato

(31/01/2019)
Polícia Federal deflagra 59ª fase da Operação Lava Jato Polícia Federal deflagra 59ª fase da Operação Lava Jato

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira (31) a 59ª fase da Operação Lava Jato. São cumpridos 15 mandados de busca e apreensão e três de prisão temporária por 60 policiais federais, com o apoio de 16 auditores fiscais da Receita Federal, em São Paulo e Araçatuba (SP).

Há suspeitas de que o esquema criminoso foi possível devido a acordo entre os investigados, que responderão pela prática dos crimes de corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Os presos e o material apreendido serão levados para a Superintendência da Policia Federal em Curitiba, no Paraná.

Buscas e detenções

Os mandados foram expedidos pela 13ª Vara Federal de Curitiba, com base nos termos da colaboração premiada homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Os contratos suspeitos somam mais de R$ 682 milhões.

As investigações colheram indícios que apontam que empresas pagaram vantagens indevidas, de forma sistemática, a executivos da Transpetro. O esquema envolvia o pagamento de um percentual de propina, que alcançou o montante de até 3% do valor de 36 contratos formalizados com a estatal entre 2008 e 2014.

Valores

No período de 2008 a 2014, foram repassados milhões de reais a agentes políticos, segundo as investigações. Desse total, o colaborador teria recebido R$ 2 milhões por ano, a título de vantagem indevida, além de R$ 70 milhões no exterior.

Há indícios de que um escritório de advocacia foi utilizado para a movimentação de valores ilícitos e geração de dinheiro em espécie em favor das empresas do grupo investigado.

O sistema utilizado para a ocultação e dissimulação da vantagem indevida ocorreu mediante a utilização de contas de passagem e estruturação de transações financeiras (fracionamento). O objetivo era evitar comunicação de operações suspeitas ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

Faça seu comentário



Possui atualmente : Nenhum comentário em Polícia Federal deflagra 59ª fase da Operação Lava Jato