prefeitura
::Brasil supera 100 mil mortes pela Covid-19 ::Governo da Paraíba já investiu mais de R$ 177,9 mi para o enfrentamento à Covid-19 ::PB tem menor preço médio de gasolina do Nordeste em julho, aponta levantamento ::João Azevêdo entrega mais de R$ 51 milhões em obras e assina ordens de serviço que irá beneficiar a região do Cariri ::SUMÉ: Pré-candidatura de Ruan Pereira recebe o apoio de mais uma liderança política ::Saúde de Monteiro confirma 19 novos casos e mais 8 pacientes recuperados de Covid ::Sala do Empreendedor de Sumé mobiliza empresas para receber estagiários do “Primeira Chance” ::Gilmar Mendes, do STF, manda soltar secretário dos Transportes Metropolitanos de SP ::Inmet alerta para baixa umidade relativa do ar em 85 municípios paraibanos até o próximo domingo ::Desenvolvimento Social de Monteiro divulga relatório de ações realizadas já neste segundo semestre Malves Supermercados

Presidente da OAB-PB vê conquista ‘jurídica e social’ na decisão do STF

(08/11/2019)
Presidente da OAB-PB vê conquista ‘jurídica e social’ na decisão do STF Presidente da OAB-PB vê conquista ‘jurídica e social’ na decisão do STF

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Paraíba (OAB-PB), Paulo Maia, considerou o recuo do Supremo Tribunal Federal (STF) em relação à prisão em segunda instância uma ‘conquista jurídica e social’.

Segundo ele, a decisão acontece após o Conselho Federal da OAB propor uma Ação Declaratória de Constitucionalidade (ADC) ao STF, que foi acolhida pelo Supremo.

“Entendemos que o que a Constituição defende é a prisão apenas após o trânsito em julgado, salvo as situações previstas em lei, como prisões cautelares, temporárias, preventivas”, considerou, em contato com o Portal MaisPB.

Ainda conforme Maia, o momento pelo qual o país vive provoca uma ‘percepção distorcida’ de uma garantia humana – o direito à liberdade. “Se há lentidão na apreciação dos processos provocando a sensação de impunidade isso se dá pela estrutura judicial vigente, que a favorece, e não pelo exercício do direito de defesa, constitucionalmente assegurado”, analisou.

Apesar de defender a posição do Supremo, o advogado admite que alterar o entendimento de uma ‘questão sensível’ para a sociedade transmite ‘insegurança jurídica’. Ainda assim, Paulo Maia ressalta a importância de cumprir a decisão.

“OAB buscava isso desde 2016, quando protocolou a ADC, pois é isso o que a Constituição disciplina”, ressaltou.

Faça seu comentário



Possui atualmente : Nenhum comentário em Presidente da OAB-PB vê conquista ‘jurídica e social’ na decisão do STF