prefeitura
::Polícia prende mulher com notas falsas na cidade de Sumé ::Polícia Federal apreende mais de 1,5 tonelada de maconha na Paraíba ::Moro sugeriu a força-tarefa ação contra ‘showzinho’ da defesa de Lula, diz site ::Brasil estreia com vitória contra Bolívia ::Maioria da bancada federal paraibana vota a favor da Reforma da Previdência ::SUMÉ: Waldonys e Kátia Cilene embalam forrozeiros neste final de semana ::EXCLUSIVO: Homem é assassinado a tiros no Cariri ::Prefeita assina ordem de serviços, entrega obras e veículos em Ouro Velho ::Prefeita de Monteiro inaugura nova academia de saúde e beneficia mais um bairro ::Alunos da Rede Municipal de Monteiro são destaques nos Jogos Escolares da Paraíba Malves Supermercados

COLUNA OLHO VIVO

(15/10/2015)

PINTO DO MONTEIRO: 25 ANOS DE SAUDADE

Por Simorion Matos
simorionO poeta Severino Lourenço da Silva Pinto – Pinto do Monteiro faleceu em 28 de outubro de 1990, aos 95 anos de idade. Na sua terra natal, a data será lembrada com um evento literário que está sendo organizado pelo jornalista Fred Menezes, Secretário de Comunicação do município.

Haverá o lançamento do livro “Caderneta de Fiado”, do monteirense Efigênio Moura e do livro “Acima de qualquer suspeita – O lado engraçado dos políticos-“, do princesense Tião Lucena.

A festa de lançamento terá o apoio da Prefeitura de Monteiro e da UEPB – Campus Pinto do Monteiro.

CANDIDATURAS PRÓPRIAS

No moído da política monteirense já se comenta como certas duas candidaturas em faixa própria ao cargo de prefeito. O ex-vereador Juraci Conrado pelo PSB, independente do apoio do ex-deputado e ex-prefeito Carlos Batinga. E o vereador Paulo Sérgio, possivelmente pelo PDT, independente do apoio do deputado João Henrique.

Conforme os comentários, Conrado enfrenta resistência no grupo Batinga e Paulo Sérgio não tem conseguido a simpatia de boa parte do grupo comandado pelo deputado João Henrique. Mas pretendem ser candidatos, de todo jeito.

CANDIDATURA TUCANA

Ainda com relação à política de Monteiro, comenta-se no moído que a candidatura do PSDB deverá ser definida entre o vice-prefeito Cajó Menezes e a vereadora Lorena de Doutor Chico, atual Secretária de Saúde do município.

O relacionamento entre Cajó e Lorena é muito bom e o PSDB em Monteiro tem como presidente a prefeita Edna Henrique.

FEITIÇO CONTRA O FEITICEIRO

O deputado Eduardo Cunha, presidente da Câmara Federal, calculou mal o seu poder de fogo ao romper com o governo da presidenta Dilma Roussef.

Esquecendo os seus próprios erros, o parlamentar ocupou espaços e utilizou holofotes ameaçando a presidenta com o impedimento, e de repente se viu refém da sua vulnerabilidade, com a descoberta de contas na Suíça, contas essas que foram negadas pelo próprio Cunha perante o parlamento nacional.

Agora, enquanto Eduardo tem como trunfo o impedimento de Dilma, o governo da dama do coração valente ameaça com a cassação do mandato do deputado peemedebista.

Mas, conforme o baião do paraibano Jackson do Pandeiro, esse jogo não pode ser 1 a 1.

UMAS & OUTRAS

Quem acompanha a política monteirense desde1968, percebe claramente que o eleitorado, em sua maioria, tem preferência por apoiar a situação, elegendo candidaturas indicadas por quem está no governo.

Em 1968 o prefeito era Alexandre da Silva Brito, que apoiou Antenor Campos como seu candidato. A vitória, entretanto, foi de Arnaldo Lafayette, da oposição. Foi a vitória mais apertada da história política de Monteiro, apenas 25 votos.

Jorge Rafael de Menezes foi eleito em 1972, com apoio do mesmo grupo que apoiou Lafayette. Vitória do governo.

Alexandre da Silva Brito reconquistou o poder em 1976, derrotando Agamenon Lafayette. Vitória oposicionista.

Em 1982, Silva Brito indica a candidatura de Josa Leite, que perde para Antônio de Sousa Nunes, candidato da oposição.

Entre 1968 e 1982, a situação ganhou apenas uma campanha, a de Jorge Menezes, enquanto a oposição venceu 3 vezes: em 1968, 1976 e 1982.

Em 1988 o médico Dr. Chico foi eleito com apoio do então prefeito Antônio Nunes, derrotando Nilo Feitosa.

Em 1992, Dr. Chico retribuiu, apoiando Antônio Nunes que foi eleito para o seu segundo mandato, vencendo Flávio José.

Em 1996 o prefeito Antônio Nunes apoiou a candidatura de Carlos Batinga, que venceu Raul Formiga. Em vigor o instrumento da reeleição, Carlos Batinga foi reeleito em 2000, vencendo novamente Raul Formiga.

Em 2004, Batinga apoiou a médica Lourdinha Aragão, que foi eleita. De 1988 a 2004, portanto, foram 5 vitórias consecutivas da situação.

A oposição voltou a ganhar somente em 2008, quando a advogada Edna Henrique derrotou Doutora Lourdinha, que era candidata à reeleição.

Em 2012 Edna Henrique foi reeleita, derrotando Juraci Conrado.

A história política de Monteiro registra, com números oficiais que, em 44 anos, nas 11 campanhas municipais, os grupos de oposição ganharam apenas 4 vezes, enquanto os grupos da situação ganharam 7 eleições, quase o dobro.

Diante do quadro, constata-se que o eleitorado monteirense, em sua maioria, tem sido governista.

Faça seu comentário



Possui atualmente : Nenhum comentário em COLUNA OLHO VIVO