Cariri Ligado
::LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’ ::Michel Temer poderá ir à Monteiro ainda neste mês de janeiro ::COLUNA OLHO VIVO ::Morre agente do Detran que foi atropelado por empresário enquanto trabalhava ::Padre Aristides e a Folha de São Paulo ::As charges do dia… ::Desembargador concede habeas corpus a jovem que atropelou agente em blitz ::Desembargador justifica habeas corpus a Rodolpho Carlos: “O juiz está preso à Lei” ::Padre sofre acidente na BR 412, mas passa bem, diz equipe médica ::Raimundo Lira se reúne com prefeitos e é cotado para disputar Governo em 2018 Malves Supermercados

LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’

LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’ LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’

Faleceu na madrugada desta segunda-feira (23), aos 73 anos, o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro “Guerreiro Togado”. Pedro lutava contra um câncer e estava internado no Hospital Português, em Recife. Ele tinha fortes laços com o Cariri paraibano, por ter vários familiares no município de Prata, a exemplo do ex-prefeito Marcel Nunes. Era irmão do poeta e colunista do Cariri Ligado, Zelito Nunes.

Pedro era poeta, escritor, professor, advogado, auditor da Receita Federal, membro do Instituto Geográfico da Paraíba, autor dos livros Caatinga Branca, Guerreito Togado, Cariris Velhos, Mundo Sertão e Criador de cabras da Paraíba. Em 2011 havia sido homenageado pela Assembleia Legislativa da Paraíba com a Medalha Augusto dos Anjos, uma das mais graduadas horárias outorgadas por aquele Poder Legislativo.

Sobre o livro Guerreiro Togado, considerado uma das maiores obras de Pedro, inscreve-se entre os melhores estudos municipalistas nordestinos.

A HISTÓRIA

O promotor Augusto de Santa Cruz Oliveira, acompanhado de 120 homens fortemente armados, acaba de invadir a cidade de Monteiro, no Cariri paraibano. O revoltoso quebrou as portas da cadeia pública, soltou os presos, prendeu os policiais e tomou como reféns várias autoridades, entre elas, o promotor em exercício, Dr. Inojosa, e o prefeito daquela cidade, Coronel Pedro Bezerra da Silveira Leal. Houve resistência, tiroteio e mortes. O juiz e o vigário fugiram.

A população está em pânico. As famílias retiraram-se, abandonando suas casas e seus negócios. Monteiro tornou-se um barril de pólvora. A partir de hoje, ninguém sabe o que pode acontecer.

Este incidente político ocorreu no dia 6 de maio de 1911 e foi noticiado dessa forma pela imprensa da capital.

Há 100 anos, a cidade de Monteiro foi invadida conforme noticiado acima. Aí começou uma guerra que encheu todo o Sertão. Ao mesmo tempo em que Santa Cruz provocava medo, despertava admiração por sua inteligência, oratória, simpatia e, sobretudo, por sua valentia e destemor.

Enfrentou sem medo as forças políticas da oligarquia paraibana, pegou em armas, lutou, tentou mudar, nada conseguiu, a não ser respeito e admiração por enfrentar corajosamente um exército composto por 500 homens das polícias da Paraíba e de Pernambuco que atacaram sua Fazenda Areal, onde havia construído sua fortaleza para resistir, acompanhado de 120 homens e tendo como trunfo cinco autoridades que prendeu e levou consigo em sua fuga para o Juazeiro do Padre Cícero.

Banner Coringa Banner Coringa

Michel Temer poderá ir à Monteiro ainda neste mês de janeiro

COLUNA OLHO VIVO

Por Simorion Matos

PROMESSA DE CARNAVAL

simorionEm visita a Monteiro na quarta-feira (18), o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, reafirmou com segurança que as águas da transposição do rio São Francisco estarão em Monteiro até o dia 28 de fevereiro.
O dia 28 de fevereiro é a terça-feira de carnaval. Se a previsão do ministro for confirmada, poderemos ter um Reinado de Momo bem molhado. Esperamos que não seja mais uma ilusão de carnaval.

QUAL É A MÚSICA?
A promessa feita pelo ministro de que as águas do Velho Chico estarão banhando o município de Monteiro até o carnaval, cria uma expectativa sobre qual a música que ouviremos mais por aqui.
Se a água tiver chegado, ouviremos bastante FOI UM RIO QUE PASSOU EM MINHA VIDA.
Se a água ainda não tiver chegado, continuaremos curtindo LATA DÁGUA NA CABEÇA.

RECONHECIMENTO
Nunca votei em Lula e nunca votarei, porque não concordo com sua linha ideológica. É um direito que tenho e respeito o direito de quem vota nele. Mas, como nordestino e caririzeiro, reconheço a importância da sua decisão política de iniciar as obras da transposição do rio São Francisco. O meu reconhecimento à grandeza da obra não me obriga a seguir Lula politicamente.
Mas, quando as águas da transposição estiverem deslizando no leito do Rio Paraíba, não poderemos por uma questão de justiça, desconhecer o seu mérito.

PARLAMENTO DE MONTEIRO
Em 2 de fevereiro a Câmara Municipal de Monteiro deverá iniciar os trabalhos da legislatura que começa em 2017. O presidente Givalbério Ferreira (Bero) deverá conduzir a Mesa Diretora no período 2017/2018, enquanto Cajó Menezes foi escolhido para presidente no período 2019/2020.
A bancada da situação tem 8 vereadores, enquanto a oposição conta com 5 parlamentares. Dos 13 integrantes da Casa José Ferreira Tomé, 8 tiveram seus mandatos renovados: Bero, Lito, Raul Formiga, Hélio Sandro, Toinho de Nequinho, Bião e Nem de Júlia. Retorna à Casa o vereador Chuta, e os novatos são Jacira Oliveira, Simão do Bolão, Farias, Courão e Cajó Menezes.

DOMINGUINHOS ESTÁ VIVO
O ex-prefeito de Princesa Isabel, Dominguinhos, participou no sábado (21) do programa Agora é a Hora, na Rádio Princesa AM e disse ao radialista Alberto Ribeiro que não vai deixar a política.
Afirmou que se tivessem permitido a sua presença no palanque de Sidney Filho, o resultado poderia ter sido diferente, porque ele é muito popular, apesar do desgaste. Disse ainda que a sua amizade com o seu ex-secretário e hoje vereador Valmir Pereira estava acabada, porque o parlamentar não teria sido correto na condução da eleição da Mesa Diretora da Câmara princesense.
Dominguinhos terminou o seu mandato bastante desgastado, com a Prefeitura devendo a Deus e ao mundo e inclusive foi “proibido” de participar da campanha, porque o núcleo central dos tucanos entendeu que aliando o nome de Sidney Filho ao então prefeito, o reflexo seria ainda mais negativo.

COISAS & CASOS

Nos idos de 1970 o prefeito Arnaldo Lafayette demoliu o correto da Praça João Pessoa, que era o ponto de encontro da boêmia monterirense e um dos lugares mais tradicionais da cidade. A tristeza na comunidade foi grande e o poeta Firmo Batista retratou em versos a reação popular, no mote TODO ESTE POVO CHOROU/QUANDO O CORETO CAIU.

Chorou Zinaldo Romão,
Bague, Fernando e Cici
Romero, Flávio e Sadi,
José Lucena e Bocão.
Adjar e Zé Grampão,
Um chorou, outro sentiu,
Argemiro quando viu,
Logo se emocionou
Todo este povo chorou
Quando o coreto caiu.

Paulo de Paizin Romão,
Peba e Luiz Marcelino,
Luizinho Virgulino,
Paulo Nunes, Cacetão,
Natanael e Barrão,
Pepê, chorando saiu,
E quando João Graxa viu
Com Pinincha se abraçou,
Todo este povo chorou,
Quando o coreto caiu.

Zé Morato, Zé Tempero,
Rú e Otávio Amador,
E Dóia, o vereador,
Serafim, o Bodegueiro,
Bebete e Biu sapateiro,
Dé Marcelino fugiu.
O pobre Mané Titiu,
Foi costurar, se furou
Todo este povo chorou,
Quando o coreto caiu.

Cláudio Leite, Zi Romão,
Jaime Gomes, Ferreirinha,
Zé Gomes e Antonio Rainha,
Dulirio, Luiz Cabeção.
Jota Quinca e Carretão,
Arnaldo Nunes mentiu,
Dizendo que em casa viu
Quando Bira desmaiou
Todo este povo chorou,
Quando o coreto caiu.

Léo de Silva Brito e Jú,
Dé de Juza e Severino,
Nezinho e até Silvino,
José do Foto e Tutu,
Temi, só faltava tu
Porém o povo exigiu,
Depois que você saiu,
Preço de cana baixou,
Todo este povo chorou,
Quando o coreto caiu.

Zé Torres, Bosco, Mazinho,
Jorge Duarte, Averaldo,
Geraldo e outro Geraldo,
Um caduco, outro branquinho,
Carlos Farias, Marinho,
Doncilio se escapuliu
Pedrosa Amador não viu,
Mas em Brasília sonhou,
Todo este povo chorou,
Quando o coreto caiu.

Almir e Joubert Ferreira,
Chico Cirilo e seu mano,
Novinho e José Baiano,
Mário e Antonio Pereira,
Aí seu Pedro Siqueira
Parou o Toyota e viu,
Quis sair, mas não saiu,
No volante desmaiou,
Todo este povo chorou,
Quando o coreto caiu.

Santo Barbosa, zangado,
Disse a seu Chico Batinga:
Neste Monteiro não vinga.
Prefeito do meu agrado
O coreto é derrubado,
Porém ninguém dá um piu,
Doutor Ageu construiu,
E Arnaldo derrubou,
Todo este povo chorou,
Quando o coreto caiu.

Pedro de Doutor Maninho,
Disse a Gaiamum de Zi,
Gaiamum disse a Didi,
Didi disse pra Carlinho,
Carlinho pra Romãozinho,
Dema contou a Bibiu,
Até Zé Pretinho ouviu,
Quando Humberto reclamou.
Todo este povo chorou,
Quando o coreto caiu.

Contatos com a coluna: simorionmatos@gmail.com

Banner educação

Morre agente do Detran que foi atropelado por empresário enquanto trabalhava

LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’ LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’

O agente de trânsito Diogo Nascimento de Souza não resistiu à gravidade dos ferimentos que sofreu e faleceu no início da noite deste domingo (22) no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, onde estava internado desde a madrugada do sábado (21), quando foi atropelado pelo empresário Rodolpho Carlos da Silva, que dirigia um carro de luxo e fugiu de uma blitz.

A direção da unidade hospitalar explicou, em nota, que o início da noite, foram realizados novos exames, que mostraram não mais haver fluxo cerebral, confirmando-se o óbito do agente de trânsito. A nota é assinada pela diretora geral do hospital, Sabrina Bernardes.

Amigos de Diogo Nascimento estão reunidos na frente do Hospital de Trauma. Na manhã desta segunda-feira (23) agentes de trânsito farão um protesto em frente ao Tribunal de Justiça da Paraíba cobrando a revogação de um habeas corpus concedido pelo desembargador Joás de Brito que garantiu liberdade a Rodolpho Carlos, suspeito de atropelar e matar o agente.

“Só vamos parar quando esse homicida for preso”, disse o chefe da Divisão de Policiamento de Trânsito do Detran, capitão Rosenstock.

Veja a nota:

NOTA

O Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, informa que o paciente Diogo Nascimento de Souza, vítima de atropelamento, veio a óbito às 18 horas deste domingo (22). No início da noite, foram realizados novos exames, que mostraram não mais haver fluxo cerebral, confirmando-se, portanto, o óbito do paciente.
O hospital informa também que comunicou aos familiares no início da noite e vem prestando assistência aos mesmo

Sabrina Bernardes
diretora Geral Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena

Padre Aristides e a Folha de São Paulo

Por João TRINDADE

trindadepequenanovaNo livro “Os Mártires de Piancó”, padre Manuel Otaviano, escritor paraibano e, na época, vigário daquela paróquia, conta um episódio envolvendo o padre Aristides (legendário sacerdote que enfrentou a Coluna Prestes, na Paraíba).

A cena aconteceu no Seminário em que os dois estudavam.

Certo dia, a poetisa (e não, poeta!) Auta de Souza visitou o Seminário. Foi formada uma fila de seminaristas para cumprimentar a ilustre visitante. Padre Aristides, ao cumprimentá-la, afirmou:

- Como vai a ilustre poeta?

Foi o bastante para os colegas do padre fazerem chacota. A poetisa deu-lhe um “carão”, e a direção do colégio deu uma advertência oficial.

Fosse esse episódio nos dias de hoje, e a “Folha de São Paulo” teria dado um prêmio ao sacerdote em questão.

É que a “Folha de São Paulo” não usa o feminino poetisa: só usa poeta. E diz mais, no Manual dela: “Não use poetisa. Use a poeta”. Só que não explica por quê.

Ora, não se pode simplesmente extirpar sufixo da língua. A “Folha” extinguiu o sufixo “Isa” do feminino da palavra poeta.

Então, de acordo com o “Manual de Redação” da “Folha”, deveríamos escrever a profeta (e não, profetisa), a papa (e não, papisa)? Durma-se com um barulho desse!

ABUSO DO POSSESSIVO SEU

A escola brasileira tem negligenciado o ensino da semântica. Confunde-se ensinar Português com ensinar regras de gramática. O desprezo da primeira prática tem como consequências erros semânticos em textos de profissionais; sobretudo na área jurídica.

Assistimos, atualmente, ao abuso do possessivo “seu” (e flexões), algo deveras condenável.

Por ser pronome de terceira pessoa, “seu” dá, muito geralmente, ambiguidade ao texto e, quando isso não acontece, “enfeia” a frase.

Tomemos o seguinte exemplo:

O acusado teria assassinado a vítima no seu apartamento. (no apartamento de quem? Do acusado ou da vítima?).

Ainda quando não dá ambiguidade, o pronome “seu” geralmente é desnecessário. É muito comum ouvirmos de profissionais do Direito:

“O Código penal, no seu artigo 3º afirma (…).

Ora, por que o seu? É desnecessário. Puro vício. Bastaria dizer:

O código penal, no artigo 3º afirma (…)

Até a próxima, querido leitor!

Contato: professortrindade1@hotmail.com

Desembargador concede habeas corpus a jovem que atropelou agente em blitz

diogoacidenteO desembargador Joás de Brito Pereira Filho concedeu habeas corpus e suspendeu o mandado de prisão temporária de Rodolpho Gonçalves Carlos da Silva, que tinha sido expedido pela juíza Andrea Arcoverde, plantonista do 1º Juizado Especial Misto do Fórum de Mangabeira, em João Pessoa, nesse sábado (21). O jovem é suspeito de atropelar o agente de trânsito Diogo Nascimento, 34 anos, durante uma blitz da Lei Seca, em João Pessoa.

O documento foi emitido na madrugada deste domingo (22) e assinado por Rodolpho Gonçalves por volta das 3h da madrugada. Com o HC, o jovem não é mais considerado foragido da justiça conforme tinha sido divulgado pela Polícia Civil. Ele deverá se apresentar para prestar depoimento e vai responder o processo em liberdade.

Carro encontrado

O carro de luxo Porsche branco foi encontrado em um condomínio em Manaíra e apreendido para perícia, no fim da tarde do sábado (21). Imagens que circulam nas redes sociais mostram o quanto o para-brisa ficou danificado por causa do atropelamento. O estado do equipamento, bem como imagens de câmeras de monitoramento instaladas próximas ao acidente, vão ajudar os peritos a estimar a velocidade em que o carro era conduzido.

“Ao observar a situação do para-brisa já identificamos que o corpo foi projetado e atingiu o vidro frontal do carro. Essa situação se chama de ‘Efeito Cunha’, isso acontece quando o veículo atinge uma grande velocidade, mas vamos analisar para concluir qual foi a velocidade do Porsche”, falou Lúcio Silva, perito criminal do Instituto de Polícia Científica (IPC) da Paraíba.

Atropelamento

O servidor do Departamento Estadual de Trânsito da Paraíba (Detran-PB), Diogo Nascimento comandava uma blitz da Operação Lei Seca na Avenida Governador Argemiro de Figueiredo no momento do acidente. Ele foi atingido por um Porsche que trafegava em alta velocidade. O motorista fugiu sem prestar socorro, mas, devido ao impacto da batida, a placa do veículo caiu na pista e foi apreendida pelas autoridades.

Segundo o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, Diogo está internado em estado grave na UTI com politraumatismo.

OAB-PB cobra

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional da Paraíba (OAB-PB), divulgou nota à imprensa para prestar solidariedade à família e ao agente de trânsito da Lei Seca, Diogo Nascimento. Na nota, a OAB-PB cobra investigação do caso e responsabilização do culpado, mas repele veementemente a atitude irresponsável, preconceituosa e algumas redes sociais que veicularam matérias com o objetivo de ameaçar e obstar a atuação do advogado do acusado do atropelamento, incitando a população neste sentido.

Portal Correio

Banner Câmara

Desembargador justifica habeas corpus a Rodolpho Carlos: “O juiz está preso à Lei”

LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’ LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’ LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’

Autor da concessão de habeas corpus, em caráter liminar, em favor do jovem Rodolpho Carlos da Silva, o desembargador Joás de Brito explicou, na tarde deste domingo (22), os motivos da decisão que, na prática, derruba o mandado de prisão expedido pela Justiça contra o acusado de atropelar o agente de trânsito Diogo Nascimento, de 34 anos, na madrugada de sábado (21), em João Pessoa. “O juiz está preso ao que determina a Lei”, enfatizou.

Pergunta crucial – Perguntado se considera justa uma sentença que “beneficia o acusado e ignora a vítima”, Joás de Brito foi taxativo: “Não se trata de beneficiar alguém. Não podemos enxergar por esse ângulo”.

Ele acrescentou: “O direito dos familiares da vítima será preservado e o autor do fato responderá pelo seu ato”.

A questão – frisou o desembargador – é se a prisão antecipada, que é uma medida excepcional, deveria prevalecer ou não. “O juiz está preso ao que determina a Lei”, sentenciou.

“A prisão é exceção e só se justifica nos casos em que o réu oferece perigo a sociedade e tenta frustrar a aplicação da lei penal”, justificou o magistrado.

No caso – explana o desembargador – “o advogado já tinha peticionado ao delegado apresentando o veículo e manifestando o desejo de apresentar o rapaz para apresentar sua versão”.

Acusado foi alvo de sanções – À reportagem, Joás de Brito registrou que, além de conceder a liberdade, estabeleceu um prazo para o acusado se apresentar oficialmente às autoridades policiais, apresentou uma série de medidas.

Dentre elas, – destaca o magistrado – a ” proibição de dirigir com o recolhimento imediato da carteira de habilitação, recolhimento de passaporte, recolhimento diário e proibição de frequentar bares”.

A prisão preventiva havia sido solicitada pela Delegacia de Homicídios e expedido pela juíza Andrea Arcoverde, plantonista do 1º Juizado Especial Misto do Fórum de Mangabeira, em João Pessoa, nesse sábado (21).

MaisPB

Padre sofre acidente na BR 412, mas passa bem, diz equipe médica

Raimundo Lira se reúne com prefeitos e é cotado para disputar Governo em 2018

Rômulo vai do Brejo ao Cariri participando das Festividades a São Sebastião

LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’ LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’

O deputado federal Rômulo Gouveia (PSD) participou das festividades alusivas a São Sebastião em duas cidades paraibanas, Pirpirituba e Olivedos, nesta sexta (21). O santo é padroeira dos municípios e festejado nas cidades.

Na cidade de Pirpirituba, localizada na região do Brejo da Paraíba e distante 116 km da capital João Pessoa, Rômulo Gouveia participou da Procissão em Homenagem ao Padroeiro, São Sebastião. Gouveia percorreu as principais ruas da cidade conhecida pela produção de Cachaça de alta qualidade, ao lado do prefeito Denilson de Freitas Silva; do vice Ronaldo José da Silva de Abreu; do presidente da Câmara, Givanilson Lira de Freitas(PSD); do ex-prefeito Rinaldo de Lucena Guedes, do vice-prefeito de Serra da Raiz Luiz Gonzaga Bezerra Duarte(PSD); da deputada estadual Camila Toscano; além de outras autoridades e de uma multidão.

“Tenho contribuído para o desenvolvimento de Pirpirituba com Rinaldo e agora vamos continuar o trabalho com Didiu”, destacou o parlamentar federal.

Depois, o deputadop se deslocou para Olivedos, na região do Cariri paraibano e distante 201 km da capital. Em Olivedos, o deputado participou também das festividades alusivas a São Sebastião e da festa profana chamada de ‘Festividades de Janeiro’ que a quatro anos não acontecia na cidade.

Gouveia assistiu uma apresentação do Grupo de Jovens em frente a Igreja Matriz e depois prestigiou o show do artista paraibano Niedson Lua, que levou uma multidão a praça pública.

Rômulo Gouveia estava acompanhado do prefeito José de Deus Anibal Leonardo(PSD), do vice Pedro Jarsom Verissinho de Sousa, do Presidente da Câmara Eduardo Almeida Souto, outros vereadores e lideranças de toda região.

Banner Efigenio

Penúltima noite da Festa de São Sebastião reúne milhares de pessoas

'GATOS': Desvios de energia elétrica geram prejuízo de R$ 78 milhões na PB

energiaaEm 2016, os desvios de energia elétrica, conhecidos como ‘gatos’, geraram um prejuízo de R$ 78 milhões na Paraíba e provocou um encarecimento de 5% nas contas de luz dos paraibanos, já que rateado nas faturas dos consumidores pagantes do Estado. Quatro cidades do Sertão concentram a maior incidência de desvio de energia elétrica no Estado: Sousa, Pombal, Coremas e Itaporanga.

As informações são da da Gerência de Combate a Perdas da Energisa Paraíba e Energisa Borborema, que monitora toda a Paraíba diariamente e durante 24 horas por dia e envia equipes para combater os desvios de energia elétrica, popularmente conhecidos como ‘gatos’.

De acordo com Fabrício Sampaio, gerente de combate a perdas da Energisa, cerca de 111 mil clientes da concessionária são prejudicados por causa do desvio de energia elétrica.

Sampaio explica que o prejuízo gerado pelos desvios, entra na conta dos custos operacionais e são repassados para os demais consumidores na composição da fatura. “Só de ICMS [Imposto Sobre Circulação de Mercadorias] o Estado deixou de recolher R$ 19 milhões, por causa do desvio de energia”, disse Fabrício Sampaio.

Custos rateados
De acordo com informações da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a distribuidora de energia tem custos operacionais que são avaliados na definição das tarifas, que serão cobradas aos consumidores. Os custos e investimentos repassados às tarifas são calculados pelo órgão regulador, a Aneel, e podem ser maiores ou menores do que os custos praticados pelas empresas.

Além da tarifa, os Governos Federal, Estadual e Municipal cobram na conta de luz o PIS/COFINS e a Contribuição para iluminação pública. O prejuízo gerado pelos desvios de enregia elétrica também entra nessa conta da composição tarifária. Desde 2004, o valor da energia adquirida das geradoras pelas distribuidoras passou a ser determinado também em decorrência de leilões públicos. A competição entre os vendedores contribui para menores preços, segundo a Aneel.

Corpo do ministro do STF Teori Zavascki é enterrado em Porto Alegre

LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’ LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’ LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’ LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’

Por volta das 15h40, o velório foi fechado para amigos e familares e encerrado 20 minutos depois. Por volta das 16h50, começou o cortejo fúnebre pelas ruas de Porto Alegre. Na saída do prédio do tribunal, populares gritaram por “justiça”. Em seguida, o cortejo seguiu para um cemitério na Zona Leste da cidade, onde o corpo chegou às 17h20. Pouco mais de uma hora depois ocorreu o sepultamento.

No início da tarde, o presidente Michel Temer chegou ao velório acompanhado dos ministros Alexandre de Moraes (Justiça), Eliseu Padilha (Casa Civil) e José Serra (Relações Exteriores). “É uma perda lamentável para o país”, disse Temer, ao iniciar seu rápido pronunciamento.

O presidente afirmou que só indicará um nome para ocupar a vaga de Teori no STF depois que for indicado um novo relator para os processos da Lava Jato na Corte. O ministro morto era o responsável pelos processos da operação que envolvem políticos com foro privilegiado.

Na comitiva com Temer vieram também os ministros Mendonça Filho (Educação) e Osmar Terra (Desenvolvimento Social e Agrário), além do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Homenagens
O juiz da Lava Jato na primeira instância, Sérgio Moro, disse que foi prestar uma homenagem a Teori, que era o relator dos processos da operação no STF.

“Acredito que, pela qualidade, relevância e importância pelos serviços que ele prestava, e a situação difícil desses processos, pela importância desses processos, ele foi um verdadeiro herói”, afirmou Moro, que teve seu breve pronunciamento interrompido em função de problemas no microfone, e deixou a sala de imprensa sem responder perguntas.

Colega de Teori no STF, o também ministro Dias Toffoli deu uma rápida declaração, dizendo que a morte do jurista foi “uma perda para a nação brasileira”.

“A serenidade do ministro Teori Zavascki, a simplicidade dele, a humildade dele… marcará para sempre a Justiça brasileira. E nós tivemos a oportunidade de desfrutar da amizade pessoal com sua excelência, uma perda pessoal que nos abala e que estamos ainda sofrendo muito com essa passagem do ministro Teori. Não poderia deixar de vir aqui, dar um beijo nesse grande amigo“, comentou o ministro, bastante emocionado.

O ministro do STF Ricardo Lewandowski lamentou a perda. “É um dia muito triste para o STF e para todo o país. Perdemos um dos melhores quadros da magistratura do país. Um homem de bem, juiz extremamente competente e um colega leal. Será muito difícil reparar perda.”

Já o ministro Edson Fachin observou que perde um amigo e colega da profissão. O magistrado se negou a responder perguntas de jornalistas sobre o andamento dos processos da Lava Jato e a escolha de um novo ministro. “É momento de prestar respeito e ao mesmo tempo enaltecer a figura do Teori.”

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, também compareceu no velório e disse que a escolha do novo ministro deve ser fiscalizada. “Todos sabemos que escolha tem um tempo é não é um tempo curto. O ministro nomeado será sabatinado por pessoas investigadas por essa operação. O processo deve ser absolutamente transparente.”

Lamachia defendeu a distribuição dos processos da Lava Jato entre os outros ministros. “Nós temos que refletir sobre a continuidade momentânea dessas coletas de depoimentos de testemunhas. Poderia se pensar que a própria ministra cumprisse etapa no processo de homologação ou não das delações premiadas.”

Além de Cármen Lúcia e Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski estiveram em Porto Alegre para o velório de Teori Zavascki, mas sem falar com a imprensa. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, também marcou presença.

Mais nove policiais militares promovidos por ato de bravura na Paraíba

ricardopmO governador Ricardo Coutinho promoveu mais nove policiais militares por ato de bravura, que é a promoção concedida aos policiais que se destacam pela demonstração de ações que ultrapassam os limites do dever funcional, com atitudes de coragem e audácia incomuns. Os atos foram publicados no Diário Oficial desta sexta-feira (20), chegando a 27 promoções deste tipo em apenas dois anos.

A promoção por bravura é proposta pelo comandante geral da Polícia Militar, coronel Euller Chaves, após passar por um conselho especial que avalia o caso concreto, a amplitude da ocorrência e a norma que assegura esta promoção extra na carreira profissional, para só então ser encaminhada ao Governador.

O coronel Euller Chaves destacou a atitude do governador Ricardo Coutinho em conceder as promoções, ressaltando que mais do que policiais, estão sendo promovidos verdadeiros heróis. “Porque eles (os promovidos) passaram por situações incomuns durante a folga, muitas vezes sozinhos, que exige técnica, proatividade e resposta rápida diante dessas situações, então o governador Ricardo Coutinho mostra reconhecimento acerca disso e sensibilidade com a concessão das promoções, sendo o Governo que mais promoveu policiais por ato de bravura na história da Paraíba”, disse.

Um dos promovidos foi o agora 3º sargento Wellington Silva Barbosa, que atua na cidade de Campina Grande. No dia 1º de fevereiro do ano passado, quando de folga, ele perseguiu dois bandidos que tinham assaltado um trabalhador no bairro Dinamérica, em Campina Grande, e depois fizeram um arrastão em um restaurante, na frente do Instituto Federal. O na época cabo Wellington esperou os acusados saírem do restaurante, subirem na motocicleta para fugir e os perseguiu na própria moto, conseguindo interceptar a dupla, que estava armada com um revólver calibre 38, e recuperar tudo o que foi roubado nos dois crimes.

Ele comemorou a promoção: “Agradeço a Deus primeiramente por ter me destinado para contribuir com a segurança pública do nosso Estado, seja de serviço ou de folga, como nesse caso, e agradeço ao comandante geral e ao governador por esse reconhecimento de ter me promovido por bravura, um sonho que agora é realidade”, destacou.

Nesta sexta-feira, foram publicadas as promoções de dois soldados que passam a graduação de cabo; de quatro cabos a 3º sargento; e de três de 3º sargento para 2º sargento. No último dia 13 o Governador já tinha publicado a promoção de seis policiais militares por ato de bravura.

Prefeitura de Ouro Velho recebe equipamentos para unidade de saúde

Três municípios do Cariri paraibano não registraram homicídios em 2016

LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’ LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’ LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’

Uma das características mais comuns de cidades no interior é colocar a cadeira na calçada e conversar. No entanto, esse costume está sendo deixado de lado por causa do aumento da violência. De um total de 223 municípios da Paraíba, apenas 64 não registraram nenhum tipo de Crimes Violentos Letais Intencionais (homicídios dolosos ou qualquer outro crime doloso que resulte em morte) ao longo de 2016.

Com isso, de um total de 3,9 milhões de habitantes na Paraíba, apenas 8,4% (337.555) da população do Estado ficou tranquila em 2016 sem o registro de homicídios nas suas cidades. Uma delas foi Amparo, que se localiza no Cariri e fica 248 quilômetros distrante de João Pessoa.

Amparo tem uma população de 2.229 habitantes e faz parte das estatísticas positivas na Paraíba, pois é uma das 64 cidades que não tiveram assassinatos em 2016. Os dados são do relatório de indicadores criminais do programa Paraíba Unida pela Paz, da Secretaria de Segurança e Defesa Social do Estado (Seds). O principal motivo para essa tranquilidade é o tamanho das cidades, pois a maioria delas tem menos de dez mil habitantes.

“Aqui é muito tranquilo. A gente pode até dormir de portas abertas que não tem perigo. É muito raro acontecer assalto. É tranquilo até com relação ao barulho, que só tem em época de festa. Não quero nem pensar na minha cidade ficar igual as cidades grandes, tomada pela criminalidade”, relatou a servidora pública Jocelma Anselmo, 40 anos, que reside em Amparo desde que nasceu.

Em Amparo, a maior parte das casas tem apenas portões baixos, sem cercas elétricas ou sistema de segurança, muito comum em lugares maiores para evitar a violência. O policial militar cabo Luiz Pequeno disse que trabalha na cidade há oito anos e considera o município muito pacato. “A gente tem sempre estado junto à sociedade, fazendo um trabalho comunitário, orientando a todos. Por se tratar de uma cidade pequena, a gente conhece todo mundo. Quando chega uma pessoa estranha na cidade a gente já vai averiguar”, ressaltou.

As ocorrências mais comuns, segundo o cabo Luiz Pequeno, são relacionadas a som alto, que é pertubação ao sossego. Com relação a assalto, quase nunca acontece. “A casa lotérica da cidade já foi arrombada, mas não foi com muita violência. O município também não conta com caixa eletrônico, então nunca ocorreu explosão aqui”, enfatizou.

Segundo informações contidas nos relatórios do programa Paraíba Unida pela Paz, Amparo não registra homicídios desde 2012, mas não quer dizer que não contabilizou antes. O cabo Luiz acredita que não aconteceram assassinatos na cidade há pelo menos uns 14 anos.

Análise

Para o cientista político José Maria Nóbrega, as cidades menores são mais propícias a ter poucos homicídios, pois há forte correlação entre assassinatos e tamanho da população – e isso pode estar ligado a vários fatores, como a posição geográfica e a falta de atrativo para o tráfico. “Contudo, não ter homicídios não quer dizer que não haja crimes”, avaliou.

Em relação a todo o Estado, o secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Cláudio Lima, disse que a Paraíba vem registrando uma redução no número de homicídios, fruto de uma política pública de segurança implantada no Estado. “Se adotarmos o sistema de segurança como algo coletivo, os resultados serão positivos”, afirmou.

Dez menores cidades livres de homicídios em 2016

1- Parari (1.782 habitantes)
2- São José do Brejo do Cruz (1.793 habitantes)
3- Quixaba (1.933 habitantes)
4- Areia de Baraúnas (2.137 habitantes)
5- Amparo (2.229 habitantes)
6- Zabelê (2.227 habitantes)
7- Lastro (2.745 habitantes)
8- Várzea (2.784 habitantes)
9- Mato Grosso (2.892 habitantes)
10- São Domingos de Pombal (3.091 habitantes)

Hospital de Sumé mantém alta demanda em atendimentos e serviços

LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’ LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’

O Hospital e Maternidade Alice de Almeida encerrou o ano de 2016 registrando alta demanda em atendimento e serviços, equivalente aos anos anteriores.

O Hospital terminou o ano com pouco mais de 33 mil procedimentos, incluindo atendimento ambulatorial, cirurgias e internações. De atendimento ambulatorial foram 2.263 somente no mês de dezembro e de internações foram 1.471 durante o ano.

A grande procura pelos serviços do Hospital e Maternidade Alice de Almeida, demonstra que a unidade nos últimos tempos vem funcionando como um hospital regional. Sumé é o município que mais procura, seguidos por Congo, Serra Branca e Amparo. Na lista também podem ser registrados frequência dos municípios de Zabelê, Livramento, Caraúbas, São João do Cariri, Ouro Velho, Camalaú e Cordeiro.

Além do atendimento ambulatorial, o hospital realiza diversas cirurgias, em média 5 por semana, e ainda as cesarianas de urgência. Entre as cirurgias estão: histerectomia, vesícula, laqueadura tubária, vasectomia, colecistectomia, hidrocelectomia, herniorrafia, colpoperineoplastia, ooforectomia, hemorroidectomia, postectomia.

A alta demanda faz com que a gestão municipal busque sempre parcerias com outros entes para manter a casa de saúde em pleno funcionamento. De acordo com o prefeito de Sumé, Éden Duarte, somente com os recursos do município não seria possível manter o grande número de atendimentos e serviços. “Graças ao apoio do governador Ricardo Coutinho, por meio de convênio que o hospital firma com o Funcep, nós conseguimos nesses últimos anos manter o Alice de Almeida, que inclui gastos com medicamentos, alimentação, oxigênio e outros”, disse o prefeito.

O convênio com o Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza (Funcep) encerrou-se em dezembro passado, agora, a gestão municipal busca renovar a parceria para que a instituição continue a atender com a mesma quantidade e qualidade.

Prefeita de Monteiro pede interligação da transposição com açude de Pocinhos

LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’ LUTO: Morre o escritor Pedro Nunes Filho, autor do livro ‘Guerreiro Togado’

A prefeita de Monteiro, Anna Lorena, foi a anfitriã de todas as autoridades que estiveram no Cariri paraibano acompanhando a visita que o ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, fez nesta quarta-feira, 18, as obras de Transposição de Águas do São Francisco.

Durante o encontro com o ministro Hélder Barbalho, a prefeita de Monteiro agradeceu em nome dos munícipes o compromisso do governo federal em dar sequencia a esta grandiosa obra e reivindicou a edificação de uma adutora que possibilite a inclusão do açude de Pocinhos como um dos mananciais que possa armazenar as águas do Velho Chico.

“Solicitamos ao ministro Hélder Barbalho que estude a possibilidade de construir uma adutora entre o canal da transposição e o açude de Pocinhos, algo em torno de 4 km, o que solucionaria de vez o abastecimento de água do nosso município com total impureza”, disse a prefeita Anna Lorena.

Segundo a prefeita Anna Lorena, o ministro se comprometeu em analisar a solicitação e pediu que o município apresentasse oficialmente um esboço de um projeto para que o Ministério da Integração possa analisar a viabilidade da obra, o que já começou a ser providenciado nesta quinta-feira, 19, junto à equipe técnica da Secretaria de Planejamento do município de Monteiro.

Anna Lorena disse ainda acreditar que a obra de Transposição de Águas do Rio São Francisco estará sendo concluída dentro do prazo previsto pelo Ministério da Integração, e assegurou que o município de Monteiro está fazendo sua parte e colaborando de todas as formas para esta realidade.

Durante a visita as obras da transposição ao lado ministro Hélder Barbalho, a prefeita Anna Lorena esteve acompanhada do deputado João Henrique, da ex-prefeita Edna Henrique, do vice-prefeito Celecileno Alves, de vereadores e secretários municipais.

Secretária de Cultura organiza calendário com novos projetos e ações para 2017

[+]   POSTAGENS