::Anna Lorena participa de encontro de prefeitos em João Pessoa nesta segunda ::OLHO VIVO – POR SIMORION MATOS ::VIOLÊNCIA EM MONTEIRO: Polícia registra homicídio e tentativa de homicídio ::SSU realiza o Dia D de vacinação de cães e gatos contra a raiva ::Polícia recupera carro roubado em Monteiro e prende três suspeitos ::Homem tenta sequestrar jovem no Cariri; polícia investiga ::Escritor Monteirense faz palestras em escolas para despertar a leitura ::Cabaceiras define data da XIII Mostra de Cultura que reúne gama artística ::Policial civil da Paraíba é preso acusado de roubar bancos em Pernambuco ::O aniversário de um ícone: o copo americano Malves Supermercados

Vené reconhece favoritismo de Cássio e Cartaxo e ‘desiste’ de disputar o Governo

(09/01/2017)
Vené reconhece favoritismo de Cássio e Cartaxo e ‘desiste’ de disputar o Governo Vené reconhece favoritismo de Cássio e Cartaxo e ‘desiste’ de disputar o Governo

Após duas tentativas frustradas de concorrer ao Governo do Estado, o deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) anunciou, nesta segunda-feira (9), que não vai colocar seu nome na disputa pelo Palácio da Redenção no pleito de 2018.

Em entrevista ao Rádio Verdade, da Rádio Arapuan FM, o peemedebista considerou que teve dois grandes momentos para encabeçar a chapa majoritária: em 2010 e 2014.

Segundo Veneziano, no próximo ano ele vai tentar a reeleição.

“Foram dois momentos que eu tive a oportunidade e o PMDB achou em não vingar o meu nome. Não estou asfixiando sonho, mas para a eleição de 2018 sou candidato a reeleição”, afirmou.

Ainda durante a entrevista, Veneziano reconheceu o favoritismo do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) e do prefeito Luciano Cartaxo (PSD) para as eleições estaduais.

De acordo com Veneziano, Cássio e Cartaxo têm “boa largada” para o governo em virtude da vitória conquistada nas urnas em 2016, dando a reeleição ao gestor da Capital paraibana no primeiro turno.

Roberto Targino – MaisPB

Faça seu comentário



Possui atualmente : 1 comentário em Vené reconhece favoritismo de Cássio e Cartaxo e ‘desiste’ de disputar o Governo