::Reinaldo diz que Câmara de Cabaceiras encerrou ano com ótima produtividade ::Com Feitosão lotado, Sítio do Meio é campeão da Copa Dr. Chico de Futebol Amador de Monteiro ::Ao lado de Lorena, Wellington Roberto cumpre agenda em Monteiro ::PREPARE O BOLSO: Água da transposição vai começar a ser cobrada em 2018 ::Barracos de acampamento de Sem Terras são incendiados no Cariri ::OAB-PB denuncia secretário que chutou cachorro no Cariri ::Dnit desativa radares de controle de velocidade em rodovias federais da PB ::Filho de juiz é preso acusado de realizar assaltos na orla de JP ::Boqueirão acumula recarga de 27,1 milhões de m³ após transposição ::As charges do dia… Malves Supermercados

“População deve fazer uso racional da água”, diz presidente da Cagepa

(11/08/2017)

O racionamento d’água em Campina Grande e região está com os dias contados. O secretário de Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia, João Azevedo, anunciou, anunciou essa semana que o abastecimento d’água na cidade e adjacências voltará ao normal a partir do dia 26 de agosto.

O presidente da Companhia de Água e Esgoto da Paraíba (Cagepa), Hélio Cunha Lima, destacou que, mesmo com o fim do racionamento, a população deverá fazer o uso consciente da água.

“A população de Campina deve comemorar bastante a partir de agora. O fim do racionamento é um marco para toda essa região. Devemos lembrar, no entanto, que a população tem que economizar para que não venha trazer problemas futuros”, destacou.

O sistema Cariri e o sistema que atende por outras adutoras que saem de Boqueirão, como a de Pocinhos, São José da Mata, e toda a região, até Soledade, também estão nesse mesmo processo e a partir do dia 26 terão bombeamento de água.

Responsável pelo abastecimento de Campina Grande, e mais 18 municípios do Compartimento da Borborema, o açude Epitácio Pessoa está com pouco mais de 8% de sua capacidade, e até o final do mês sairá do chamado “volume morto”.

Faça seu comentário



Possui atualmente : Nenhum comentário em “População deve fazer uso racional da água”, diz presidente da Cagepa