prefeitura
::MONTEIRO: Ação Social realizará Curso de Formação para conselheiros tutelares ::Prefeitura de Sumé realiza mais uma festa para as crianças do município ::Novo prédio da Promotoria de Justiça de Monteiro será inaugurado nesta terça-feira ::Super-heróis invadem Monteiro e fazem a alegria na festa do Dia das Crianças ::Jovem sofre estupro coletivo e companheiro é espancado ::Boqueirão chega a 19% e solução é prevista para depois de novembro ::Prefeitura de SSU realizará ato para oficializar fechamento do lixão municipal ::Levantamento aponta aumento de mortes por policiais na Paraíba ::Prefeito paraibano é ameaçado por homem armado com faca peixeira ::As charges do dia… Malves Supermercados

TCE entende que dinheiro do Fundeb não pode ser rateado entre professores e nem para pagar honorários de advogados

(12/08/2019)
TCE entende que dinheiro do Fundeb não pode ser rateado entre professores e nem para pagar honorários de advogados TCE entende que dinheiro do Fundeb não pode ser rateado entre professores e nem para pagar honorários de advogados

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB) respondeu consulta feita pelo presidente da Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup), George Coelho, sobre a correta aplicação de recursos proveniente de verbas de precatórios judiciais em que se discutiu a complementação das transferências financeiras do Fundeb, relativamente a exercícios pretéritos. A Corte de Contas entende que os valores não podem ser utilizados para “rateio” entre professores (pois se trata de indenização ao município) e nem honorários de advogados.

De acordo com o TCE-PB, o ingresso dos recursos deve respeitar o regime de caixa da receita pública, em cumprimento ao art. 35 da Lei 4.320/64. Além disso, a sua utilização deve ser vinculada à função educação, não sendo restringida à educação básica, em consonância com as decisões proferidas pelo Supremo Tribunal Federal nas Ações Civis Ordinárias ACO 648, 669, 660 e 700.

Excluindo os dois pontos destacados pelo TCE-PB, os de pagamento de rateio e de honorários advocatícios, os recursos do Fundeb podem ser utilizados na educação, mas para isso, o município deve providenciar um crédito extra-orçamentário para que seja constado na contabilidade, uma vez que o recurso entrou no município fora do orçamento

Basicamente a resposta do TCE-PB é baseada no Acórdão 1824/2017 proferido pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e em decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) – SL 1107 e ACO 648, 669, 660 e 700 – que determinam que os honorários advocatícios específicos à liberação de valores do Fundeb não poderão ser pagos com recursos do fundo e que sua utilização deve ser vinculada à função educação, não sendo restringida à educação básica.

Faça seu comentário



Possui atualmente : Nenhum comentário em TCE entende que dinheiro do Fundeb não pode ser rateado entre professores e nem para pagar honorários de advogados